>> Post atualizado em 06/07/2015 <<

Como já comentei no blog, durante nossa viagem a Nova York usamos o serviço do Airbnb e vamos contar por aqui como funciona todo o processo e como foi a nossa experiência. A idéia do Airbnb é boa e parece estar funcionando muito bem. O anfitrião que tem espaço sobrando – um quarto onde mora ou um imóvel vazio –,  pode alugar para hóspedes de qualquer lugar do mundo e também lucrar com isso! O Airbnb está lá para expor os anúncios e intermediar a relação entre hóspede e anfitrião, oferecendo a oportunidade de viajar como um local.



Há três meses, quando conhecemos o serviço e decidimos usá-lo nesta viagem, existiam poucas opções de apartamentos e o preço não estava competitivo se comparado aos hotéis. Hoje, fazendo uma busca rápida, vemos que a oferta cresceu bastante, o que é bom para nós viajantes. Após navegar pelo site e simular algumas buscas, encontramos este anúncio de um quarto em um apartamento em Manhattan (Way Uptown) Atualização (06/07/2015): O apartamento da Jui em Nova York não está mais disponível para aluguel. 

As fotos, a localização e o preço chamaram nossa atenção e sabendo que estaria disponível para as datas da nossa viagem, decidimos reservar! O processo de reserva é simples, mas devem ser observados alguns detalhes importantes, já que tem muita informação equivocada publicada por aí... Por isso, mesmo lendo nosso relato, use a página de ajuda do Airbnb se tiver dúvidas.

Inicialmente é necessário criar um perfil de hóspede, com foto e uma descrição bacana – isto é muito importante para a próxima etapa. Tendo escolhido um anúncio e as datas em que deseja viajar, você verá um preço final para a sua reserva. Este preço vai incluir o valor das diárias estipulado pelo anfitrião, mais alguma taxa eventual (de limpeza, por exemplo) e somado a isso, uma taxa de serviço do Airbnb. No nosso caso, não houve taxa adicional, só as diárias e a taxa de serviço, que foi de 5,6% do valor da reserva (este valor varia de acordo com a duração da estadia, tipo de imóvel, época, etc).

Para fazer um pedido de reserva, você fornece os dados do pagamento com cartão de crédito internacional (existem outras opções como o paypal). Atualização 06/07/2015: Já é possível pagar o Airbnb na moeda local, com cartões de crédito nacionais (Visa, MasterCard, AMEX, Discover e JCB), além de boleto bancário, Hipercard, Elo e Aura. 

Neste momento, o Airbnb valida o seu cartão com a cobrança simbólica de US$1 e envia o seu pedido ao anfitrião. Este, terá 24h a partir desse momento para aceitar ou não o seu pedido. É nesta hora que o perfil do hóspede ganha importância. O Anfitrião quer saber um pouco mais de você e tem liberdade para aceitar ou não o pedido. Se recusar, a cobrança de US$1 é cancelada e você pode procurar outro lugar pra ficar. Se ele não responder em 24h, o pedido é negado automaticamente e a cobrança, também cancelada. Se ele aceitar, a cobrança de US$1 é cancelada e o valor total da reserva é cobrado na hora em que ele aceita. Ou seja: a sua reserva só estará confirmada quando o anfitrião aceita o seu pedido. Pra nós brasileiros, como vocês sabem, é cobrado o valor em dólar, mais o IOF de 6,38%. No nosso caso, a anfitriã estava viajando e sem acesso a internet, portanto não respondeu nas 24h. Algumas horas depois de perder o prazo, ela mesma nos enviou uma mensagem se desculpando e pedindo para refazermos o pedido!

A partir do pedido aceito, a reserva estará paga e confirmada e os contatos pessoais do anfitrião são liberados para que você possa entrar em contato direto. Até então, hóspede e anfitrião só devem interagir com o Airbnb e não entre si (a nossa anfitriã nos contou que existem alguns hóspedes que tentam negociar o preço por fora, o que torna tudo muito perigoso). Aqui vale lembrar que, como nos hotéis, os anfitriões podem criar políticas de cancelamento de reserva e de bloqueio de segurança para danos materiais. Tudo isso é avisado antes de fazer um pedido de reserva, portanto, leia tudo com atenção!

A partir deste ponto, é assim que funciona:
  • Você organiza a sua chegada diretamente com o anfitrião;
  • O pagamento da reserva é feito ao Airbnb no momento que seu pedido é aceito mas só será repassado ao anfitrião 24h após a sua chegada. Isso significa que o hóspede tem a segurança de, em até 24h depois da sua chegada, demonstrar qualquer insatisfação. Por exemplo, se o lugar não condiz com o que foi apresentado no anúncio, seu dinheiro estará protegido e o Airbnb irá interferir e ajudar a encontrar uma solução;
  • Se o anfitrião exigir, no dia da sua chegada será feito um bloqueio no cartão de crédito (para eventuais danos/reparos), no valor que ele estipular (no nosso caso, foi feito um bloqueio de US$200). Caso não ocorra nenhuma reclamação do anfitrião em até 48h após o check-out, o bloqueio será liberado automaticamente;
  • As regras da casa são apresentadas na hora da chegada e não há nenhuma transação financeira entre hóspede e anfitrião diretamente.

Burocracia entendida, vamos ao relato da nossa hospedagem...

Nós ficamos no apartamento da Jui (o apartamento da Jui não está mais disponível para aluguel) em Washington Heights, lado Way Uptown da ilha, super tranquilo. Tivemos muita sorte de conhecer e conviver com uma New Yorker super simpática e amigável. Depois do período que passamos lá, fizemos um review público, que transcrevemos aqui:

"A nossa estadia no apartamento de Jui foi um dos pontos altos da nossa viagem a New York. Desde a nossa chegada nos sentimos extremamente à vontade e confortáveis. Sobre o apartamento: ele fica numa vizinhança tranquila e segura (com supermercado, banco e alguns restaurantes) e com uma estação do metrô linha A a apenas 5 minutos de distância a pé. Com o metrô, são apenas 20 minutos até downtown. O quarto que você encontrará é grande, confortável, limpo e funcional! Cama queen size e travesseiros confortáveis, guarda roupa e cômoda com gavetas para acomodar suas coisas, luz de leitura, espelho, sinal Wi-fi e alguns guias para turistas (e não turistas) de New York, tudo à nossa disposição. O banheiro está sempre organizado e aquecido... Detalhe para o cheirinho do sabonete para as mãos que vai acompanhar você pelo resto do dia! A cozinha de Jui é um paraíso para quem gosta de cozinhar. Ela tem todos os acessórios que você possa imaginar e nos deixa à vontade para usá-los. Você ainda poderá ouvir música enquanto está na cozinha. Se você quiser, ainda poderá compartilhar a sala de TV, que é onde a Jui irá dormir enquanto você se hospeda com ela. Mas no nosso caso, ficando apenas 9 dias, não tivemos tempo pra ver TV. Sobre o café da manhã: na nossa chegada, ganhamos uma prateleira vazia na geladeira (para abastecermos caso a gente quizesse fazer outras refeições no apartamento) e a prateleira que ela abastece exclusivamente para o nosso café da manhã, que tinha suco, leite, geléia, manteiga de amendoim, presunto, bacon, ovos, manteiga... fora da geladeira, pão e cereais. Tudo muito bem pensado para um bom café da manhã. Durante a nossa estada, alguns dias nós preparamos o nosso próprio café e em outros Jui deixou tudo pronto para quando acordássemos (só indo lá pra saber o cardápio gourmet que ela faz). Sobre a atmosfera: Desde o primeiro minuto, entendemos que aquela é a casa da Jui e que nós estávamos convidados a compartilhar este espaço com ela. Por isso mesmo que tratamos a sua casa como se fosse a nossa, respeitando e cuidando das suas coisas e do seu espaço, sua rotina e seus métodos. Com mais tempo, teríamos ajudado também a limpar, lavar roupas de cama e toalhas, enfim, cumprir as obrigações de quem mora sozinho. Nós adoramos o fato de estar hospedados num apartamento em New York e podermos imaginar como seria se nós mesmos pudéssemos morar ali... E de bônus, você ainda pode brincar com o Mushuu, o seu gatinho gorducho e fofo :] Por último e mais importante, sobre Jui: tudo que escrevemos acima só é do jeito que é porque esta é a casa dela. Jui é uma pessoa extremamente simpática, educada e comunicativa. Nós tivemos a sorte de conhecê-la e conviver com ela durante estes dias. Nós fomos nos conhecendo aos poucos, dividindo experiências, falando sobre as nossas viagens e as diferentes culturas que conhecemos. Jui é o tipo de pessoa que se preocupa em acordar mais cedo para fazer ovos beneditinos pros seus hóspedes... e só ir dormir as 3h da manhã, conversando com eles! Uma pessoa simples, honesta, inteligente e engraçada. Você não irá se arrepender de ficar no apartamento da Jui!"

Alguns exemplos do que Jui nos oferecia no café da manhã:

sweet pancakes

sandwich to go

oatmeal

Toda a nossa experiência com o Airbnb foi bem positiva. Se você pensa em usar, procure depois de ter a sua reserva confirmada, tentar entender de antemão quais são as regras do anfitrião e deixar claro quais são os seus planos durante a sua visita. Isto certamente pode tornar a relação mais amigável e evitar surpresas desagradáveis.

Se você que está lendo já usou o Airbnb, conte como foi a sua experiência!