Tallinn, capital da Estônia, foi nossa última parada nos Países Bálticos antes de partimos para a porção escandinava da viagem, antes disso, porém, passamos pela encantadora Vilnius, na Lituânia, e pela capital Letã, Riga. Com apenas um dia disponível em cada uma dessas capitais – sim, foi corrido, mas totalmente possível –, fizemos roteiros que nos possibilitassem ver o máximo de coisa de cada cidade e em Tallinn não foi diferente, por lá pegamos o primeiro dia de céu aberto na viagem e por isso não a vimos coberta pela costumeira neve de fim de inverno/começo da primavera. Ainda assim, a passagem pela capital da Estônia foi memorável. Portanto, aproveito para compartilhar com vocês 5 coisas que fizemos em um dia em Tallinn. 



 

Percorrer o Centro Histórico | Apesar do frio, o céu limpo azul do fim de março era um convite a percorrer as ruelas do centro histórico de Tallinn. Por ser tão bem preservado, o conjunto arquitetônico, que data do século XIII, foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1997. Uma das mais bem mantidas fortificações medievais da Europa só poderia mesmo chamar a atenção dos mais de 4 milhões de visitantes que passam anualmente pela cidade. Por módicos 2 euros é possível fazer uma caminhada por cima dos quase 2km da muralha original que guarda parte de Tallinn. 




De lá podemos ver 26 torres de defesa, os portões principais da cidade entre outros fragmentos históricos. Nosso passeio pelo centro histórico de Tallinn começou pela Praça da Liberdade – Vabaduse väljak – até chegarmos à igreja ortodoxa russa Aleksander Nevski katedraal, um dos cartões-postais de Tallinn. Nesse momento já estamos na parte alta da capital estoniana, chamada de Toompea, onde encontra-se o castelo de mesmo nome. 

Ver a cidade do alto dos mirantes | Aproveitando que estamos na parte alta de Tallinn, visitamos os 3 mirantes que guardam vistas impressionantes da cidade e seus arredores. Para mim, o mais bonito deles foi o Kohtuotsa, de onde vemos o característico skyline de Tallinn com suas torres medievais, telhados vermelhos e alaranjados, igrejas, gaivotas, o porto da cidade ao fundo e, se tiver muito frio no dia da sua visita como foi na nossa, talvez você tenha a admirável visão do mar que banha a Baía de Tallinn congelado. É uma imagem que fica na cabeça. 


Comer em um restaurante medieval | Após ficarmos embasbacados com a beleza de Tallinn vista do alto, seguimos a caminhada por entre ruelas charmosas seguindo a intuição (e alguns turistas) até chegarmos na Praça da Prefeitura – Raekoja plats – onde estão alguns pontos de interesse sugeridos pelos mapas de turismo tradicional, aqueles que a gente pega no hotel, sabe? Ali estão o prédio em estilo gótico da Prefeitura de Tallinn e a curiosa farmácia aberta por volta de 1400 e em funcionamento até hoje. No coração da capital da Estônia também estão um sem fim de lojas e restaurantes, e foi aí que fui fisgada por uma placa “Sopa cremosa de champignons”. Naquele frio foi impossível resistir ao convite e entramos no Olde Hansa, um restaurante temático que remonta o clima e estilo medieval. 




Ambiente escuro, a luz de velas, bebidas servidas em canecas e talheres de madeira chamados de “weapons”… Não esperávamos fazer uma refeição tão divertida quanto gostosa. Pedimos a sopa de entrada, além da Honey Beer para bebericar e não nos arrependemos. Ainda dividimos o Neptune’s Feast, um prato com uma variedade de peixes acompanhado de pão e a conta deu 40 euros. Satisfeitos, saímos para explorar mais dessa cidade medieval encantadora. E mais uma vez fomos surpreendidos, dessa vez por uma pequena chocolateria francesa, charmosa até não poder mais, onde, por 10 euros, comemos tortas maravilhosas acompanhadas de café como sobremesa. Agora sim, estávamos mais do que prontos para seguir com nosso turismo por Tallinn. 

Ver o pôr do sol no Linnahaal | O dia bonito que fazia nesse começo de primavera em Tallinn seguiu impecável até o fim, por isso pesquisamos qual seria o melhor lugar para ver o pôr do sol na cidade, pois sabíamos que seria um espetáculo que não deveríamos perder. Descobrimos que um queridinho entre os locais é o telhado do Linnahaal, uma imensa construção de concreto erguida junto ao porto de Tallinn pelos soviéticos, em 1980, a princípio para receber a regata olímpica daquele ano, virando um lugar multiuso para eventos diversos. Hoje desativado e agora point de skatistas, grupos de amigos e casais em ensaios fotográficos, o Linnahaal foi, de fato, um excelente lugar para ver de perto as águas da baía de Tallinn congeladas e um magnífico pôr do sol. 



Pegar uma balsa para a Finlândia | Nosso dia em Tallinn acaba providencialmente no porto da cidade. Pois foi dali que partiu nossa balsa com destino a Helsinki, capital da Finlândia. Sim, é possível visitar outro país, a partir dali, de barco e a viagem dura entre duas horas a duas horas e meia. Na verdade, esse é um canal bem comum entre os dois países e constantemente turistas estão fazendo bate-volta em Tallinn a partir de Helsinki e o contrário também. A nossa passagem custou 20 euros por pessoa e a balsa da empresa TALLINK era enorme, um navio, equipado com Burger King – o primeiro flutuante do mundo – e outras lanchonetes, além de lojas Duty Free e lounges




Desembarcamos em Helsinki ainda impressionados com a beleza atemporal de Tallinn e no quanto a capital da Estônia – e suas vizinhas, Vilnius e Riga – tem a oferecer. Os Países Bálticos nos proporcionam um banho de cultura e história por trás de um turismo agradável, sem afetação e massificação, muito diferente da realidade dos destinos europeus mais disputados atualmente. Se animou? Que tal pensar em incluir capitais alternativas na sua primeira (ou próxima) visita à Europa? Pense nisso!