Mostrando postagens com marcador estados unidos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador estados unidos. Mostrar todas as postagens

3.9.13

Nova York pela primeira vez

Percebi que nossa viagem a Nova York, em 2011, ainda não tinha um post-índice aqui no blog. Lapsos à parte, chegou a hora de resolver esse problema. Então, compartilho aqui nesse post um roteiro de 9 dias pela Big Apple, que resultou numa das viagens mais legais que já fizemos.

Portanto, para quem vai a Nova York pela primeira vez, lápis e papel na mão!

Fim do dia em cima do Empire State Building

Primeiro, alguns posts isolados, daqueles lugares/assuntos que mereceram um destaque especial:



Por último, o roteiro dia após dia:

  • Dia 1 – Times Square e Restaurante Carmine’s
  • Dia 2 – Neve / Macy’s / Forever 21 / H&M/ BH Photos / Dallas BBQ
  • Dia 3 – Brooklyn Bridge / Chinatown / Little Italy / NYU Bookstore / Bubba Gump Shrimp / Toy’s “R” Us
  • Dia 4 – Museu de História Natural / Central Park / Cafe Metro / Bryant Park / Good Stuff Diner / Village Halloween Parade
  • Dia 5 – Central Park Zoo / Apple Store 5a Avenida / Eataly / KyoChon / Por do Sol no Empire State Building
  • Dia 6 – Rockefeller Center / Saint Patrick’s Cathedral / MoMA / T.G.I. Friday’s / Memphis na Broadway / Tony’s DiNapoli
  • Dia 7 – The Highline / Chelsea Market / Bleecker St. /Magnolia Bakery / Friends' Building / Grand Sichuan
  • Dia 8 – Circle Line Cruise (passeio de barco pela ilha) / Tabata Noodle
  • Dia 9 – Como conto na série de posts, peguei uma gripe super forte e no último dia não consegui fazer muita coisa. Mas reuni todas as minhas forças e fomos conhecer o MET, fechando assim, a viagem com chave de ouro.




3.10.12

Sorteio Guia Miami - Romero Britto (ENCERRADO)


Eu sou daquelas pessoas que não precisa de data especial para dar/receber um presentinho. A Pulp Edições também não! Por isso, mais uma vez vamos agradar dois leitores aqui do blog com mais um guia daqueles que só a Pulp sabe fazer. O Guia Miami – Romero Britto traz as dicas mais quentes da cidade, tudo sob o olhar do artista pernambucano. Repleto de informações detalhadas, o guia destrincha Miami para que o viajante tenha a melhor experiência na cidade.



20.7.12

Os segredos mais bem guardados de Nova York

Nova York tem alguns dos mais icônicos pontos turísticos do mundo – a Estátua da Liberdade, o Central Park, Wall Street, o Empire State Building e a Broadway são alguns deles. Não dá pra visitar a Big Apple sem marcar na agenda uma visita a estas atrações. Existem vários pacotes de passeios com desconto para ver o melhor do turismo em Nova York em sites como o Viator. Mas se você quer realmente conhecer aquilo que pouca gente conhece na cidade aqui vai uma dica de como descobrir o lado secreto de NYC.


14.6.12

Café da Manhã no Aeroporto de Miami


Se você estiver com uma conexão longa programada para ser feita no aeroporto de Miami a dica de hoje é quentíssima. 

Por duas vezes fizemos conexões de pelo menos 4 horas em Miami, só que tirando o tempo de desembarque, imigração, recolher e despachar a mala novamente e reembarcar, sobram pouco menos de 3 horas. Em ambas as vezes pousamos por volta das 6 da manhã, ou seja, depois de feito todo o processo, uma hora boa para tomar um café da manhã e seguir firme até o destino. 

O aeroporto internacional de Miami é enorme e oferece inúmeras opções de alimentação, que vão do sushi ao bom e velho hot dog. Mas como somos fãs de um bom café da manhã, fomos em busca de café e pães quentinhos. Encontramos o que queríamos no La Carreta (Terminal D - portão D37). Aberto 24h, o restaurante serve de um tudo. No entanto, para o nosso horário, torradas, ovos, bacon, presunto e café já estavam de bom tamanho. Gastamos cerca de 20 dólares e ficamos super satisfeitos. 

11.6.12

Voando American Airlines #2


Quando fomos aos Estados Unidos no ano passado acabamos ficando com uma impressão não muito boa da American, pois tínhamos voado num Boeing 767 sem entretenimento individual para Miami e voltamos ao Brasil, também via Miami, num Boeing 757 apertado, com pessoas carregando bagagem de mão em excesso. Em ambos os vôos, comissários pouco simpáticos. E, por fim, um extravio de mala, mas que foi contornado com rapidez, se comparado às histórias que ouvimos por aí. 

Em nossa viagem a Vail, nós voamos com American Airlines partindo de São Paulo para o aeroporto de Eagle/Vail com conexão em Miami (e na volta, com conexão no super moderno aeroporto de Dallas/Ft. Worth). 


Dentro do avião no trecho GRU - MIA

25.5.12

Ski Girls Rock: Lindsey Vonn e Eliza Nobre


Durante a nossa estada em Vail, tivemos a oportunidade de conhecer uma grande estrela americana das pistas de esqui, Lindsey Vonn. Com 27 anos, Lindsey é uma campeã nata e um grande modelo para as meninas dos quatro cantos do mundo, sobretudo, as americanas. Foi engraçado poder ver meninas de todas as idades totalmente em êxtase ao ver uma sorridente e tímida Lindsey aparecer. Vail estava coberta com o rosto da atleta por todas as partes e a celebração culminou numa festa no meio de Lionshead. 

Vail espera Lindsey Vonn

20.4.12

Vail: Todos os posts


VAIL - Like nothing on earth

Mais uma série de posts chega ao fim e mais uma vez nós nos apaixonamos por um destino. Foi um prazer poder descobrir os encantos de Vail e contar tudo aqui para vocês. Vai ficar pra sempre na nossa memória!

Então, já sabem, se forem se jogar na neve e quiserem dicas, o passo a passo está aqui embaixo:


>> O raphanomundo viajou a convite da Vail Resorts. 

Vail: Comidinhas e Comprinhas


COMIDINHAS

As opções de alimentação em Vail são inúmeras, que vão desde o restaurante refinadíssimo ao bom e tradicional hamburgão. Nós tivemos a oportunidade de conhecer 5 excelentes locais para todos os bolsos e gostos. A começar pelo Game Creek Club, um restaurante belíssimo, no meio da montanha, onde você passará bons momentos. Os menus são fixos, compostos por 3 (US$85), 4 (US$95) ou 5 (US$105) pratos e nada é muito explicadinho. O chefe basicamente lista os ingredientes e te surpreende com pratos saborosíssimos no final. Desde a chegada ao local, que você faz a bordo de um snow cat, passando pela comida, até assistir a um belo por do sol, no Game Creek Club você terá uma experiência e tanto. Vale a pena o investimento. 

Vista linda do Game Creek Club

17.4.12

Vail (para crianças): Adventure Ridge


Como afirmamos lá no começo da série, Vail é um destino para toda a família. Mas mais do que isso, as crianças se esbaldam nas mais diferentes atividades no topo da montanha. E os adultos se divertem como crianças. É muito engraçado ver os pequenos demonstrando toda a intimidade com o material de esqui ou a prancha de snowboard. 

Um pequeno Snowboarder

16.4.12

Vail: Aula de esqui


Depois de garantir a roupa e todo o equipamento para a aula de esqui. Chegou a hora tão esperada! Acordamos cedo, fomos à loja onde alugamos o material e lá calçamos as botas. Não estranhe, ela fica justa mesmo, apertada, vai te deixar andando de um jeito estranho, mas no fim você verá que faz sentido, pois ela dará sustentação ao seu corpo na hora H. 

Depois de devidamente equipados, seguimos para Lionshead, a fim de encontrar nosso instrutor. Você pode reservar uma aula em um dos três pontos da montanha em Vail: Vail Village, Golden Peaks ou Lionshead, onde nós fomos.

Ponto de encontro

13.4.12

Vail Resorts inicia as vendas para temporada 2012/2013

Sei que vocês estão curtindo horrores essa nossa série sobre Vail, né? Afinal de contas, neve é uma coisa fascinante! Se você ainda não teve tempo de ler dá um pulinho lá nos posts que, modéstia à parte, estão super legais: Como chegar / Onde ficar / Alugando os equipamentos para esquiar

Mas se você já vem acompanhando e já se animou para viajar na próxima temporada, tem dica quente aqui no blog: Vail Resorts inicia as vendas para temporada 2012/2013




Os amantes de esportes de inverno já podem programar a sua próxima viagem. O grupo Vail Resorts anuncia que começaram a ser vendidos os passes de esqui para a temporada 2012/2013 de suas estações: Vail, Beaver Creek, Breckenridge, Keystone e Arapahoe Basin, no Colorado; Heavenly, Northstar e Kirkwood, localizadas em Lake Tahoe, na fronteira entre os estados da Califórnia e Nevada.

11.4.12

Vail: Alugando roupas e material de esqui


Após a nossa chegada ao hotel, partimos em busca do nosso primeiro contato com os esportes de inverno: o aluguel de equipamentos e de roupa!

Esta é uma informação é necessária e esclarecedora: você pode alugar toda a roupa e equipamentos para sua temporada de esqui. Se você vai passar pouco tempo ou só quer experimentar, é a melhor escolha. Se vai ficar por um período mais longo, as lojas de aluguel oferecem opção de compra para a sua roupa alugada com excelentes descontos. Em Vail existem várias lojas especializadas na venda e aluguel de equipamentos e/ou de roupas, mas que também guardam o seu material durante a noite assim como os seus pertences durante o dia enquanto você esquia. Tudo muito prático e eficiente.


10.4.12

Vail: Onde ficar


Em Vail é possível encontrar tanto hotéis luxuosos quanto casas grandes ou apartamentos compactos e funcionais. A vila convida não apenas os praticantes de esportes como também àqueles que procuram um refúgio em plena montanha. Navegando pelas opções, não é difícil encontrar o lugar perfeito para as suas férias.

No site oficial de Vail estão listados os principais hotéis e outras acomodações como casas e apartamentos em condomínios. Agentes especializados também podem auxiliar a sua busca via telefone ou chat online. Agências especializadas, a exemplo da SKIBrasil, também podem ajudar na procura de uma acomodação e planejamento do roteiro.

Nós nos hospedamos no The Lodge at Vail, hotel da rede RockResorts e com uma ótima localização, no coração da Vail Village. O premiado hotel oferece acomodações luxuosas e confortabilíssimas, spa, piscina aquecida, jacuzzis e diversas facilidades para seus hóspedes. Os mimos incluem desde o Concierge, que pode resolver as suas reservas para restaurantes, passeios e transporte local (o hotel dispõe de carros para curtos traslados dos hóspedes) até o simpático aprendiz de chef que fará uma omelete personalizada pra você no farto e delicioso café da manhã.

Piscina aquecida

9.4.12

Vail: Esquiando pela primeira vez


Para quem nasceu e viveu numa cidade de praia de um país tropical como o Brasil, ver e sentir a neve é algo místico e distante. A minha primeira experiência com a neve aconteceu há alguns meses, quando uma nevasca resolveu passar inesperadamente por Nova York, quebrando um recorde de 150 anos sem nevar neste dia.

A verdade é que a neve, nos lugares onde ela costuma cair durante o inverno, transforma a dinâmica e a vida das pessoas que, em se tratando de lazer, curtem a época com tanto ânimo e energia quanto nós curtimos as nossas ensolaradas praias. Foi justamente com essa animação (e curiosidade, adrenalina e um pouquinho de frio na barriga) que o raphanomundo embarcou rumo a Vail, no estado do Colorado, Estados Unidos.

Para todos aqueles que, como nós, são leigos em esportes de inverno, pouco adianta dizer que a montanha em Vail, além de ser a maior montanha em área própria para esqui nos Estados Unidos, com 2.140 hectares (ou 21,4 km²), possui 193 pistas e 31 lifts (leiam-se teleféricos e gôndola) para levá-los da base da montanha até um de seus picos (numa altitude que pode chegar a 3.527m). Mais fácil mesmo seria dizer: se você quer esquiar pela primeira vez ou esquiar em um lugar novo, sozinho, com amigos ou família, Vail é o lugar.

E explicaremos os porquês nos próximos posts desta inesquecível viagem.

Como chegar?

8.2.12

New York: Dia 7

O roteiro foi mais ou menos assim: Uma caminhada pela High Line no Meatpacking District / Chelsea Market, pausa para umas comprinhas na Bowery Kitchen Supplies e um hotdog / Bleecker Street + Magnolia Bakery / Friends Building (Bedford St. + Grove St.) / Jantinha no Grand Sichuan. Tudo isso a pé, fotografando, entrando onde desse na telha... enfim, curtindo a cidade! 

Vou deixar as fotos do dia 7 falarem por si, pode ser? 


































Esse dia foi uma delícia por inúmeros motivos: Fã incondicional de Friends que sou, confesso que conhecer o prédio deles de perto foi mágico (mesmo sabendo que a série não era gravada ali). A Magnolia Bakery é um sonho e contei com euforia aqui no blog como foi essa visita.  O Chelsea Market foi mais um mercado massa que entrou para a minha lista de favoritos e a High Line é sem comentários. Só num lugar como Nova York os caras transformam um elevado e seus trilhos em um parque/jardim. Inacreditável! Para completar, andando na Bleecker Street, demos de cara com Olivia Wilde, a Thirteen de House. Um dia muito divertido, diga-se de passagem.

Acho válido você adicionar um dia despretensioso no seu roteiro e se deixar surpreender com o que encontrará pelo caminho.


MAIS FOTOS NO FLICKR DO RAPHANOMUNDO

23.1.12

New York: Dia 6


Programamos um dia light para o sexto dia, principalmente porque eu estava começando a ficar gripada. É, amigos, neve, sol, frio, calor, muita caminhada, pouco sono, tudo junto e misturado num período de 10 dias é para os fortes. Começamos a quarta-feira dando um pulinho no grande complexo Rockefeller Center e paramos para admirar mais uma pista de patinação charmosa. Lá perto, na 5ª avenida, fica a Saint Patrick's Cathedral, que é belíssima. Um prédio no estilo gótico, que destoa, mas ao mesmo tempo é completamente integrado à dinâmica e arquitetura da cidade, lindo. 

O Atlas


Pista de patinação do Rockefeller Center


Saint Patrick's Cathedral

Batendo mais um pouco de perna pela famosa avenida fica difícil não sucumbir às compras e lá fomos nós descobrir e adorar a Uniqlo, loja japonesa de roupas básicas e confortáveis com preços bem convidativos. Recomendo a visita. 

Depois das compras, usamos mais uma vez nosso New York City Pass e fomos ao MoMA. Dedicamos muito tempo ao museu. Seu acervo é imenso, genial e um sonho para qualquer pessoa amante da arte e do design. Pude ver "ao vivo" as obras pop de Andy Wahrol, Vik Muniz, as esculturas Alexander Calder, mais obras do incansável Picasso, Mondiran, pinturas lindas da mexicana Frida Kahlo, mais um sem fim de artistas. O MoMA é um museu para ir com tempo, caso esse seja o teu tipo de passeio, lógico. A "lojinha" (que não tem nada de inha, é uma super loja) do museu me fez morrer lentamente, compramos várias coisas legais. Essa é outra parada que demanda mais um tempo, tem muita coisa bonita e criativa nessas lojinhas e é preciso um olhar apurado pra não sair comprando tudo o que aparece pela frente!








Horas depois deixamos o MoMA e fomos procurar o que comer. Como a nossa próxima parada seria na B&H Photo, achamos melhor ir comer lá perto e paramos no T.G.I. Friday's da 34th street. De lá caminhamos até o paraíso dos eletrônicos, um oásis para os amantes da fotografia. Mesmo que não vá comprar nada na loja, vale a visita. Já era noite quando deixamos a loja e decidimos ir ao TKTS da Times Square afim de ver se havia algum ingresso promocional para algum espetáculo da Broadway. Para a nossa sorte Memphis, nosso número 1 da lista, estava com 50% de desconto dos lugares que ficavam na "boca do palco". Compramos as entradas e fomos ao Shubert Theatre. O teatro é lindo e as fotos que conseguimos tirar não fazem jus de forma alguma à beleza do ambiente, mas servem para mostrar como estávamos bem perto do palco. Outros detalhes da apresentação vocês podem ler no post que escrevi lá de Nova York, no calor da emoção. 

Hambugão do T.G.I. Friday's

Teto do Shubert Theatre

Pertinho do palco para ver Memphis

Após quase duas horas de apresentação, nós saímos para jantar no Tony's DiNapoli, restaurante italiano no estilo família, como o Carmine's. Fomos atendidos por um garçom super atencioso e comunicativo, que nos recomendou o caprichadíssimo Home Made Fettuccine Alfredo ($21.95) e para brindar a noite, um Merlot. E de light, nosso dia não teve nada! :) 

Fettuccine Alfredo do Tony's DiNapoli

Após dias cada vez mais incríveis na capital do mundo nós começamos a perceber porque é quase impossível não se apaixonar por Nova York. 

15.12.11

New York: Dia 4


Depois de uma breve pausa para curtir meu aniversário, conhecer Campos do Jordão e realizar alguns sorteios aqui no blog, retomo com vontade os posts de NYC. No geral os dias foram bem aproveitados, caminhamos bastante, não teve mais chuva ou neve, pegamos no máximo, dias nublados, mas estava tudo certo. Afinal, acho que Nova York deve ser legal até chovendo canivete, né?

O 4º dia da viagem começou com uma parada no incrível American Museum of Natural History, (Ross Geller Feelings) confesso que o marido é quem mais se esbalda nessas paradas, mas o museu é enorme e muito interessante. Por sorte não pegamos um dia muito cheio, então estava bem tranquilo de passear. Ainda garantimos nossas entradas para assistir à apresentação do documentário Journey to the Stars no Hayden Planetarium, incrível, belíssimo e muito bem escrito, esse foi um dos pontos fortes da visita. Outro ponto forte são as lojinhas espalhadas em cada ponto do museu vendendo os mais interessantes brinquedos, jogos e souvenires. É impossível passar sem levar nada. Além das nossas comprinhas, foi lá que nós provamos a "comida de astronauta", nosso escolhido foi sorvete de creme e cookies. Risos. É gostoso, mas se o coitado do astronauta só se alimenta disso mesmo, vai ter muita gente desistindo do sonho! 

Estátua em frente ao Museu de História Natural

Típico ônibus escolar em frente ao Museu de História Natural

No interior do Museu

Vai um cookies and cream, aí, astronauta?

O museu fica grudado ao Central Park, então, quando deixamos o prédio do museu, atravessamos a rua e entramos no parque. Fizemos uma caminhada tranquila cortando lado a lado do parque mais famoso de Manhattan, fotografando a paisagens, as pessoas e a neve que ainda estava por lá… Eu achei o Central Park um tanto quanto romântico, casais nos barquinhos na lagoa, nas charretes, nos bancos.. ah, os bancos, com declarações de amor, amizade, pedidos de casamento… o ritmo frenético da cidade diminui, e muito, dentro daquele parque. Ótimo passeio.

Central Park

Pedido de casamento :~ 

Charrete

Já do outro lado, na 5th ave, sem nenhuma estação de metrô muito perto, resolvemos pegar um ônibus, descemos na 42nd St. e andamos sem muito destino procurando um lugar para comer. Como estava bastante frio, a vitrine do Cafe Metro me chamou a atenção com várias sopinhas, mas lá dentro acabei escolhendo uma massa à bolonhesa. Comida boa, rápida, com cara de comfort food e não pagamos mais de $10 no prato + bebida. 

Massa à bolonhesa no Cafe Metro

Depois de satisfeitos olhamos no mapa e vimos que o Bryant Park era ao lado de onde estávamos. Fomos correndo pra lá ver se a pista de patinação no gelo já estava aberta. E não é que estava? Contei tudo nesse post aqui, pois mereceu mesmo um capítulo à parte na história. Passamos boas horas no parque, até que escureceu e era a noite do dia 31 de outubro que estava chegando. O dia todo Nova York já vinha com uma vibe meio diferente, homens, mulheres e crianças, nas ruas, no metrô e nos ônibus, fantasiados para curtir aquele que é o grande carnaval americano, o Halloween. Como muitas coisas nessa viagem, também foi a primeira vez que curtimos o Halloween de perto e pudemos observar como as pessoas são tomadas pelo espírito da festa. Quando a noite vai chegando aí é que mais e mais personagens vão surgindo do nada e, como num passe de mágica, você se encontra em um diner rodeado dos mais diversos tipos de fantasia e quem começa a parecer estranho é quem está com trajes normais. No mínimo, divertido!

Enquanto a parada não começava de fato, fomos ao Good Stuff Diner, bebericar uma cervejinha e jantar. A essa altura do campeonato já estava tarde e a gente precisava de energia para acompanhar parte da Halloween Parade. Comida muito boa MESMO desse diner, hein? Depois descobri que ele foi eleito pela Time Out em 2008 o melhor diner de Manhattan. Um super acerto, digamos!

Budweiser  + Buffalo Wings $8.25

Good Stuff Burger $6.95

A parada em si é algo muito divertido, mas é mais engraçado ver as pessoas fantasiadas do que esperar pelos carros alegóricos que passam de tempos em tempos. Três coisas me deixaram impressionada observando toda aquela gente: a primeira é que o povo não sabe lidar muito bem com multidão, esbarram muito, são bem rudes, na verdade. Acho que, nesse sentido, brasileiro já é pós-graduado em fuzarca (alô, anos 40/50, que gíria é essa?!), né? A segunda foi a quantidade de polícia e a organização deles. Surreal. E a última foi esse monte de gente e nem uma única latinha de bebida para contar história, ou seja, uma multidão sem estar sob o efeito do álcool já deve ser algo mais fácil de manter em ordem, acredito.




Por fim, depois de ver parte do engraçadíssimo desfile de dia das bruxas era hora de pegar o metrô para ir pra casa, mas não sem antes dividir o vagão com monstros, enfermeiras, policiais, lady gaga, angry birds e mais um bocado de gente criativa e suas fantasias. Nova York é o máximo!

MAIS FOTOS NO FLICKR DO RAPHANOMUNDO
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...