Mais um lugar que entrou no nosso apertado roteiro foi o Pólo Joalheiro. O prédio de uma antiga detenção desde 2002 até os dias de hoje abriga o Espaço São José Liberto. Nesse complexo turístico cultural encontramos uma Capela, um Centro Cultural com espaço fixo para vendas de artesanato e intervenções artísticas. Também é lá que está o Museu de Gemas do Pará e a Casa do Artesão. Uma das celas ainda hoje é preservada para termos uma ideia de como era o espaço enquanto prisão. Garanto que, fora essa parte, o Pólo Joalheiro em nada se parece com um presídio. Hoje o ambiente exala criatividade, muita arte e tranquilidade. 












A entrada é gratuita e lá dentro tem uma boa variedade de artesanatos à venda com preços camaradas. Essa é uma das coisas que nos chamou muita atenção nessa visita a Belém: o preço praticado pelos artesãos. Tudo bem feito, muito bonito e barato. Nós, como turistas, não nos sentimos explorados em momento algum. A vontade é de sair comprando tudo pela frente, peças lindas de decoração, coisas para casa e joias. Dá gosto de prestigiar o trabalho deles!