Desde antes de partimos de São Paulo já havíamos combinado que essa viagem seria mais para descanso do que qualquer outra coisa. Eu já tinha alertado o marido de que Gramado sem crianças é algo mais light (leia-se: alguns passeios e muita comida). Como chegamos à noite, esperamos a manhã seguinte para dar um passeio geral na cidade. Com a luz do dia ficou bem mais fácil de me situar e lembrar dos caminhos, o que não é difícil, pois Gramado tem 3 ruas principais e algumas transversais movimentadas. Moleza. Demos uma volta pela Borges de Medeiros, avenida principal, onde fica a Igreja São Pedro, a Rua Coberta, o Palácio dos Festivais (onde acontece o Festival de Cinema de Gramado) e a maioria das lojas. 
Foi um encanto ver que a cidade continuava do mesmo jeito: bonita, limpa e segura. O marido estava de queixo caído, pois não imaginava que encontraria uma cidadezinha tão bacana assim e, por mais que eu tivesse dito que era muito legal, ele não levou muito a sério. Discípulo de São Tomé o garoto, só acredita vendo! 


Igreja São Pedro

fachada do Palácio dos Festivais

divulgação da Festa da Colônia na Rua Coberta

a charmosa Rua Coberta

ponto de informações turísticas

relógio que fica em frente à loja de kukos

Depois dessa rápida geral nós resolvemos pegar a jardineira que faz um passeio de quase duas horas de duração e mostra toda a cidade. Eu também já havia feito esse passeio, mas não custou nada fazer novamente. Fomos na agência, compramos os tickets para a próxima saída e aguardamos. O motorista da jardineira, que é super cordial, é quem vai contando a história da cidade e dos pontos turísticos pelos quais passamos. O passeio tem duas paradas estratégicas para fotos: no pórtico da cidade e no lago negro. Quem vai com tempo de sobra deve fazer esse passeio para se situar e voltar aos lugares que mais gostou. Por exemplo, se tivéssemos muito tempo teríamos voltado ao lago negro, que é lindo. Ah, o passeio custa R$ 16,00 por pessoa. 


pórtico da cidade de Gramado

o Lago Negro

Praça das Bandeiras

Hortênsia, flor símbolo da cidade

outra opção de city tour, mais rústica, digamos


Gramado ainda tem outros pontos interessantes para serem visitados como o Mini Mundo e a Aldeia do Papai Noel. Em 2005 visitei os dois, mas dessa vez topamos passar esses dois parques. Porém, para quem vai com crianças são passeios obrigatórios! O clima dessa minha segunda vez em nada se pareceu com o da primeira. Fui em junho, começo de inverno, mas para a pernambucana aqui  parecia que eu estava no Alasca. Já agora, em março, os dias eram agradáveis (por vezes quentes) e as noites, amenas. Com sorte pegamos dias lindos de céu aberto e poucas nuvens. Foi muito bom poder rever esse pedacinho da Europa no Brasil. Que se mantenha assim!