Roteiro: Um fim de semana em Foz do Iguaçu

A região da cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, tem atrativos turísticos para viagens de muitos dias, desde aquelas de férias, com uma boa duração, passando por um feriadão, chegando até a mais ousada: um fim de semana. Obviamente que a última opção foi o meu caso e eu pude comprovar que, com dois dias completos, dá para conhecer uma das sete maravilhas da natureza e ainda dar um pulinho no Paraguai e na Argentina. Duvida? Leia mais sobre as minhas 48 horas na tríplice fronteira a convite da Loumar Turismo:





  • Quinta-feira (28/05)

23:03 | voo com a Gol Linhas Aéreas CWB – IGU;

  • Sexta-feira (29/05)

01:00 | Chegada e Check-in no Hotel Bella Italia – Procedimento eficiente, hotel tradicional na cidade de Foz do Iguaçu, tem instalações clássicas, quartos limpos, cama confortável com palha italiana no travesseiro desejando uma boa noite de sonhos doces. Além da hospitalidade, o Bella Italia é conhecido por sua cozinha, com um café da manhã farto – dos mais completos que já vi, com itens que vão desde sopas e caldos, até ovos nas mais variadas formas. Outro hit do hotel, sem dúvida, é a Noite Italiana, conhecida como o jantar mais tradicional de Foz do Iguaçu;



08:00 – 12:00 | Compras no Paraguai – Após o café da manhã o transfer chega pontualmente ao hotel e não espera nem um segundo. Com todos a bordo e hora de retorno marcada (veículos partem em  retorno à Foz às 12:00 | 15:00 e 17:00), em menos de 20 minutos atravessamos a fronteira e chegamos ao Shopping del Este, ponto de partida para um mundo de compras aos pés da Ponte da Amizade. Como compras não são o meu forte, não achei Ciudad del Este para principiantes, mas, sabendo onde entrar, encontra-se produtos com preços atrativos, como é o caso dos eletrônicos e equipamentos fotográficos da Mega Eletrônicos e dos cosméticos da Monalisa;




12:30 – 14:00 | Almoço – Já em Foz, o almoço foi no Dolce Vita, restaurante do Hotel Bella Italia, aberto ao público, que no horário do almoço trabalha com pratos executivos muito bem servidos.  O tempero é bem caseiro e um Filé à Parmegiana acompanhado de salada, arroz, feijão e fritas sai por R$ 54,00, dependendo da fome até 3 pessoas comem;

14:00 – 17:00 | City Tour por Foz do Iguaçu – Em três horas de duração uma Foz do Iguaçu plural se descortina bem a nossa frente. Com paradas no Marco das Três Fronteiras, na Mesquita de Foz do Iguaçu e no Templo Budista, após esse passeio fica mais fácil entender a dinâmica da cidade. Na primeira parada, no Marco das Três Fronteiras, observamos os outros dois países que fazem fronteira com o Brasil – Argentina e Paraguai –, além dos rios Iguaçu e Paraná. Já num segundo momento, na Mesquita de Foz, mulheres recebem véus para cobrirem os cabelos em sinal de respeito à religião muçulmana e as vestimentas, tanto de homens quanto de mulheres, tem que ser respeitosas. No interior da Mesquita é possível fotografar e, se sobrar um tempinho na visita, dá para incrementar ainda mais o passeio visitando a doceria árabe Almanara, que fica logo ao lado. Destaco o Bolo de Açafrão, maravilhoso. A última parada, no Templo Budista, fecha esse tour diverso de forma muito zen. Um dos maiores espaços de contemplação budista da América Latina é grandioso mesmo, seu tamanho é diretamente proporcional à paz que encontramos ali. Sem dúvida um dos recorridos mais sensíveis que já pude fazer;






19:00 – 22:00 |  Jantar no Taj Bar Foz – Ainda na linha zen/oriental do city tour da tarde, a noite do Taj Bar é das mais concorridas. Entre drinks, petiscos e uma música animada, a noite pode ir longe. Aos que preferem relaxar e repor as energias para o próximo dia, dá para curtir o clima de lounge e optar por jantar ali mesmo. O Taj de Foz do Iguaçu, para mim, serviu o melhor prato das três casas que conheço, o Maharajah Prawn Curry, vale a pena experimentar essa explosão de sabor. Ah, dedique uma olhada mais demorada à vasta carta de drinks;

 



  • Sábado (30/05)

08:00 – 17:00 | Parque das Aves | Cataratas do Iguaçu – Essas serão as horas mais puxadas desse roteiro, mas vá por mim, valerão muito a pena. Pois é nesse momento que a gente vai conhecer o que faz Foz do Iguaçu ser detentora de uma das sete maravilhas da natureza. A primeira parada é no Parque das Aves, o maior da América Latina do gênero, foi inaugurado em 1994. Com mais de 1.100 animais de cento e quarenta espécies, metade do seu contingente é oriundo de resgate de maus tratos e tráfico. O parque é muito bem cuidado, não tem pinta de zoológico tamanha a proximidade visitante/bichos. Em pouco mais de duas horas de passeio é possível entrar nos viveiros que se misturam à mata e observar as aves que chegam a dar voos rasantes sobre nossas cabeças, um deleite para crianças e adultos. Ali se pode ver tucanos, flamingos, seriemas e corujas de pertinho, além de poder entrar no maior viveiro de araras do mundo. Ao final do passeio não deixe de garantir sua foto com uma arara mansa.





Muito próximo ao Parque das Aves está o Parque Nacional do Iguaçu, onde estão as Cataratas do Iguaçu. A grandiosa estrutura do parque impressiona, depois de paga a taxa de entrada (R$ 31,30 – para adultos brasileiros), nós somos encaminhados para os ônibus de dois andares que fazem um percurso por dentro das dependências do parque. Desci na parada “Trilhas das Cataratas”, onde fiz uma caminhada de cerca de 1,5km com vista para o conjunto de quedas d’água das Cataratas. Com diversos mirantes e pausas para fotos, a caminhada quase não é sentida, ao final chegamos ao acesso à Garganta do Diabo, a mais icônica das quedas, com 90 metros de altura. A força da natureza é sentida de muito perto, uma energia que é quase impossível de descrever. Eu poderia dizer que somente um par de olhos é pouco para dar conta de tanto, deveras emocionante.





Após tanto gasto de energia, uma pausa para almoçar se faz necessária. Obviamente que, estando nas Cataratas do Iguaçu, o almoço é com vista para o rio no restaurante Porto Canoas. O complexo abriga ainda cafeteria e lanchonete, mas o restaurante, tipo buffet, tem boas opções de pratos variados. Comida gostosa, honesta e, aos sábados, para deleite dos turistas internacionais, é possível provar uma feijoada com vista para as Cataratas. Ali mesmo se toma o ônibus double-decker rumo à parada “Macuco Safari”, um passeio de barco que fecha com chave de ouro essa visita ao Parque Nacional do Iguaçu. O passeio se divide em 3 etapas: A primeira consiste em um recorrido em carro elétrico até o início da trilha, que corresponde à segunda etapa. Em 15 minutos de caminhada leve o guia nos apresenta um pouco da fauna e flora do lugar, nos deixando na cara do gol para a terceira e última fase do trajeto, o passeio de barco até as quedas d’água. Antes, é preciso deixar todos os pertences no locker, pois é um passeio molhado. Portanto, câmeras e celulares só à prova d’água ou em cases, muito bem protegidos. É recomendável levar um chinelo ou sapato impermeável e uma muda de roupa para troca pós-passeio. De resto, o Macuco Safari é pura diversão, além de ser indescritível a sensação de ver as cataratas tão de perto e ainda poder tomar um banho nelas. Um dia memorável. Vale ressaltar que o passeio é radical, mas é executado com muita segurança.




18:30 – 23:00 | Noite na Argentina – Mesmo com um dia muito cheio a possibilidade de passar uma noite no país vizinho não deixa a adrenalina cair. O transfer que nos leva a Puerto Iguazú parte pontualmente do hotel às 18:30. Dentro do micro ônibus o guia recolhe os documentos a fim de agilizar o processo de imigração (aqui fica uma dica: dá para imigrar usando o RG – expedido nos últimos 10 anos – mas aos viajantes que não dispensam um carimbo, levem o passaporte). Imigração feita, a noite começa no Icebar PuertoIguazú. A uma temperatura de -10ºC o visitante disfruta de meia hora de open bar e muita música. Os drinks oferecidos não são lá essas coisas, mas o inusitado e o folclore garantem um bom momento. Vale a visita.



Antes do jantar, duas paradas estratégicas para compras: Vinoteca Don Jorge (com degustação de vinhos e tapas, além de vinhos a preços bem atrativos) e Capriccio Alfajores &Gourmet (com degustação de alfajor, doce de leite, queijos e salames – vale dar uma olhada na seção de temperos). Para fechar a noite, uma parrilla argentina. Dá para contratar o passeio já com o jantar incluso ou procurar onde jantar por conta própria. Facilito a sua vida e listo algumas opções de onde comer em Puerto Iguazú: El Quincho del Tío Querido, Aqva, La Vaca Enamorada, Parrilla Pizza Color, todos relativamente bem colocados no Tripadvisor e bem recomendados por leitores do blog. Nossa opção de jantar foi o Il Fratello, dos mesmos donos da Pizza Color. Com um cardápio não tão vasto, mas oferecendo um pouco de cada opção, não tinha como ser diferente, fui de Bife de Chorizo com redução de malbec e papas rústicas. Tiro certeiro. A demora e o atendimento fraco foram ofuscados pela qualidade do prato oferecido.




  • Domingo (31/05)

9:50 | Voo com a Gol Linhas Aéreas IGU – CWB;
_______________ 

Esse roteiro é a prova de que dá para conhecer Foz do Iguaçu em dois dias. É corrido? Sim. É cansativo? Sim. Claro que alguns atrativos ficaram de fora, como a icônica Usina de Itaipu Binacional, mas eu diria que conheci a Foz do Iguaçu clássica, lançando mão de um roteiro tradicional, contemplando um pouco de cada faceta. Com mais dias, ou outros objetivos, é possível montar diversas combinações de roteiros, só não dá pra dizer que não dá para conhecer Foz do Iguaçu em um final de semana. Porque, amigos, a única coisa que não dá é não ir conhecer Foz!

SERVIÇO

Reserve aqui >> Hotel Bella Italia – Tarifas a partir de R$ 184,00 – Em apartamentos sigle na baixa temporada

Loumar Turismo – Leva e traz Paraguai – R$ 55,00 | City Tour – R$ 60,00 |  Circuito Iguazú Completo – R$ 179,00  

Parque das Aves – R$ 24,00 para brasileiros – Diariamente das 8h às 17h

Parque Nacional do Iguaçu – R$ 31,30 para adultos brasileiros 

Porto Canoas – R$ 58,00 – Diariamente das 12h às 16h

MacucoSafari – R$ 177,00 – Diariamente das 9:00 às 17:30 a cada 15 minutos


>> O raphanomundo viajou a Foz do Iguaçu a convite da Loumar Turismo.




Comentários

  1. Adorei seu resumo sobre a nossa viagem! :)
    Ainda lembro dos gritos no Macuco! heheheheheheh

    ResponderExcluir

Postar um comentário