Foto: Flávio Florido / UOL


Elogiar o talento de Amy Winehouse aqui é chover no molhado, ela canta muito e isso é fato. Pena que o público presente no Summer Soul Festival era composto, em sua grande maioria, por pessoas que estavam lá para ver o desastre, para ver a cantora cair ou dar algum vexame. A cada gole em sua caneca (ou a cada passada de dedo no nariz) Amy era ovacionada muito mais do que quando executava muito bem uma música. Confesso que o show foi curto, mas isso não faz o espetáculo ser ruim. O que torna o show ruim é a tensão do público que pairava no ar à espera de confusão.

Sinceramente, eu acho que quem tem que mudar não é  Amy, porque ela sempre deixou claro que era problema. Para mim, e essa é a minha opinião, as pessoas deveriam apreciar mais o espetáculo do que o desastre. 

Vale também elogiar os shows de abertura do Mayer Hawthorne e Janelle Monáe que nos trouxeram performances animadas, cheias de vida e que em shows isolados devem funcionar muito melhor do que ontem.

Ah, e por último agradecer a São Pedro por permitir um sábado lindo de sol e uma noite com um céu estrelado de verão.

Ponto fraco | A produção da Mondo Entetenimento que: 1 - O som poderia ser bem mais potente; 2 - deixou faltar cerveja e água (era comum, durante as apresentações, ver funcionários passando com caixas e mais caixas fechadas das bebidas para colocar no gelo); 3 - cobrou R$ 10,00 por um "cachorro quente".