Mostrando postagens com marcador museus. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador museus. Mostrar todas as postagens

29.7.14

5 museus na Europa que valem a visita

Nós somos aquele tipo de viajante bem chegados numa lista. Antes de pegar a estrada os cadernos e bloquinhos se multiplicam com os mais variados check-lists: o que levar na mala, o passo-a-passo das coisas de casa, documentos... enfim, todos os requisitos necessários para cair no mundo. Em mais de 600 posts que já foram publicados por aqui é inegável a quantidade de dicas preciosas das nossas experiências pelo mundo, mas o que vocês não sabem é que nós fazemos listas ao voltar de viagem. E dessas listas surgiu a ideia de trazer aqui para o blog o resultado do nosso garimpo. Sempre com 5 dicas/opiniões/observações, nossas listinhas são uma maneira mais direta de compartilhar ainda mais o que vimos e veremos do mundo. 

Vamos à primeira:

Ao montar nossos roteiros de viagem, ainda em casa, sempre pesquisamos quais museus queremos visitar. Para nós é inimaginável uma viagem à Europa sem que haja um único museu no caminho. A essa altura do campeonato já visitamos vários, mas ainda são poucos perto do que queremos conhecer. Nessa lista de hoje vão alguns dos nossos queridinhos e imperdíveis:



30.6.14

Visitando o Vaticano

Para quem foi educado sob os preceitos da religião católica, o que é bastante comum aqui no Brasil, a impressão que dá é que quase não se faz distinção entre Roma e a Igreja, isto significa que, ir em Roma e não visitar o Vaticano é quase a mesma coisa de não ter ido.

Para chegar lá, basta seguir a multidão de turistas e fiéis que seguem pela linha A do metrô  até a estação Ottaviano. De lá, é necessário caminhar um pouco na direção da monumental Basílica de São Pedro ou até a entrada para os Museus do Vaticano. Esta não é uma caminhada tranquila, as abordagens de guias e vendedores ambulantes chegam a incomodar, mas sabendo o caminho e de posse dos ingressos, é só se desvencilhar e seguir.

Nós decidimos começar a visita pelos Museus. Por precaução, fizemos a compra online dos ingressos – que é uma recomendação básica, principalmente no verão –, mas nos deparamos com uma entrada vazia e sem filas. Recolhemos nossos ingressos e fizemos a visita aos acervos por conta própria.


23.1.12

New York: Dia 6


Programamos um dia light para o sexto dia, principalmente porque eu estava começando a ficar gripada. É, amigos, neve, sol, frio, calor, muita caminhada, pouco sono, tudo junto e misturado num período de 10 dias é para os fortes. Começamos a quarta-feira dando um pulinho no grande complexo Rockefeller Center e paramos para admirar mais uma pista de patinação charmosa. Lá perto, na 5ª avenida, fica a Saint Patrick's Cathedral, que é belíssima. Um prédio no estilo gótico, que destoa, mas ao mesmo tempo é completamente integrado à dinâmica e arquitetura da cidade, lindo. 

O Atlas


Pista de patinação do Rockefeller Center


Saint Patrick's Cathedral

Batendo mais um pouco de perna pela famosa avenida fica difícil não sucumbir às compras e lá fomos nós descobrir e adorar a Uniqlo, loja japonesa de roupas básicas e confortáveis com preços bem convidativos. Recomendo a visita. 

Depois das compras, usamos mais uma vez nosso New York City Pass e fomos ao MoMA. Dedicamos muito tempo ao museu. Seu acervo é imenso, genial e um sonho para qualquer pessoa amante da arte e do design. Pude ver "ao vivo" as obras pop de Andy Wahrol, Vik Muniz, as esculturas Alexander Calder, mais obras do incansável Picasso, Mondiran, pinturas lindas da mexicana Frida Kahlo, mais um sem fim de artistas. O MoMA é um museu para ir com tempo, caso esse seja o teu tipo de passeio, lógico. A "lojinha" (que não tem nada de inha, é uma super loja) do museu me fez morrer lentamente, compramos várias coisas legais. Essa é outra parada que demanda mais um tempo, tem muita coisa bonita e criativa nessas lojinhas e é preciso um olhar apurado pra não sair comprando tudo o que aparece pela frente!








Horas depois deixamos o MoMA e fomos procurar o que comer. Como a nossa próxima parada seria na B&H Photo, achamos melhor ir comer lá perto e paramos no T.G.I. Friday's da 34th street. De lá caminhamos até o paraíso dos eletrônicos, um oásis para os amantes da fotografia. Mesmo que não vá comprar nada na loja, vale a visita. Já era noite quando deixamos a loja e decidimos ir ao TKTS da Times Square afim de ver se havia algum ingresso promocional para algum espetáculo da Broadway. Para a nossa sorte Memphis, nosso número 1 da lista, estava com 50% de desconto dos lugares que ficavam na "boca do palco". Compramos as entradas e fomos ao Shubert Theatre. O teatro é lindo e as fotos que conseguimos tirar não fazem jus de forma alguma à beleza do ambiente, mas servem para mostrar como estávamos bem perto do palco. Outros detalhes da apresentação vocês podem ler no post que escrevi lá de Nova York, no calor da emoção. 

Hambugão do T.G.I. Friday's

Teto do Shubert Theatre

Pertinho do palco para ver Memphis

Após quase duas horas de apresentação, nós saímos para jantar no Tony's DiNapoli, restaurante italiano no estilo família, como o Carmine's. Fomos atendidos por um garçom super atencioso e comunicativo, que nos recomendou o caprichadíssimo Home Made Fettuccine Alfredo ($21.95) e para brindar a noite, um Merlot. E de light, nosso dia não teve nada! :) 

Fettuccine Alfredo do Tony's DiNapoli

Após dias cada vez mais incríveis na capital do mundo nós começamos a perceber porque é quase impossível não se apaixonar por Nova York. 

16.1.12

New York: Facilidades

Vamos retomar os posts da incrível NY antes mesmo que eu me esqueça de detalhes importantes dessa viagem maravilhosa, sabe como é... a idade vem chegando haha... 



Durante a nossa viagem, usamos três facilidades que foram úteis e econômicas nos nossos passeios em NYC.

MetroCard

Antes de tudo, dependendo do lugar e do tempo que você terá na cidade, vale muito a pena usar o MetroCard, que funciona tanto para as linhas de metrô, quanto para os ônibus. O MetroCard pode ser adquirido nas máquinas de autoserviço que aceitam ou dinheiro ou cartões senão os dois (nem sempre todas são encontradas em todas as estações) e também nas bilheterias.

Nós começamos pelo cartão 7-Day Unlimited Pass, que permite usar o sistema de transporte quantas vezes quiser, até a meia noite do sétimo dia após a compra. Este cartão custa US$ 29. Um bilhete de metrô avulso custa US$ 2,25. Nos dois dias restantes usamos o cartão pré pago, que te dá 10% de desconto no valor regular da tarifa. Mesmo que você prefira curtir a ilha andando, ter a opção de usar o transporte para fazer deslocamentos maiores de metrô ou mesmo o ônibus para ganhar algumas quadras, é conveniente.

New York City Pass

Se for a sua primeira vez na cidade e você quiser ticar as atrações turísticas, uma das pedidas pode ser o New York CityPass.
Existem outras opções de passes que incluem o transporte ou englobam dezenas de atrações, mas nós, que nem queríamos seguir uma programação fechada, acabamos cedendo ao CityPass por uma razão simples: oferecia 5 atrações que não queríamos deixar de ir, no total de 6. O valor do CityPass é US$79. O valor integral das atrações compradas individualmente é US$162.

O CityPass inclui entradas para: Empire State Building, The Metropolitan Museum of Art (MET), American Museum of Natural History, MoMA (The Museum of Modern Art), Statue of Liberty & Ellis Island OU Circle Line Cruise e Top of the Rock OU Guggenheim MuseumO CityPass pode ser comprador online ou adquirido diretamente nas bilheterias de qualquer uma das atrações do passe, pelo mesmo preço. Além do desconto nas atrações, nós pulamos as filas do MET, MoMA e Natural History... Mão na roda!

TKTS

E por último, a não ser que você queira ver um único espetáculo da Broadway, num dia específico da sua viagem, vale a pena visitar um dos guichês da tkts para ver os descontos disponíveis para os musicais ou peças na cidade.

Funciona da seguinte forma: Para espetáculos noturnos no próprio dia ou matinês do dia seguinte, é possível encontrar lugares com até 50% do valor regular do espetáculo. Um Display no local mostra que espetáculos estão disponíveis e com qual desconto. Também é possível consultar os descontos online pelo site ou pelo App via iPhone.
Se você escolher previamente dois ou três espetáculos que gostaria de ver, será maior a chance de conseguir um ingresso. Deve-se chegar mais ou menos uma hora antes do início do espetáculo, ir à bilheteria do tkts, escolher os lugares, pagar e se encaminhar ao teatro pra curtir o espetáculo! Nós fomos de Memphis. Além do desconto, sentamos num lugar incrível!

Usando estas três dicas, acabamos nos preocupando menos e ganhando tempo para aproveitar esta cidade incomparável. 

26.7.11

Berlim - Jüdisches Museum

Ainda nos fazendo valer do Museumspass, um outro museu que visitamos foi o Jüdisches Museum Berlin, ou traduzindo, o Museu Judaico de Berlim. Abrigado em um imponente prédio de arquitetura contemporânea, o museu, que é o maior Museu Judaico da Europa, abriu suas portas em 2001 e conta a história dos Judeus da Alemanha desde a Idade Média até os tempos atuais. O acervo do museu é bem vasto e com certeza não é um lugar para dar uma "passadinha" só para ticar na sua lista. Vá com calma e atenção, pois a exposição é bem montada. A história pesada e sofrida desse povo é contada de uma forma interativa e inteligente, diminuindo assim, a angústia da visita. No começo tudo é bem impactante, mas depois, com o passar de cada instalação, nós podemos interagir e  começamos a descobrir as contribuições judaicas para o mundo de uma forma bem didática. Não é à toa que o Jüdisches Museum está entre os 10 museus mais visitados de Berlim. Ah, foi na lojinha de lá (muito boa, por sinal) que eu comprei o livro para sortear aqui no blog!










U1 / U6 - Hallesches Tor
U6 - Kochstraße
BUS: M29 / M41 / 248
quanto: 5 EUR adulto - portando o Museumspass é só retirar o ticket no balcão.

22.9.10

Buenos Aires - Malba Museo

Ao sair do Jardín Japonés caminhamos (alô dia mundial sem carro) pela longa avenida  Figueroa Alcorta tendo como destino a Floralis Generica (próximo post), mas no meio do caminho nos deparamos com o Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires, o Malba. Com uma arquitetura diferente o prédio imponente logo se destaca na vizinhança. Dois grandes banners chamavam a atenção para duas exposições que rolavam lá dentro: Arte Latinoamericano siglo XX | Geometría en el siglo XX en la Daimler Art Collection. Não pensamos duas vezes e corremos para comprar nossas entradas. Logo no início você se depara com a giftshop absurda do museu, livros, canecas, agendas, toyart e câmeras lomo me causaram logo uma vertigem, mas, ao ver o preços das lomos meus pés voltaram a tocar o solo e fui ver as exposições!

A da Daimler é uma das coleções corporativas mais antigas e famosas da Europa. Foi fundada em 1977 e, a princípio, reunia artistas do sul da Alemanha. Hoje, ela conta com 1.800 obras de 600 artistas do mundo inteiro. Exposição sensacional com várias peças do Andy Warhol. 

Andy Warhol para Mercedes Benz

Andy Warhol para Mercedes Benz

Andy Warhol para Mercedes Benz


Mas o que chamou a minha atenção mesmo foi a exposição permanente do Malba a "Arte Latinoamericano siglo XX". Gente, que acervo incrível! Pra quem é fã de arte mesmo sem ser um grande conhecedor é para ficar emocionado só de estar diante de obras do peso das que compõem essa exposição. Frida Kahlo, Tarsila do Amaral, Botero, Di Cavalcanti, Diego Rivera, Rafael Barradas e mais um monte de gênios! Foi uma grata surpresa encontrar esse museu no meio da nossa caminhada. Até comentei com o marido que se estivéssemos num táxi ou ônibus passaríamos batido por ele. Pura sorte! 


Abaporu - Tarsila do Amaral
Pareja 1923 - Alejandro Xul Solar
Autorretrato con chango y loro - Frida Kahlo

Ao sair do museu passei mais uma vez na lojinha, mas dessa vez virei para o lado esquerdo e descobri uma escada com a indicação "librería". Desci correndo, pois minhas experiências anteriores em livrarias de museus são as melhores possíveis. Bingo! Livraria pequena, aconchegante e convidativa. Vários títulos interessantes, mas os preços de alguns se comparam com os preços brasileiros. Por fim, achei esse pequeno livro das obras de Frida Kahlo por 59 pesos (+- R$30,00). Um achado mesmo. Arrematei com fé! Ainda vem numa sacolinha linda em tecido tnt. 




Mimo total, né? Recomendo muito a ida ao Malba Museo. Voltarei lá sem dúvida alguma!

Onde? Av. Figueroa Alcorta, 3415. Buenos Aires
Quando? Todos os dias, menos terças. Das 12h às 20h.
Quanto? $20 (+- R$10,00)


 imagens: divulgação
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...