Visto EUA - nossa experiência


Como uma viagem não começa só quando a gente sai de casa com a mala na mão, o processo de solicitação de visto também faz parte do planejamento da viagem. Então, se feito com a devida antecedência, as chances de sua viagem não dar certo por causa dessa parte do planejamento são mínimas. 

Por isso, há algumas semanas o marido e eu resolvemos, pensando no futuro e também por precaução, fazer o pedido do visto americano. O que nos motivou foi, além da vontade de visitar o país pela primeira vez em breve, a demora para conseguir agendar uma data – aqui em São Paulo esta espera pode superar 3 meses e meio. 



Antes de tudo, fomos nos informar para descobrir como é o processo, qual a documentação necessária, taxas, etc. Tudo pode ser encontrado na Página de Serviços de Informações sobre Visto da Embaixada dos EUA: http://www.visto-eua.com.br/

É muito importante se informar bem nesta página, pois o processo varia dependendo do tipo de visto que você precisa.

No nosso caso, apenas queríamos solicitar o visto de turismo (B2). O processo iniciou com o pagamento online do agendamento da data da entrevista (valor atual R$ 38). (Não existe mais essa taxa de agendamento. Fonte: Folha de SP) Fizemos isso logo para não perder tempo e só depois continuamos nos informando. Para terem uma idéia, a data mais próxima em São Paulo estava a 3 meses de distância. Recomenda-se imprimir a página de confirmação. Esta taxa é única para um pedido de visto de até 5 pessoas da mesma família. A entrevista também pode ser feita em Brasília, Rio de Janeiro e Recife. A espera varia entre as cidades.

A próxima etapa é preencher o formulário DS-160 através deste link. Este formulário deve ser preenchido e enviado ao consulado no mínimo com dois dias úteis de antecedência da data da sua entrevista. No nosso caso tínhamos 3 meses pela frente, então não nos preocupamos com isto na hora. Pesquisamos sobre o preenchimento do formulário, que documentação você deve ter em mãos para o correto preenchimento (assim como para apresentar no dia da entrevista) e até vimos alguns exemplos de formulários para termos uma idéia do que esperar.

Neste meio tempo, resolvemos adiantar duas coisas:

  • o pagamento da taxa do visto – Cada solicitante deve pagar a taxa (hoje, 140 dólares // 160 dólares  a partir do dia 13/04/2012) diretamente no Citibank, em reais (varia com a cotação do dólar no dia), apresentando o passaporte. É importante apresentar o passaporte na hora, pois no recibo da taxa são impressos o nome e o número do passaporte do solicitante. Nós fizemos isso pessoalmente e com os passaportes originais, mas isso, até onde pesquisamos, não é obrigatório. Outra pessoa pode fazer isto por você, com uma cópia do seu passaporte. Isso deve ser muito útil para moradores de cidade onde não há agência do Citibank.

  • tirar fotos 5x7 que, como vimos previamente, além de uma cópia impressa que deve ser entregue no dia da entrevista, pegamos a versão digital num pen drive para fazer o upload  no formulário.


Cerca de três semanas antes da entrevista, partimos para o DS-160. O formulário é longo, em inglês e deve ser preenchido também em inglês. Certamente esta é a etapa mais importante do processo. Neste formulário são pedidas muitas e variadas informações pessoais, que incluem renda, viagem prevista aos Estados Unidos, lista de países visitados nos últimos anos, endereços e referências de experiências profissionais atuais e anteriores, enfim, um perfil completo de cada solicitante. A minha opinião é que este perfil é que dirá se você terá ou não o visto aprovado.
Ao final, submeter o formulário online significa assinar o mesmo, que na prática, implica em dizer que aquelas informações são verdadeiras.

Formulados preenchidos, deve-se imprimir obrigatoriamente a página de confirmação, sem ela você não poderá fazer a entrevista!

No dia da entrevista, que estava marcada para as 7h15 da manhã, resolvemos chegar um pouco mais cedo para tentar estacionar o carro nas redondezas do consulado. Deu certo, chegamos às 6h e estacionamos na Rua Bento Barbosa. Um flanelinha engravatado combinou o preço, R$5. Existem vários estacionamentos com manobrista e outros que você tem que deixar a chave. Como hoje em dia não é permitida a entrada no consulado com celulares ou qualquer outro aparelho eletrônico, parar na rua foi uma opção razoável, pois nossas coisas ficaram seguras no carro mesmo.

Às 6h da manhã, a fila já estava quase na esquina, cerca de 100 pessoas. A nossa impressão é que a hora marcada para o agendamento é só um controle. Portanto, caso seja possível, o ideal é chegar bem cedo. Mais ou menos uma hora depois a fila começou a andar, tudo pareceu bem organizado, sem tumulto. Primeiro há um check rápido das páginas de confirmação de agendamento, do formulário e das fotos. Para entrar efetivamente no consulado existe também um raio-x, como nos embarques aéreos. Uma vez lá dentro, você é encaminhado para a área de espera, onde há uma bancada de retirada de senhas. Esta é a segunda fila do dia. Neste meio tempo, deve-se escrever o número do cpf no seu formulário – Leve uma caneta!

Para retirar a senha, você diz qual o tipo de visto e obviamente retira apenas uma senha para a família. Logo na seqüência você deve ir ao guichê de pré-entrevista, onde você entrega o passaporte e as páginas de confirmação mais as fotos. A primeira chamada com a senha é para fornecer as impressões digitais. Demorou um pouco para sermos chamados, mas nada incômodo, conseguimos ficar sentados durante a espera (há poucos lugares no geral, então chegar cedo continua sendo vantagem). As digitais são coletadas eletronicamente e os nossos passaportes são devolvidos neste momento. Seguimos para a fila dos guichês de entrevista. Enquanto esperamos, podemos preencher o envelope do SEDEX, que será usado para a devolução dos  passaportes em casa. Mesma família, mesmo envelope. A fila da entrevista é bem longa, mas anda sempre e não há mais a ordem por senha.

Chegada a nossa vez, uma atendente simpática e objetiva nos perguntou em português claro:
  • Qual o parentesco de vocês?
  • Tem filhos?
  • Moram em casa própria?
  • Tem algum bem em seu nome?
  • No que trabalham e onde?
  • Qual o motivo da viagem aos EUA?
  • Já viajaram outras vezes para o exterior? Quais países?


Questões prontamente respondidas, a atendente nos pediu para colocarmos um dedo no leitor de digitais, um de cada vez e, na seqüência, nos informa que os nossos vistos foram concedidos e que deveríamos prosseguir para o pagamento do SEDEX.

Mais uma vez uma fila longa, onde só pode ficar uma pessoa de cada família... A taxa varia de acordo com o seu endereço, no nosso caso, custou R$27 para São Paulo, capital.

Saímos do consulado umas 9h30. Ou seja, mesmo chegando cedo, deve-se reservar meio período para a entrevista.

Cerca de 10 dias depois, nossos passaportes chegaram em casa, com o visto colado e válido por 10 anos.

Apesar de demorado, custoso e relativamente burocrático, a validade de dez anos compensa. O processo de aprovação também é necessário por questões de segurança e para inibir a imigração ilegal. Claro que cada caso é um caso, mas se você tem boas intenções e condições financeiras, não deve ter problemas para ter a sua solicitação aprovada e nem motivo para ficar apreensivo.

Comentários

  1. Excelente post! Esclareceu muita coisa que eu tinha dúvida. Tenho tanto medo de tirar o visto e não ser aprovado pois não trabalho, só estudo... mas meu marido trabalha e ganha bem. Será que meu medo é a toa?

    ResponderExcluir
  2. Certamente sim, Lídia! :)

    Se vocês têm vínculos comprovados com o Brasil, você deve ficar tranquila e dar andamento ao processo!

    Depois volta aqui e conta como foi!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada por me tranquilizar. Pode deixar que volto sim pra contar como foi. Espero que seja pra dizer que conseguimos o visto! :)

    ResponderExcluir
  4. Post muito útil!!!
    Sempre tive uma dúvida, de repente você poderá me esclarecer: o visto de turismo geralmente é concedido por 10 anos, mas se o passaporte brsileiro é válido durante 5 anos, como fica? Quando fizemos um nosso passaporte, a gente pede o visto? Pode "recolar" no novo? Ou a embaixada dos EUA nos envia um outro?(eu queria solicitar um visto, mas como o meu passaporte expira no próximo ano, achei melhor esperar ter o novo!)
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Milena! Se você tem um visto válido no passaporte que venceu, terá que viajar com os 2 documentos em mãos: o passaporte novo e o passaporte vencido contendo o visto válido.

    Espero ter esclarecido sua dúvida. :) Qualquer coisa é só falar!

    ResponderExcluir
  6. quando se é maior de idade, com residencia fixa e trabalho é facil de conseguir visto de 10 anos. quando eu fui aos eua, fui com 15 anos, para a disney, consegui visto de apenas 5 anos, por nao ter trabalho que me prendesse aqui.

    ResponderExcluir
  7. A parte boa de viajar, sair do país, é o fato de ter novas experiencias. O que algumas vezes podem não ser tão boas assim...

    Muito bom, parabéns.

    ResponderExcluir
  8. Muito bom o post! Tbm tenho vontade de tirar o visto, mas tenho tbm o receio de por não ter emprego fixo e ser dona de casa e estudante não ser concedido... porém meu esposo é servidor público federal, acho que tenho chances Rafa?! Muitos dizem que sim, mas ainda assim fico com "medo' hehehe Queria ter pois sempre surge umas boas promoções de passagens pros EUA!

    ResponderExcluir
  9. Lu, não tenha medo. De fato tem muita promoção por aí e como o visto é válido por muito anos, certamente valerá a pena. Se programe e vá com o seu marido tirá-lo.

    Fica de olho nos posts da minha viagem a Nova York, quem sabe eles não te animam?! :)

    ResponderExcluir
  10. ola, Rapha.. eu tenho 22 anos, tenho trabalho fixo a dois anos registrado, mas nao tenho nenhum bem em meu nome.. voce acha que consigo o visto? so vou a passeio com meu namorado para os EUA. obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Provando que você tem vínculos com o Brasil, acho difícil dar errado. Espero que vc consiga! :)

      Excluir
  11. Muito bom mesmo esse post, esclareceu muitas dúvidas que eu tinha! Muito obrigado. Estou começando a planejar minha viagem e to começando mesmo, ainda tenho que tirar passaporte, visto, ver hotel e tudo mais, seu blog está me ajudando bastante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Jr. Planejar uma viagem é sempre bom. Fico feliz que o blog esteja te ajudando nessa hora. Se precisar de algo é só falar, ok?

      :)

      Excluir
    2. Siiim planejar é muito bom, a ansiedade e as coisas que a gente precisa resolver nos dá mais vontade ainda de fazer logo a viagem. Te mandei um email perguntando umas coisas! Me desculpa mas to vendo que vou te alugar rsrsrsrsrsrs

      Excluir
    3. O e-mail não chegou, Jr. Tô no aguardo! :)

      Excluir
  12. Bem legal a postagem ! Estou naquela tensão pré visto ! No meu caso fiz algo que me deixa um pouco preocupado: Comprei o pacote para os EUA antes mesmo do visto ! A moça da agência me disse que eu ficasse tranquilo, pois as chances eram quase zero, até porque tenho vínculos por aqui como a Universidade,O meu emprego fixo de 5 anos e alguns bens !
    Será que dá certo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ruthyson! Tendo vínculos e estando com todos os documentos certinhos, realmente não há o que temer. No entanto, é um risco que se corre. Espero que dê tudo certo. Quando souber do resultado, se possível, volte aqui para contar :)

      Excluir
  13. Oi Rapha, muito esclarecedor o post! Gostaria de pedir sua opinião. Tenho planos de viajar com meu noivo e um casal de amigos em setembro para San Francisco, Los Angeles e Las Vegas. Estou com medo de não conseguir o visto,a situação é a seguinte:
    -Larguei o emprego em um banco público há quase um ano para estudar para concurso
    -Não tenho imóveis nem carro no meu nome
    -Estou fazendo cursinho para concurso
    -Estou morando com meu noivo (temos declaração de união estável) e ele me sustenta
    -Tenho algum dinheiro guardado (pouco) que poderia comprovar
    -Também tenho as declarações de IR dos últimos 4 anos nas quais não era dependente (pois trabalhava)
    -Meu noivo é funcionário público e tem renda muito elevada, além de imóvel próprio (que aluga) e dois contratos de aluguel no nome dele, e nosso carro que está no nome dele.
    Enfim, a situação dele é muito tranquila, mas a minha é muito suspeita, risos, será que eu conseguiria o visto em virtude desta união estável que temos, ou isso não vale nada para eles?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata, o que eu posso te dizer é que vá munida de todas essas suas comprovações e não minta. Sua situação não é suspeita se você tem como comprová-la! Vai dar tudo certo :)

      Excluir

Postar um comentário