Mostrando postagens com marcador dicas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador dicas. Mostrar todas as postagens

23.9.14

L'entrecôte d'Olivier

Post inicialmente publicado em 27/09/2010 - atualizado em 23/09/2014

Aproveitei nosso retorno a São Paulo em agosto para visitar mais uma vez esse restaurante que é um dos meus preferidos na cidade. Nossa primeira vez no L'entrecôte d'Olivier ele ainda se chamava L'entrecôte de ma tante, do chef francês mais charmoso evah, Olivier Anquier. A proposta do restaurante é inovadora, porém, bastante difundida na França. Eles trabalham com um único prato: o entrecote, que nada mais é do que um corte bovino tipicamente francês, acompanhado de um molho secreto, onde cada família desenvolve o seu. O chef, que não é bobo nem nada, trouxe sua receita do molho para fazer sucesso em terras brasileiras.

Como entrada, pão quentinho e uma salada de folhas verdes e nozes super bem temperada. Um capricho só. O prato principal, o entrecote no ponto escolhido, acompanha ainda, batatas fritas à vontade - garçons ficam transitando pelo salão a fim de reabastecer os pratos com uma fina, crocante e de-li-ci-o-sa batatinha. Ah, também é possível solicitar um pouco mais do  molho que cobre a carne. Por fim, eles também trazem à mesa uma mostarda dijon divina para acompanhar as batatas. #amoreternoamorverdadeiro



9.7.14

Você no mundo: Ana Lúcia Póvoa

Aninha é amiga de longa data. Falo amiga, mas temos um grau de parentesco, no entanto acho que o laço da amizade pode ser ainda mais forte nesses casos. Pernambucana arretada, adotou Salvador como sua casa, é dona de um sotaque gostoso e de um abraço melhor ainda. Aninha gosta de sair por aí pelo mundo, em família ou com as amigas, o que importa é por o pé na estrada e apreciar o belo da vida. Hoje ela compartilha aqui no blog dicas da sua última viagem.


"Passo aqui algumas dicas de Miami, Orlando e Nova York.

  • Dicas Miami: 

Se vai passar  2 a 3 dias em Miami: 

dica: Alugue um carro, mais barato e rápido de se locomover.

dica: Vai fazer compras? Vá ao Outlet Sawgrass Mills que fica um pouco distante, mas vale a pena passar o dia. Caso não tenha tempo, vá ao Dolphin Mall, ao Dadeland (fica ao sul de Miami e próximo de Coral Gables). O Aventura Mall é mais para ver de que comprar. (Não tem preços bons nem descontos absurdos como o Sawgrass. Mas isso é tão relativo!)

Passeio de barco em Miami - Foto por Ana Lúcia Póvoa

22.4.13

As vantagens do Le Club Accorhotels


Sexta-feira fui convidada para ir num evento super bacana do Le Club Accorhotels. Para começar, fomos super bem recebidos na Sala Raí, em pelo Estádio Cícero Pompeu de Toledo, mais conhecido também como o estádio do São Paulo Futebol Clube. Papo vai, papo vem, fizemos um tour pelo estádio. O plus desse passeio foi o próprio Raí se juntando ao grupo de blogueiros e percorrendo todos os cantinhos desse mega estádio. 

Detalhes da Sala Raí

20.7.12

Os segredos mais bem guardados de Nova York

Nova York tem alguns dos mais icônicos pontos turísticos do mundo – a Estátua da Liberdade, o Central Park, Wall Street, o Empire State Building e a Broadway são alguns deles. Não dá pra visitar a Big Apple sem marcar na agenda uma visita a estas atrações. Existem vários pacotes de passeios com desconto para ver o melhor do turismo em Nova York em sites como o Viator. Mas se você quer realmente conhecer aquilo que pouca gente conhece na cidade aqui vai uma dica de como descobrir o lado secreto de NYC.


20.4.12

Vail: Todos os posts


VAIL - Like nothing on earth

Mais uma série de posts chega ao fim e mais uma vez nós nos apaixonamos por um destino. Foi um prazer poder descobrir os encantos de Vail e contar tudo aqui para vocês. Vai ficar pra sempre na nossa memória!

Então, já sabem, se forem se jogar na neve e quiserem dicas, o passo a passo está aqui embaixo:


>> O raphanomundo viajou a convite da Vail Resorts. 

8.2.12

New York: Dia 7

O roteiro foi mais ou menos assim: Uma caminhada pela High Line no Meatpacking District / Chelsea Market, pausa para umas comprinhas na Bowery Kitchen Supplies e um hotdog / Bleecker Street + Magnolia Bakery / Friends Building (Bedford St. + Grove St.) / Jantinha no Grand Sichuan. Tudo isso a pé, fotografando, entrando onde desse na telha... enfim, curtindo a cidade! 

Vou deixar as fotos do dia 7 falarem por si, pode ser? 


































Esse dia foi uma delícia por inúmeros motivos: Fã incondicional de Friends que sou, confesso que conhecer o prédio deles de perto foi mágico (mesmo sabendo que a série não era gravada ali). A Magnolia Bakery é um sonho e contei com euforia aqui no blog como foi essa visita.  O Chelsea Market foi mais um mercado massa que entrou para a minha lista de favoritos e a High Line é sem comentários. Só num lugar como Nova York os caras transformam um elevado e seus trilhos em um parque/jardim. Inacreditável! Para completar, andando na Bleecker Street, demos de cara com Olivia Wilde, a Thirteen de House. Um dia muito divertido, diga-se de passagem.

Acho válido você adicionar um dia despretensioso no seu roteiro e se deixar surpreender com o que encontrará pelo caminho.


MAIS FOTOS NO FLICKR DO RAPHANOMUNDO

17.1.12

New York: Dia 5


O quinto dia em Nova York começou ensolarado e bem frio. Nossa programação já estava fechada, os dois principais pontos seriam o Central Park Zoo e conhecer a vista do famoso Empire State Building. Chegamos ao zoológico e compramos nossos tickets - é possível adquirir as entradas com 10% de desconto se compradas com antecedência na internet, mas como nós não estávamos no clima de um roteiro engessado optamos por comprar na hora mesmo. Para nossa surpresa, vários mapas turísticos da cidade vêm recheados de descontos nas mais diversas atrações e nós tínhamos um mapa com o tal desconto para o Zoo. Dose foi ver a mulher recortar nosso único mapa e lá se foi todo o East Village e cia hahaha…

Hora da soneca

Hora da soneca 2

Panda vermelho <3

Floresta Tropical

Macaquinhos
Hora do almoço dos leões marinhos - momento FOFO

O Central Park Zoo é pequenininho, se comparado aos grandes Zoo's que já visitamos, mas uma fofura. De cara nós encontramos os incríveis e bem treinados leões marinhos, se tiverem sorte vocês vão chegar bem na hora do almoço deles, que será uma atração à parte. O urso polar curtia seu sol maroto numa boa e não queria ser incomodado por ninguém. O ponto alto do zoológico para mim é o viveiro das aves. Incrível como eles conseguiram reproduzir o clima perfeito (e quente) da Floresta Tropical e, nesse ambiente, todos os pássaros vivem soltos, ou seja, enquanto a gente passeia, as aves ficam passando sobre nossas cabeças. Lindo. As crianças vão à loucura com tanta novidade, é um passeio perfeito para os baixinhos. 

Se você não estiver com crianças o passeio vai mais rápido, e logo o nosso acabou. Saindo do Central Park Zoo nós fomos em direção ao Plaza, lanchamos um dos famosos Pretzel's e atravessamos a rua para visitar a indescritível loja da Apple da 5ª avenida. A loja estava lotada de gente, comprando, interagindo, admirando, seja lá qual fosse o objetivo, eles estavam lá. E nós também, pura emoção. Nas redondezas, para os shoppaholics, estão as melhores lojas, de roupas a eletrônicos, de material esportivo a brinquedos, então o jeito é caminhar, morrer um pouquinho, caminhar, falir e caminhar mais ainda… 

Se você cansar, como nós, pode pegar um ônibus. Seguimos para o Eataly a fim de almoçar por lá, mas a muvuca era bem grande e tinha uma boa fila de espera, como a nossa fome era grande também e preferimos não esperar, mas adoramos o espaço e, se eu morasse em NY, seria frequentadora assídua da loja. Saímos pela 5ª avenida procurando o primeiro lugar organizadinho e que pudesse aplacar nossa fome, encontramos o KyoChon. Rede coreana especializada em frango frito, com uma loja linda e que me parecia bem nova nessa avenida cobiçada. Paramos por lá mesmo e comemos super bem! O cansaço e a fome eram tão grandes que nem lembrei de fotos. Não se peocupem, não é um must go, mas é uma dica para guardar, caso você esteja com fome e sem rumo nas imediações da quinta avenida. 

Depois da barriga forrada e munidos do nosso New York City Pass, caminhamos até o Empire State Building, que também não estava lotado como costumam falar, ainda assim, com o passe, temos a oportunidade de pular algumas retenções e ir direto ao que interessa. A revista para entrar nas dependências do prédio é rigorosa, tudo e todos passam pelo raio-x, depois disso somos encaminhados para pegar o elevador que nos leva até a primeira parada, no 86º andar. Esse observatório é todo fechado, mas já dá uma noção do que encontraremos no 102º andar. A subida é muito rápida e, mais uma vez, estamos num cenário de filme. A vista é linda demais. Pegamos um dia de céu lindo e vimos um por do sol inesquecível, as luzes da cidade se acendendo lentamente, tudo foi perfeito. O frio lá em cima é de rachar, portanto, esteja preparado e não se engane com o sol que tá fazendo. Vi muita gente fazendo cara feia para o frio e o vento, mas não dá para perder um passeio desses por causa da falta de um casaco. Peque pelo excesso, mas curta uma das vistas mais incríveis de Nova York, se localize, conheça os pontos com uma nova perspectiva, cada descoberta é uma emoção, parece que você já está íntimo da cidade. 


Por do Sol @ Empire State Building




Bryant Park e a Citipond


Central Park lá no fundo



Saímos do prédio já à noite e encantados. Demos mais umas voltas, fizemos umas compras e compramos fatias enormes e deliciosas de pizza para comer em casa. What a great day!

MAIS FOTOS NO FLICKR DO RAPHANOMUNDO

14.7.11

Berlim - alt-berliner wirtshaus

Procurando um restaurante tipicamente alemão em Berlim, tarefa um pouco difícil - confesso, achei a dica do Alt-Berliner Wirtshaus. Por ser muito perto de um dos maiores pontos turísticos da cidade, o Portão de Brandemburgo, ficamos meio com o pé atrás com medo de ser mais um pega turista. Mas arriscamos e tivemos sorte. Ele realmente fica muito perto não só do símbolo da capital alemã, mas também do Memorial do Holocausto, mas isso não influencia em nada no preço nem na qualidade do restaurante. Inclusive, vimos muitos alemães frequentando o lugar. Mais um ponto a favor, né?  

fachada, mesinhas na calçada e ambiente agradável

Currywurst mit Pommes Frites  (8.90 €)

Berliner Bulette an Bratkartoffeln mit Champignons, Paprikastreifen und einer Salatdekoration (8.30 €)




2 Schweinemedaillons auf Bratkartoffeln mit Paprikastreifen, Champignons, dazu gebratene Speckbohnen und Salatdekoration  (12.50 €)

Bratkartoffeln mit geschnetzelten Schweinefleisch, 3 Eiern untergeschlagen und in der Pfanne gebraten, dazu eine Gewürzgurke und kleine Salatdekoration (9.90 €)

Nós gostamos tanto que fomos duas vezes. O preço é muito bom, a qualidade excelente e as porções são imensas. Se você não estiver com tanta fome vai ter trabalho para dar conta do prato. Portanto, o raphanomundo quebra um mito: os restaurantes próximos aos pontos turísticos nem sempre são pega turistas e/ou deixam a desejar na qualidade. Vá com fé ao Alt-Berliner Wirtshaus e prove do melhor da culinária berlinense e alemã!

onde: Wilhelmstrasse, 77
U2 - Mohrenstraße
BUS 100 / 200 
quando: aberto diariamente as 11h às 22h
aceita cartões de crédito e tem menu em inglês

6.7.11

Berlim - train cocktail bar

Se você procura um lugar em Berlim para começar sua noite com uns "bons drink", que tal começar esse esquenta dentro de um vagão de S-Bahn? Deixo as fotos falarem por si só!

o vagão

dentro do vagão

espelho

teto do vagão

                     
cerveja + mojito

strawberry colada

Legal, né? O Train Cocktail Bar é bem inusitado, mas muito bem bolado. As bebidas são ótimas, a carta de opções bem vasta e o som ambiente é muito bom. Se você se animou com a proposta, segue o serviço:

Train Cocktail Bar
Hauptstraße, 162 - Schöneberg - Berlin
Aberto todos os dias das 18h até o último cliente.
Os drinks custam em torno dos 6 EUR / A cerveja 3.50 EUR
Como chegar?
U7 - Kleistpark
Bus: M85 / M48 / 106 / 

5.7.11

Berlim – museumspass + Deutsches Technikmuseum

Na semana passada começamos a selecionar os museus em Berlim que queríamos visitar. Já de cara, nos deparamos com a possibilidade de comprar o Museumspass – Ticket para a visitação de mais de 50 museus em Berlin, em três dias consecutivos. O Museumspass custa 19 euros (9,50 meia) e tem um excelente custo-benefício. Compramos o nosso com antecedência (você diz em que data quer começar a utilizar) na bilheteria do Altes Museum.


Aqui em Berlim existem outras opções de cartões de desconto para turistas, que também incluem descontos em museus como, por exemplo, o Berlin WelcomeCard e o Berlin CityTourCard. A diferença do Museumspass é que com ele, você não precisará pagar complementos para entrar nos museus, apenas apresentá-lo na bilheteria para trocar por um ingresso ou, em alguns dos museus, ir direto para a entrada sem pegar fila!

Vale lembrar, porém, que os principais museus da cidade são grandes e com acervos extensos. Se o seu tempo é curto, ou se a soma das entradas individuais dos museus que você pretende visitar for inferior a 19 euros, talvez a melhor opção seja comprar um cartão de desconto. Dica: A maioria dos museus fecha na segunda-feira e outros na terça. Na quinta-feira alguns museus na Museuminsel (ilha dos museus) ficam abertos até às 22h.

O primeiro museu que visitamos foi o Deutsches Technikmuseum Berlin ou Museu Alemão de Tecnologia. Este museu já tinha chamado a nossa atenção, principalmente a do marido - que é maluco por aviões - pois é possível ver na frente do prédio o avião que ele ostenta quando se está na linha U1 do U-Bahn, entre as estações Gleisdreiek e Möckernbrücke (para chegar ao museu, é possível descer em qualquer uma das estações, mais uma caminhada).



O Deutsches Technikmuseum foi aberto em 1983 e tem – desde 2005 quando foi aberto o novo edifício de exposições – cerca de 26.000m². As suas exposições permanentes estão divididas em três temas: Tecnologia e a natureza, tecnologia e o homem e tecnologia e a guerra.

Logo na entrada do museu estão disponíveis mapas com sugestões de roteiros para explorar cada acervo. O museu te leva a uma viagem no tempo e tenta sempre mostrar qual foi o papel da tecnologia em cada momento na história alemã. Começamos o nossa visita num dos galpões onde ficam as locomotivas. São dois galpões no total e lá vimos trens e vagões reais do período entre os anos 1800 e 1980. A cada passo é possível ver a evolução destas máquinas.







Do lado de fora, já no parque do museu, num trecho do acervo tecnologia e a natureza, ficam os moinhos de vento holandeses e também a torre de água, um retrato de como utilizar os recursos naturais para a produção.





A partir daí, fomos direto para o edifício novo do museu, onde vimos principalmente os acervos náutico e aeroespacial. No subsolo e no primeiro andar, vimos diversas embarcações e maquetes, que contam a história de mais de 10.000 anos de navegações.





Nos andares acima, está o acervo aeroespacial. São diversos aviões do século 20, com aeronaves comerciais e militares. Entre estes, é destaque o avião comercial Junkers Ju 52.






Se você é um aficionado pela história da aviação, você deve visitar este museu um dia. Do terraço, é possível ter uma boa vista da cidade.




Nas mais de 4 horas que ficamos por lá, não conseguimos cobrir todo o museu e acabamos fazendo um tour misto. Para ver (e ouvir sobre) todo o acervo, é preciso um dia inteiro ou mais de uma visita curta.

Aberto ter - sex 9h-17h30, sab - dom 10-18h, seg - fechado.
Entrada: 4,50 EUR (normal) / 2,50 (reduzida ou meia) / Grátis com o Museumspass
Como chegar: U1 - Gleisdreiek ou Möckernbrücke

Serviço: Museumspass
Preço: 19 EUR (9,50 meia)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...