Mostrando postagens com marcador peixe. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador peixe. Mostrar todas as postagens

1.3.13

Barreirinhas - Onde comer


Em Barreirinhas tive a oportunidade de almoçar/jantar em alguns lugares legais. Além do almoço em Caburé, durante o inesquecível passeio de voadeira pelo Rio Preguiças, pude jantar no Bambaê, restaurante que também faz parte da Encantes do Nordeste, pousada da minha estada na cidade.
O restaurante fica às margens do rio e é super aconchegante. Na baixa temporada ele abre para almoço, às 11h, dá uma pausa e reabre para o jantar, às 18h. Na alta, ele funciona non stop, a partir das 11 da manhã. O cardápio é bem variado, mas o forte é peixe. E põe forte nisso! Comi um Filé de Robalo assado (R$ 50,00 p/ 2 pessoas), que meu deus do céu, foi o melhor peixe da viagem! Juro. Acompanhado de purê de batatas e arroz, mas sem brincadeira, nem precisava. Amei e até hoje fico com água na boca só de lembrar...

Filé de Robalo no capricho

18.2.13

São Luís (arredores) - Raposa e São José de Ribamar


Um passeio que não pode ficar de fora do seu roteiro é a ida à cidade de Raposa, região metropolitana, a 28km de São Luís. O lugarejo, que abriga a maior colônia de pescadores do estado do Maranhão, é muito simples. Logo na entrada da cidade nos deparamos com as características palafitas, onde são vendidas as rendas de bilro – artesanato tipicamente cearense –, mas que chegou à Raposa por intermédio dos pescadores do Ceará que levaram ao município suas mulheres, as rendeiras. 

Renda de Bilro,  tipicamente cearense,  mas com toda pinta maranhense

11.1.13

Fish and Chips em Hamburgo


Não é novidade para ninguém que eu AMO estar cercada de água, né? Então imaginem como eu adorei escolher um restaurante ao acaso em St. Pauli, nas proximidades  do porto de Hamburgo e provar uma especialidade, hein?

O restaurante escolhido foi o Fischpfanne, que podemos traduzir livremente como frigideira de peixe. Como tava frio pra dedéu, não deu para escolher uma mesinha do lado de fora, ainda que mantinhas estivessem estrategicamente disponíveis sobre as cadeiras. O quentinho do interior amadeirado do restaurante era mil vezes mais convidativo. De dentro temos a sensação de estar em um barco, uma vez que os fundos do restaurante dão para um canal e a frente para outro, de onde saem os grandes barcos e passam navios enormes. Um vai-e-vem sem fim.

Uma pequena parte do gigantesco Porto de Hamburgo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...