Semana passada fui convidada para fazer parte de uma ação da GOL Linhas Aéreas Inteligentes para o Dia Internacional da mulher. Faríamos um bate e volta em Porto Alegre a bordo de um voo com a tripulação totalmente feminina. A proposta em si já era bem divertida, uma vez que eu nunca havia voado com mulheres no comando. Mesmo já tendo viajado bastante, e a GOL com um quadro de 6 comandantes e 21 copilotas, eu sequer havia visto uma comandante. 

Na segunda, dia 05, fomos eu, mais 3 blogueiras daqui de São Paulo (Jana, Guta e Deise) e uma equipe da Globo, cobrir aquele que seria um momento histórico para mim. Por volta das 8:30 da manhã fomos apresentadas às instalações da área de comunicação da empresa e depois partimos para tomar um café da manhã e bater um papo descontraído pré-viagem. 

Já no aeroporto de Congonhas recebemos nossos cartões de embarque e fomos até o D.O. (Despacho de Operações) da GOL para encontrar a tão esperada tripulação feminina. Nessa hora elas já estavam interagindo e discutindo como seria o voo até Porto Alegre. Após esse breve momento deixamos o espaço e seguimos em direção ao nosso portão de embarque. Não sem antes fazer uma pausa para várias fotos da tripulação. Foram muitos flashes e eu acho que elas experimentaram um dia de celebridade. 

Tripulação reunida para discutir como será o voo


Rede Globo em ação

Tripulação totalmente feminina: Comandante - Joana, Copilota - Paula Petean, Chefe de Cabine -  Gisele Maya e as Comissárias  - Gisele Cortez, Roberta Aguiar e Tatiane Oliveira 

Nosso avião
Já embarcadas e devidamente acomodadas junto aos demais passageiros, os procedimentos de praxe são executados para que a viagem se inicie. E logo em seguida, o Boeing 737-800 decolou pontualmente sob a responsabilidade da comandante Joana e a copilota Paula Petean. Para mim, que sou leiga, não existe uma diferença clara se tem um homem ou uma mulher no comando, mas em saber que tem, sim, uma mulher pilotando aquele avião, dá um baita orgulho. Tiro o meu chapéu. Como disse durante a viagem, eu não consigo fazer uma baliza com um carro 1.0, imagina colocar um avião no ar? Incrível! Virei fã dessas mulheres!

Durante o voo foi anunciado que aquela seria uma viagem especial, pois estávamos com uma tripulação totalmente feminina e que essa era uma homenagem da GOL para o Dia Internacional da Mulher. Após o anúncio, as comissárias serviram delicados cupcakes para todas as mulheres a bordo. Uma surpresinha bem gostosa, vale salientar. 

Surpresa no ar: Cupcakes!


Comissárias em ação - 1

Comissárias em ação - 2
Uma hora e vinte minutos de voo até Porto Alegre passaram num piscar de olhos e logo estávamos pousando - de forma muito suave - em solo gaúcho. Não chegamos nem a deixar o avião (não disse que seria um bate e volta?) foi o tempo de embarcar os novos passageiros para levantarmos voo mais uma vez. Mais 1 hora e vinte de viagem, mais cupcake, mais bate-papo e rapidinho pousamos em Congonhas. Aguardamos o desembarque de todos os passageiros para, enfim, ter um rápido momento com a comandante Joana e a copilota Paula. Entrei na cabine - momento inesquecível - e pude parabenizá-las pela viagem e dizer que é um orgulho ter representantes como elas nesse ambiente dominado pelos homens. 

Comandante Joana e Copilota Paula

Um dos muitos Boeings 737 da GOL taxiando em Congonhas

Vale ressaltar também que o time de comissárias era impecável, as meninas foram simpáticas e divertidas. Um senhora tripulação formada por: Comandante - Joana, Copilota - Paula Petean, Chefe de Cabine -  Gisele Maya e as Comissárias  - Gisele Cortez, Roberta Aguiar e Tatiane Oliveira. 

E assim terminou esse dia que, para mim, foi cheio de novidade, emoção, boas conversas, risadas e muita alegria. Tive a oportunidade de conhecer muita gente bacana, jovem e de muito talento. 

Agradeço mais uma vez às meninas da Burson-Marsteller pelo convite e à GOL pela iniciativa incrível. É sempre um prazer colaborar com vocês!

-----------------

Em tempo: A primeira mulher no mundo a ter uma licença para pilotar foi a francesa Raymonde de Laroche, em 1910. A primeira brasileira a obter a mesma licença foi a Comandante Lucy Lúpia. E, na GOL, a primeira mulher a chegar ao posto de comandante foi Elisa Rossi, em 2007. 

Para todas as minhas leitoras: feliz dia da mulher!

MAIS FOTOS NO FLICKR DO RAPHANOMUNDO