Mostrando postagens com marcador ubatuba. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ubatuba. Mostrar todas as postagens

16.1.14

Verão no Brasil



Nesse começo de ano vou postar um apanhado de posts que já pintaram aqui no blog a fim de inspirá-los a curtir as férias. Tem para todos os gostos, mas a primeira leva não poderia ser diferente. Vamos aproveitar o verão?

A gente sabe que não é fácil (nem barato) viajar pelo Brasil, mas com as últimas medidas tomadas pelo nosso governo também não está nada barato viajar para o exterior, né? Os blogs vêm ajudando cada vez mais pessoas a desbravar com prazer cada cantinho do nosso país. Por isso, se você tem planos de curtir uns dias de sol e mar em um dos nossos paraísos, aqui vai um empurrãozinho:

NORDESTE
  • Alagoas:

Maragogi - Conhecendo as Piscinas Naturais de Maragogi: http://www.raphanomundo.com/2013/03/piscinas-naturais-maragogi.html

Maragogi - Passeio de Buggy pelo litoral de Alagoas: http://www.raphanomundo.com/2013/04/passeio-buggy-litoral-alagoas.html

Maragogi - Visitando o Santuário do Peixe-Boi: http://www.raphanomundo.com/2013/04/peixe-boi-em-alagoas.html


13.11.13

Escapadas de fim de semana em SP

Resolvi reunir em um só post os lugares que visitei aqui em São Paulo e que dão uma bela viagem de fim de semana, daquelas onde a gente se desconecta de tudo e volta pra casa pronto para a vida. Vamos arrumar as malas e cair na estrada?!



12.1.12

Bate-Volta em Paraty - parte 2

E aí, vocês ficaram morrendo de vontade de ver a continuação desse passeio incrível? Então vamos a ela!

Lembram quando falei do almoço a bordo? Pois bem, após a primeira parada, os tripulantes passam por todos os passageiros com cardápios e nele constam três opções de refeição para que seja feita uma reserva, assim, as cozinheiras farão a quantidade certa de comida, no tempo exato. As opções foram: Filé de peixe ao molho de camarão, Peito de frango empanado e Strogonoff de frango, todos os pratos acompanham arroz branco, legumes cozidos, salada e custam R$ 25,00. Na escuna funciona um bar/restaurante e são vendidos cerveja R$ 4,50, refrigerante R$ 4,00, água R$ 3,00, sucos R$ 5,00, drinks R$ 10 - 16, cachaça R$ 7,00 e petiscos R$ 20 - 36.

Lagoa Azul, parada do almoço

Almoço a bordo

Outras escunas na Lagoa Azul

O almoço é servido no terceiro ponto, confesso que eles capricharam na escolha dessa parada. Atracamos por volta das 14:30 na Lagoa Azul, uma ilha perfeita, de águas verdes (?) e fizemos uma deliciosa refeição. Pensei que seria desorganizado por ter muita gente na escuna, mas não, é tudo bem organizado e limpo. Ponto positivo para a Estrela da Manhã. Quem optou por não comer algo pode aproveitar pouco mais de 1h de banho de mar. Vidão mesmo!

Barriga forrada, rumamos à simpática praia do Saco da Velha, última parada do passeio. Até pensei que o almoço daria uma desanimada no pessoal, ledo engano, parecia que o passeio havia acabado de começar. Haja pique! Todo mundo desceu e se esbaldou novamente num mar inacreditavelmente cristalino. Sem dúvida alguma nesse passeio eu vi as paisagens mais lindas que tenho ideia. No fim da última parada, já a caminho do cais, o tempo deu uma virada, parecia algo programado. Antes do fim do passeio os tripulantes passam as comandas com os valores finais do consumo a bordo + entradas, o pagamento pode ser feito no cartão de crédito, mas isso só descobrimos após pagar em dinheiro. Ah, na nossa escuna havia uma banda, então, saibam que rola um couvert artístico na conta também. Tudo resolvido, é só esperar a hora da escuna atracar e desembarcar.

Praia do Saco da Velha

A cor da água é fascinante, não?

Barquinhos no Saco da Velha

Para chegar ao carro fomos caminhando pelas ruas do centro histórico da cidade, o que nos despertou ainda mais vontade de voltar e dedicar um tempo justo para conhecer todas as belezas de Paraty.  O passeio de escuna é coisa de um dia inteiro, mas vale muito a pena. Mesmo. Já quero fazer de novo… e de novo!

Casario do centro histórico de Paraty

Casario do centro histórico de Paraty

Casario do centro histórico de Paraty

Vivendo em harmonia

Igreja


E fica a dica, faça o passeio, se possível, na alta estação. O sol tem que ser o companheiro inseparável daquele mar. Ah, e use bastante filtro solar!

TODAS AS FOTOS DE PARATY NO FLICKR DO RAPHANOMUNDO

11.1.12

Bate-Volta em Paraty - parte 1


Como parte do planejamento para a viagem a Ubatuba, pesquisamos o que que poderia ser feito por lá e soubemos de vários passeios de escuna pelas praias da cidade. O marido ficou de se informar se valeria mesmo  a pena contratar o passeio em Ubatuba e descobriu que, se a nossa vontade era passear de escuna, que fossemos a Paraty - RJ, a 60 km da nossa pousada. Eu fiquei meio com pé atrás, afinal já havíamos andado 250 km, mas topei. Demos umas olhadas nas opções de barcos no próprio site da cidade e já fomos com alguns nomes em mente. Na quinta-feira, o céu aberto e o sol apareceram, tal qual fizeram na quarta. Não tivemos dúvidas, organizamos tudo, tomamos café e pegamos a estrada rumo a Paraty. As únicas informações que tínhamos: 1 - os barcos partem às 11 da manhã e 2 - tem um estacionamento junto ao cais.

A estrada Rio-Santos (BR 101) é muito boa, tem vistas lindas e a viagem passa rapidinho. Chegando em Paraty é só pegar a rua principal e ir sempre em frente que você chegará no centro e logo descobrirá onde fica o cais. Para nós não foi tão fácil porque nosso GPS tava meio maluco e não deu o caminho certo, deixamos o carro num estacionamento um pouco mais afastado (R$ 10,00 o dia), mas organizado também. 

A caminho de Paraty

Mirante

Rio-Santos

Chegando ao cais você vai se deparar com uma grande muvuca e as mesas, do lado direito, onde os funcionários das escunas efetuam as vendas. São muitos barcos, de todos os tipos e tamanhos, com música, sem música. Nos foi recomendado pegar um barco grande e assim o fizemos. Nosso barco, o Estrela da Manhã IV, tinha capacidade para 175 passageiros e 3 tripulantes. Uma escuna grande, de 2 andares e bem veloz. O valor do passeio, por pessoa, ficou por R$ 35,00. São 5 horas de duração (como havia muita gente no nosso barco o passeio se estendeu para 6 horas e meia), com paradas em 4 ilhas/praias, a bordo são servidas frutas da estação e cafezinho após o almoço. 

Muvuca no cais de Paraty

Diversas escunas


Paraty vista da escuna


Ao embarcar você ganha um número que servirá de comanda para o pagamento ao final do passeio. 

Tudo isso posto, vamos ao roteiro. Já acomodados na parte superior da escuna, navegamos pela baía da Paraty rumo à nossa primeira parada, a belíssima Praia Vermelha. Encantadora. 40 minutos de pura beleza. A escuna atraca numa profundidade de 4 metros de águas insanamente claras, onde é possível ver o fundo do mar. 
Para chegar até a beira da praia você pode ir nadando ou esperar o bote, mas sinceramente, você perderá uns bons 10 minutos de esperar o barquinho. Optamos por pular da escuna e cair naquela água maravilhosa. 


Meio do caminho

Praia Vermelha

O bote

Timão @ Praia Vermelha

O tempo passa voando e a vontade é de ficar ali pra sempre, mas vamos à próxima parada, né? Afinal, tínhamos um marzão verde cristalino para explorar. 

Chegamos à Ilha do Algodão, maior ilha da baía de Paraty, considerada um aquário particular. A profundidade da parte onde ficamos atracados era de 8 metros, e aí, o mar verde cristalino deu lugar a um verde mais escuro, mas não menos encantador. Foram mais 40 minutos de mergulhos, peixinhos e uma felicidade extrema de ter a oportunidade de vivenciar esse tipo de momento. 

Ilha do Algodão

O verde escuro da Ilha do Algodão

Barquinho particular

Aquário

Mergulho @ Ilha do Algodão

Deixarei vocês com água na boca e voltarei com a segunda parte dessa delícia de passeio amanhã. Stay tunned!


LEIA A PARTE DOIS

10.1.12

Ubatuba: Pousada Todas as Luas


Já falei da praia onde fica a nossa pousada, mas ainda não falei da pousada, né? Mesmo marcando com certa antecedência, mês de janeiro em praia vai ser sempre disputado e não tem jeito, Ubatuba já estava com pouquíssimas opções de estadia no booking, sem contar com o terrível hábito das pousadas brasileiras de não publicarem seus preços nos sites (quando os tem). Mas a Pousada Todas as Luas estava no booking e nos chamou atenção pelo preço justo (R$ 220,00 a diária para o casal na alta temporada, com café da manhã e internet), local e organização. Nosso quarto foi o mais simples da pousada, com ventilador de teto (existe a opção de quartos com ar condicionado), mas de resto tudo é muito parecido: tv de lcd, frigobar, cama de casal e banheiro, tudo simples e limpo. Bem voltada para aqueles que vão com o objetivo de passar o dia na praia, mas querem uma cama boa para dormir à noite. A decoração do espaço em meio à mata é bem legal, muitas flores tropicais, móveis rústicos, objetos de pedra e inúmeras referências ao surf, esporte bastante praticado na praia de Itamambuca.  O café da manhã segue o estilo da pousada, mas bem gostoso: sucos variados, iogurte, café, cereais, frutas, ovos, queijo, presunto, pães, pão de queijo, café, leite, chás e bolos. 














A revelação mesmo fica por conta do restaurante anexo à pousada. Onde é servido o café da manhã das 8:00 às 10:30, a partir das 12:30 até às 21:45, funciona o restaurante Todas as Luas e recomendo que você jante ou almoce lá, senão todos os dias, pelo menos uma vez. Com um cardápio bem variado com opções naturais, vegetarianas, frango, peixe, carne, frutos do mar e massas, a qualidade da comida é excelente, a apresentação muito boa e o preço justo. Para se ter uma ideia, com bebida, entrada, prato principal e sobremesa gastamos cerca de R$ 50,00 por pessoa e valeu muito a pena. Além de não ser na muvuca do centro da cidade, o ambiente é bem confortável e ainda existe um sushi bar. Totalmente autossuficiente, não é preciso deixar a reserva de Itamambuca para nada, caso seja essa a vontade.




A Pousada e Restaurante todas as Luas foram aprovados pelo raphanomundo e, por isso, recomendamos a visita!

9.1.12

Ubatuba: Praia de Itamambuca


Abrindo a temporada de posts 2012 começo falando de praia, sol e mar. Dicas para aproveitar o verão,  época do ano deliciosa e que ainda tem muito chão pela frente. Portanto, conto com a cia de vocês ao longo desse ano e juntos vamos desbravar mais um pedaço desse mundão!
------------

Antes das festas de fim de ano nós procuramos uma praia no litoral de São Paulo para passar uns dias da primeira semana de janeiro e Ubatuba foi bem recomendada por alguns colegas. Decidido o destino, reservamos uma pousada mais para o norte da cidade, pois segundo nos disseram, é nessa região onde estão as melhores praias. 

Em 3 anos de São Paulo essa seria nossa primeira vez no litoral paulista (tirando as idas ao Porto de Santos), ou seja, o negócio tinha que ser em grande estilo ou a gente ia riscar a praia paulista das nossas vidas de uma vez por todas. Na quarta-feira, dia 04, acordamos bem cedinho e pegamos a estrada rumo à praia. Acostumados com o mar praticamente na porta de casa lá em Recife, a ideia de percorrer 250 km é bem estranha, digamos. A estrada é muito boa e tranquila, o que torna a viagem bem mais agradável, só faço uma ressalva: se você não está acostumado com a descida da serra não desça pela Osvaldo Cruz! Juro, minha expectativa de vida diminuiu em 5 anos com todas aquelas curvas surreais. Foram os 20 km mais longos da minha vida. Ressalva feita, voltemos à praia. 

Chegamos a Itamambuca, 17 km depois do centro de Ubatuba, praia frequentada por muitos surfistas e onde ficava nossa pousada. O lugar é muito legal, uma reserva dentro da mata atlântica, cercado de muito verde, mas bem pertinho da praia. Lá dentro tudo parece ser muito seguro, pois a reserva é, na verdade, um condomínio de casas onde para entrar e sair é preciso passar por uma guarita de segurança. Por ser distante do centro, dentro desse condomínio nós encontramos mercadinho, lanchonete, padaria, restaurante, lojinhas e café. Uma estrutura legal para quem não quer ir ao tumultuado centro da cidade. 
Chegando à pousada nosso quarto ainda não estava pronto, mas já fomos preparados para pegar uma praia. Deixamos o carro estacionado e caminhamos pelo condomínio para o lado direito da praia, onde, segundo a recepcionista da pousada, é o lugar em que o mar é mais tranquilo e havia um quiosque. 15 minutos de caminhada e chegamos à Praia de Itamambuca. Mar bonito, aberto e uma paisagem que não estamos acostumados: praia e montanhas no mesmo cenário. Coisa linda!











O lado direito é realmente o mais calmo, porque o mar se encontra com o rio e fica parecendo uma lagoa. Por ser o lado mais tranquilo é lá que crianças e adolescentes têm aula de surf. O quiosque, Paradise Surf, único do local, oferece mesa, cadeira (de plástico) e guarda-sol. Nós optamos por alugar cadeiras de praia mesmo (R$ 5,00 cada) e um guarda-sol (R$ 10,00) – mais caro do que Ipanema – É super comum ver as pessoas chegando com suas sacolinhas térmicas, cadeiras e barracas. Acho que a praia é tão distante que não vale a pena passar só umas horinhas, tem que armar o acampamento mesmo. No quiosque a cerveja e o refrigerante em lata custam R$ 4,00, a água mineral R$ 2,50 e um coco verde gelado R$ 6,00 (ouch). As opções de petiscos e lanches são bem variadas: Camarão à dorê R$ 35,00 e sanduíche natural R$ 9,00. Ao longo da praia é possível encontrar barraquinhas que vendem açaí, coco, hot dog e água. No entanto, se quiser levar a sua térmica e fazer uma farofa, fique à vontade, ninguém vai notar. 

Nós passamos boas 5 horas na praia e matamos as saudades que estávamos de um belo banho de mar. Ouvimos que tivemos com sorte, pois aquele era o segundo dia de sol na região e, de fato, não havia uma única nuvem sequer no céu. 

Começamos 2012 com o pé direito!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...