Onde comer em Salzburg

14.3.17

Em 48 horas na cidade natal de Mozart nós nos permitimos visitar duas casas tradicionais, que além de servirem uma comida excelente, fabricam suas próprias cervejas. Afinal de contas, não é só a Alemanha que sabe fazer uma boa cerveja.

A deliciosa Salzburger Kalbsbratwurst do Die Weisse
Nossa primeira parada, no sábado, foi na Die Weisse, uma das mais antigas cervejarias (de cerveja clara) da Áustria, com sua abertura no ano de 1901. O ambiente é bem bonito, rústico e o restaurante funciona non stop, o que permite uma flexibilidade maior no horário. O biergarten é bem amplo, mas em pleno janeiro era óbvio que ele estaria coberto por fartas camadas de neve. Imagino que deva ser uma delícia tomar uma cerveja ao ar livre numa tarde de verão. O atendimento do restaurante foi ágil e aparentemente está acostumado a receber turistas, apesar de naquela tarde de sábado só parecer ter locais nas mesas. Para beber, evidente, escolhemos a cerveja da casa (Die Weisse Hell – 4.00 euros/500ml) e para comer eu fui de Salzburger Kalbsbratwurst (9.80 euros) e o marido de Rindgoulasch (12 euros). Ambos os pratos estavam bem gostosos.

A cerveja da casa, Die Weisse Hell, que começou a ser fabricada em 1901

Um pouquinho da decoração do Die Weisse

Já a segunda casa tinha um quê de mais tradicional ainda, pois sua história começou em Salzburg por volta de 1542. A Sternbräu, que hoje é um complexo gastronômico com vários ambientes, é um dos maiores empreendimentos desse segmento na Áustria. Você pode até pensar que pelo tamanho (oferece cerca de 1.300 assentos em um sem fim de ambientes) e pela sua arquitetura exterior moderna, o restaurante não tenha charme. Ledo engano. No domingo, fomos acomodados no clássico Bürgersaal, repleto de madeira escura e enormes pinturas nas paredes, nós éramos os mais jovens do recinto. Apesar da sisudez do ambiente o atendimento aqui foi muito cordial e amistoso. Cestinhas com bretzel fresquinho estão à postos na mesa, prontas para acompanhar a cerveja enquanto esperamos os pratos. Como era a semana do peixe no restaurante, escolhi um bacalhau frito com salada da batata (18 euros) – a melhor que já comi, vale destacar. O marido foi de Wiener Schnitzel von der Pute (12.90 euros)  schnitzel de peru. O tradicional Schnitzel à moda de Viena é feito com vitelo.
Para petiscar enquanto esperamos os pratos: Brezel fresquinho

O ambiente rústico do Bürgesaal, uma das muitas salas da Sternbräu
Wiener Schnitzel de Peru - prato simples, mas gostoso
Bacalhau com a melhor Salada de Batata que já provei

 Foram duas excelentes pedidas para esse fim de semana em Salzburg. Apesar da gastronomia austríaca ser bem parecida com a alemã, principalmente nessas cidades quase fronteiriças, a sensação é que a Áustria consegue ser ainda mais clássica do que o país vizinho. Voltei pra casa achando a Alemanha, imaginem só, um tiquinho mais festeira e descolada.





Leia também

2 comentários

  1. eu adoro provar comida típica dos destinos para onde vou em viagem, vou guardar estas duas sugestões caso algum dia visite Salzburg!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. uma das melhores partes da viagem, não é Ester? guarda, sim. tenho certeza que um dia serão dicas úteis para você ;)

      Excluir

google plus

twitter