Mostrando postagens com marcador colômbia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador colômbia. Mostrar todas as postagens

26.5.11

Bogotá - todos os posts


Para facilitar a vida de quem busca informações sobre a capital colombiana deixarei todos os posts juntos:



Bogotá - comidinhas

Vou acabar a série de posts de Bogotá do jeito que mais gosto: com muita comida gostosa! Já citei o maravilhoso Andrés Carne de Res e as delícias que comemos a bordo do Turistren. Mas, durante os quatro dias que passamos descobrindo esse novo e delicioso lugar, só comemos bem. E muito bem, diga-se de passagem. O colombiano não tem miséria! Os pratos são sempre fartos, muito bem servidos e quando eles acham pouco mandam uma porçãozinha de arroz e de abacate para dar aquela reforçada. Na capital colombiana você vai pagar muito pouco e comer super bem. Então, deixo aqui algumas dicas sobre onde comer em Bogotá:

Vamos começar pelas delícias vendidas a cada esquina: churros, salada de frutas, chips de banana, chips de batata, gelatina e bolinhos fritos, são os itens que eu consigo lembrar.  

por 2.000 COP você come o autêntico churros do chavo del 8

chips de banana bem salgadinho, uma delícia
Para almoçar nós escolhemos parar no Cali Mio, rede de restaurantes típica do país, com quase 40 anos de tradição, que tem como especialidade um galeto bem gostosinho acompanhado de uma comidinha bem caseira. Mais uma vez, nos deparamos com pratos super fartos, gostosos e baratos. Gastamos menos de 30.000 COP juntos. 

meio galeto, batata salgada, arroz, salada e feijão no Cali Mio


Depois de visitar a Igreja da Candelária e o Museo Botero, na mesma rua, no sentido Plaza Bolívar, nós passamos por vários restaurantes, que por ser perto do grandes pontos turísticos, nos deixou com o pé atrás. Mas resolvemos entrar e provar um pouco mais da comida típica de Bogotá e não há prato melhor para isso do que o Ajiaco Bogotano, uma sopa de batata, com frango desfiado, alcaparras e creme de leite. Como dizemos lá em Recife: Pura sustança! Para acompanhar o prato: arroz e abacate. O marido escolheu um espaguete com molho de frango desfiado. Igualmente reforçado. Duas delícias! Pagamos menos de 35.000 COP, os dois.

rótulo colombiano da garrafinha de coca cola

o reforçado espaguete com "salsa de pollo" do marido

o ajiaco aquece a alma no frio de bogotá

Como ficamos em uma boa localização, à noite as opções para jantar não eram escassas. Uma noite arriscamos ir comer no Hard Rock Café e foi uma decisão bem acertada. Lógico que não entra no rol de comidas típicas, mas é sempre uma boa opção quando você quer dar um tempo nos novos sabores. 

cervejinha colombiana para abrir o apetite

steak new york

hamburgão do hard rock café bogotá

Por fim, antes de viajar, li em alguns lugares que ir à Colômbia e não comer no Crepes and Waffles era o maior pecado que a pessoa poderia cometer. Então tá, né? Fomos e aprovamos!

crepe mexicano e uma limonada

pita caprese do crepes & waffles

Acredito que comer bem e provar novos sabores ajudam, e muito, no processo de conhecimento de um novo lugar. Portanto, deixem suas zonas de conforto de lado e se joguem nesse mundo de opções que é a gastronomia de um país. Garanto que mal não faz (e se fizer, toma um remedinho que passa). Espero que vocês tenham gostado de acompanhar mais esse destino do raphanomundo e de conhecer um pouco mais  sobre a capital colombiana.

Qualquer dúvida ou comentário é só me escrever!
Sites

25.5.11

Bogotá - Museo del Oro e Museo Botero

Os posts dessa viagem incrível estão chegando ao fim, mas não dá para acabar sem falar desses dois belíssimos museus: Museo del Oro e o Museo Botero. Bogotá ainda conta com vários outros espaços culturais, mas se for para escolher esses dois são os principais. O Museo del Oro é riquíssimo e muito grande. Tem uma exposição bem montada e é super baratinho pra entrar, pagamos 3.000 COP cada um (cerca de R$ 3,00). Uma pechincha! Mas, se você ainda quer economizar, vá no domingo, onde a entrada é gratuita. 

lindos objetos expostos no rico museo del oro

lá tudo o que reluz é ouro, hein?



 
   
riquíssima exposição permanente

museo del oro

painel do último andar do museo del oro



Já o Museo Botero está localizado no coração do centro histórico, em uma belíssima e aconchegante casa. Além das obras do colombiano Fernando Botero, artistas internacionais renomados (Monet, Chagall, Renoir, Picasso, entre outros) compõem a exposição permanente do lugar. E o melhor é que você não gasta um centavo para entrar no museu. Entrada totalmente gratuita! 

a Monalisa de Botero

El estudio

Mujer delante de una ventana

escultura na entrada do museo de botero

pátio no interior do museo de botero


O passeio é muito gostoso. Vá sem pressa! Aprecie um café Juan Valdez no Centro Cultural Grabriel García Márquez que fica pelas redondezas ou, se preferir, almoce em um dos restaurantes típicos. O posts sobre as comidinhas de Bogotá vem logo em seguida. 


Para mais informações visite os sites dos museus:
Museo del Oro
Museo Botero
Centro Cultural Gabriel García Márquez

19.5.11

Bogotá - cerro de monserrate

Mais um bom passeio em Bogotá é a visita ao Cerro de Monserrate, que fica a 3.152 metros acima do nível do mar, portanto, se às vezes o fôlego falta quando estamos passeando pelo Centro Histórico, prepare-se para por a língua pra fora ao subir para explorar esse lugar que fica pertinho do céu. Para chegar ao cerro recomendo pegar um táxi partindo do centro, que é super baratinho e não passa dos 5.000 COP (+- R$ 5,00). O caminho até lá é uma grande subida e o transmilênio só vai até o começo dessa subida, ao contrário do táxi, que te deixa na entrada da atração. 

Chegando lá é só entrar na fila, comprar as entradas e esperar o embarque. Para subir até o alto da montanha você pode optar por duas formas: Teleférico ou Funicular. Eu arreguei achei a montanha muito alta e escolhi subir de funicular. O caminho percorrido pelo funicular é lindo e a subida bem rápida, acho que não dura nem 5 minutos. Uma vez no alto é preciso andar com calma e respirar direitinho, pois ainda tem umas subidas que serão feitas a pé. Lá em cima a gente encontra dois restaurantes famosos o Casa San Isidro e o Casa Santa Clara, no entanto, nos relatos que li antes de viajar apurei que os dois lugares eram meio "pega turista", mas a vista de lá é incontestável. Vale nem que seja tomar um café por lá. 


a casa que abriga a entrada para o Cerro de Monserrate

esperando a chegada do funicular

a vista do alto do Cerro de Monserrate

Bogotá é enorme e a vista lá de cima é incrível





  
sino do alto do Cerro

mais uma representação da Via Crúcis

subindo mais ainda

o contato com a natureza - o Cerro fica no Bosque Andino

a vista do outro lado da cidade com o aeroporto ao fundo

Na descida, como eu já havia perdido o medo, nós optamos por descer de teleférico. Pegamos uma fila grande, pois parece que todos tiveram a mesma ideia. Há quem diga que subir o Cerro de Monserrate à noite é mais bonito por causa das luzes da cidade, mas confesso que só com o dia claro (ainda que bastante nublado) é que dá pra ter noção da imensidão que é Bogotá.


Onde: Carrera 2 Este No 21-48, Bogotá
Quanto: Diurno 14.000 COP / Noturno 17.000 COP / Domingos 8.200 COP
Quando: Todos os dias das 6:00 à 00:00h (cada transporte tem um horário específico - ver site)

18.5.11

Bogotá - catedral de sal

O intuito do nosso passeio no Turistren foi conhecer a famosa Catedral de Sal de Zipaquirá que fica a 50km de Bogotá. O percurso pode ser feito de carro, ônibus ou através do Tren de la Sabana, esse último foi o escolhido por nós e garanto que é o jeito mais interessante de chegar até lá. Já no trem adquirimos nossas entradas para o Parque do Sal, onde se encontra a Catedral. Chegando em Cajicá, uma cidade antes de Zipaquirá, nós descemos do trem e fomos encaminhados para os ônibus de turismo que nos levaram até o parque. 
Para realizar a visita tivemos 1:30h e por fim, retornamos ao ônibus que nos deixou no município de Zipaquirá onde almoçamos e pegamos o trem para a viagem de volta. Vale ressaltar que o valor do transfer também é pago no momento da compra dos tickets para entrar na catedral, a bordo do trem. Tudo isso feito de forma muito organizada e pontual, na medida do possível. 

os mineiros representados na entrada da mina onde fica a Catedral de Sal
já no interior da mina de sal
impressionante como eles enchem de significado  um material tão bruto

apenas luz, pedra e sal

o anjo com o trompete anuncia a ressurreição de Cristo

missa na capela
anjo esculpido em mármore

a criação de adão - obra de Carlos E. Rodríguez Arango em mármore

Chegando à Catedral, com os tickets em mãos, é só ir até a entrada da mina e esperar um grupo ser formado para o passeio guiado. Os guias são jovens, divertidos e fluentes em espanhol e inglês . O nosso guia, em especial, nos contou toda a história de forma bem humorada e muito completa, conseguiu fazer o passeio de 1h passar num piscar de olhos. Dica: no final do tour é de bom tom dar uma gorjeta ao seu guia. E se você não lembrar, não se preocupe, eles o alertarão no meio do caminho.
O tour explica basicamente todo o simbolismo que existe dentro da Catedral e como eles conseguiram reproduzir a Via Crúcis com as matérias-primas existentes na mina. O nosso passeio ainda foi mais carregado de significado pois escolhemos o domingo do páscoa para conhecer a Catedral, ou seja, havia mais gente do que o normal e em suas capelas ocorriam missas de hora em hora. 

A catedral começou a ser construída em 1950, foi inaugurada em 1954, porém, em 1990 ela foi fechada e em dezembro de 95 foi inaugurada a catedral definitiva. Em 2007 ela tornou-se a 1ª maravilha da Colômbia e, mesmo sem o título, o local já era retratado com muito respeito, mas, há 3 anos, os colombianos têm ainda mais orgulho do seu santuário. 

O passeio como um todo vale muito a pena, independente da sua crença ou religião. Vale para conhecer a grandiosidade dessa obra que deixa qualquer um boquiaberto. Realmente impressionante. 

Dentro do ambiente ainda encontramos um espaço para venda de artesanato local, um autêntico café Juan Valdez e uma loja de esmeraldas legítimas retiradas da mina.


Onde: Cidade de Zipaquirá - 50km de Bogotá
Quanto: Adultos (13 a 59 anos) 20.000 COP / Crianças (4 a 12 anos) e maiores de 60 anos 14.000 COP
Quando: Todos os dias das 9:00 às 18:00
Transfer do Tren de la Sabana: 5.000 COP por pessoa

17.5.11

Bogotá - turistren

Esse foi, sem dúvida, o passeio mais interessante que fizemos em Bogotá. Sabíamos que a famosa Catedral de Sal ficava em uma cidade a uns 50km da capital e pesquisamos bastante para saber como chegaríamos até lá da melhor forma possível. Durante as pesquisas li algo sobre um passeio de trem até Zipaquirá (cidade onde está localizada a 1ª maravilha da Colômbia) então, fui atrás de mais informações sobre o passeio e caí no site do Turistren. No site encontrei informações básicas sobre roteiro, duração e preço, mas não achamos a opção para comprar online e decidimos, uma vez em Bogotá, que iríamos até a estação comprar nossos tickets para fazer o passeio no domingo de páscoa. 


Estação de Usaquén

Por causa do feriado da Semana Santa estava tudo fechado, então deixamos para ir à Estação de la Sabana no sábado. Contando ninguém vai acreditar, mas essa é uma estação de trem meio desativada, no meio do centro da cidade, parece coisa de filme. Como de costume, nos deparamos com alguns policiais na porta, mas logo eles nos mostraram o caminho para a compra dos bilhetes. O prédio é lindo e tem potencial para uma super estação de trem incrível, mas voltando à realidade, ele está abandonado e destruído. Comentamos que qualquer turista "normal" não iria adiante nessa história maluca. Mas, né? Quem disse que a gente é normal?
Chegamos no guichet, pedimos os 2 tickets para o dia seguinte e o atendente veio com uma pranchetinha onde constavam os nomes, telefones, poltronas e vagões de todos os passageiros que viajariam no domingo.
Logo descobrimos o porquê de não conseguir comprar on-line. Não existe computador nesse lugar! Foi tudo feito a mão, bonitinho e organizado. Com os tickets comprados e munidos de todas as informações necessárias, tais como gastos a parte que serão feitos durante o passeio, por exemplo: como o trem parte muito cedo da estação de la sabana (8:30)  é preciso chegar à estação por volta das 8:00. Ou seja, eles venderão comidas típicas dentro dos vagões para um verdadeiro café da manhã colombiano. Cada comida tem um valor e você já vai sabendo com antecedência. 
O passeio até a Catedral de Sal também tem um custo adicional e os tickets serão vendidos a bordo, durante a viagem. Tudo muito organizado mesmo. Quem precisa de computador, não é?



Trajeto percorrido pelo Tren de la Sabana

No domingo acordamos cedo, não tomamos café no hotel e pegamos um táxi até a Estação de la Sabana e, às 8 em ponto, estávamos bonitinhos na estação. Não sem antes ouvir do taxista que deveríamos ter ido para Usaquén, que é muito mais perto do nosso hotel. Ok, mas não fomos. Ficamos na sala de espera junto com vários locais que também fariam o passeio. Estranhamos muito a ausência de turistas, mas tudo bem, do jeito que foi difícil descobrir como fazer esse passeio, achei que eles iriam direto à Catedral. Quinze minutos antes de embarcar um responsável da empresa aparece para dar todas as informações úteis para o bom desenrolar da viagem. Informações dadas, somos liberados para o embarque: coche E - sillas 11 y 12.

Hora do embarque na Estação de la Sabana

Sillas 11 y 12
É tudo muito simples e o passeio é feito a bordo de uma Maria Fumaça, o que torna tudo, além de simples, lento tranquilo. O trem parte pontualmente da Estação de la Sabana às 8:30 e chega de volta às 17:40. É uma senhora viagem. 
Já nos primeiros quilômetros  aparece uma vendedora com uma bandeja cheia de tamales. Comida típica feita com arroz, milho, cenoura, frango desfiado enrolado na folha de bananeira. Uma delícia. Todos os locais do nosso vagão comeram como se não houvesse amanhã. Além dos tamales ela vendia café, chocolate quente, refrigerante e água. Mais uma vez, tudo bem organizado e limpo. 

O reforçado café da manhã que começou com um tamal

Uma hora passa num piscar de olhos e logo chegamos à Estação de Usaquén, que de fato, é muito mais perto do nosso hotel e, é aí amigos, que todos os turistas embarcam! Seguramente porque ninguém, nem nenhum hotel, indica a Estação de la Sabana como ponto de partida da viagem para um turista, só para os locais mesmo. Inclusive, alguns vagões foram só com turistas, uma cosia super esquisita. Nós automaticamente passamos a gostar mais ainda do passeio porque fomos junto com as pessoas de verdade e que estavam tão maravilhados e felizes como nós. Mais uma experiência incrível! A dica aqui é essa: se quiser sentir o passeio de verdade, se aventure até a "de la Sabana" para comprar seu ticket e embarcar. Na volta, pode fazer como fizemos, desça em Usaquén e de lá tome um táxi para o hotel. 
A bandinha que vai animando a viagem também embarca em Usaquén e, a partir daí, tudo está completo: locais, turistas, comidas e músicas típicas. Uma festa!


A banda que anima toda a viagem esquenta os tamborins em Usaquén
Já que é pra entrar no clima vamos provar um pouco de tudo: até da dulcíssima colombiana

O Merengón é o sucesso da viagem. Bolo de suspiro recheado com um creme de graviola. Uma surpresa de sabor.


A bordo vão umas 3 bandas típicas de estilos diferentes passeando e contemplado todos os vagões, mas a que mais agitou o pessoal do nosso vagão foi a mais de raíz. Inclusive fizemos um vídeo para mostrar, senão por completo, da melhor forma possível essa experiência divertidíssima durante o passeio:


Turistren de Bogotá from rapha aretakis on Vimeo.



Uma outra banda se apresenta no nosso vagão, dessa vez, música inca

Quando o trem chega ao município de Zipaquirá nós desembarcamos e somos encaminhados até os ônibus que nos levarão à Catedral de Sal, mas ela será assunto de um outro post. Após a visita na Catedral os ônibus nos trazem de volta até Cajicá, município vizinho, onde o trem espera os seus passageiros para começar a viagem de volta. Nessa viagem a música continua, são vendidas algumas bebidas, mas todo mundo já está mais calmo, cansado e eu arrisco até que um pouco saudoso, pois já começamos a nos despedir de um domingo inesquecível. Turistas, famílias tipicamente colombianas, os mais diferentes tipos e estilos convivem de forma harmoniosa e feliz nesse trem. É uma grande confraternização!


Na volta a chuva ajuda a deixar tudo mais melancólico

O animado Turistren

A Maria Fumaça
 Se você se programar direitinho vai poder incluir esse excelente passeio ao seu roteiro. Recomendo!

Serviço


Turistren de Bogotá
Onde: Estação de la Sabana - Calle 13  nº 18 - 24 / Estação de Usaquén - Transversal 10  nº 110 - 08
Quanto: Adultos 38.000 COP / Crianças (2 a 12 anos) 23.000 COP
Quando: Sábados, Domingos e Feriados
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...