Maragogi - Piscinas Naturais (Galés)


No Salinas do Maragogi o dia começa cedo, principalmente para aqueles, que como eu, farão o tão aguardado passeio às Galés. Por causa da maré o meu passeio estava marcado para sair às 9h da manhã. Depois de um bom café da manhã - post na sequência, fui ao quiosque da náutica buscar minha máscara e o snorkel (itens inclusos no valor do passeio R$ 75,00 por pessoa). Logo todos os outros hóspedes que fariam o passeio foram chegando e o grupo foi formado. Não mais do que 54 pessoas podem ir no catamarã e só 10 deles podem atracar nas Galés.

Fiz esse mesmo trajeto há uns bons anos, época em que tudo ainda era muito amador e inexplorado. Para se ter uma ideia, da primeira vez que fui às piscinas naturais, cheguei até lá em um barco de pescador, daqueles bem simples. Hoje, descobri que essa parte mais que especial do mar pertence a uma área de proteção ambiental (APA), portanto, existe uma fiscalização e um certo controle da sua exploração, daí o número limitado de pessoas e embarcações.

Grupo reunido, o bom dia – junto com algumas instruções – é dado na beira do mar. Como nessa parte da praia ele é muito raso temos que andar alguns metros até chegar onde podemos subir tranquilamente na embarcação. Durante todo o trajeto até as piscinas mais algumas informações são dadas, tais como: não passar protetor solar imediatamente antes de entrar na água, não jogar lixo no mar,  como contratar o mergulho conduzido, fotografias subaquáticas, etc. Tudo explicado de forma muito bem humorada e, em menos de 30 minutos de uma travessia tranquila, chegamos ao paraíso.











Confesso que está um pouco diferente do que eu lembrava, a quantidade de pessoas, ainda que de forma controlada, está maior do que naquela época, mas o mar... ah o mar! Esse sim continua igualzinho àquele dos anos 90. Consigo reparar em algumas expressões e vejo rostos maravilhados. Não é para menos, até eu, que já tinha visto, estava boquiaberta. Do mesmo jeito que fiquei na primeira vez.

Ao descer você vai se ver cercado de peixinhos (e de fotógrafos oferecendo seus serviços), procure o seu lugar e curta essa experiência renovadora. O passeio dura cerca de 2 horas, metade desse tempo você passa entre peixes, corais e uma água cristalina. A outra metade se divide entre expectativa e êxtase. Sensações para se guardar pra sempre na memória.


Comentários

  1. meldels, tava precisando disso hoje! q lindo, rapha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é lindo, lindo. absurdo de lindo. não canso de repetir!

      Excluir
  2. Post lindo, lugar lindo Rapha! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. você vai AMAR, Nay. vai lá correndo. e aproveita por mim :)

      Excluir
  3. Rapha que cor de mar é essa?!! As fotos dão vontade de mergulhar aqui do outro lado do computador! :-)
    Coisa mais linda!!! bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Surreal, né, Guta? É inacreditável, quase. Lindo demais <3

      Excluir
  4. Oi, Rapha. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie - Boia Paulista

    ResponderExcluir
  5. Boa noite Rapha,
    Vi seu posto no site Viaje na viagem. Estou querendo ir para Maragogi. Estou em duvidas em relação ao hotel. Dizem que a praia em frente ao grande Oca é mais bonita. Só q li relatos não muito bons em relação aos serviços de lá.
    Vc teria alguma preferencia?
    grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Flávio! Olha, não conheço o Gran Oca, mas posso atestar o excelente serviço do Salinas. No caso desse resort, o rio que corta a sua propriedade, dando um charme todo especial ao lugar, deságua bem próximo, por isso a água do mar bem na margem é mais turva. Quando a maré está seca você tem que obrigatoriamente entrar um pouco mais no mar para poder tomar banho, chegando assim, na área de águas claras. Já com a maré cheia a água fica bonita em qualquer ponto. Espero ter te ajudado.

      Boa viagem :)

      Excluir

Postar um comentário