#cwbparainiciantes: Banca da Sonia

Num dos nossos primeiros passeios – agora como moradores de Curitiba –, foi percorrer a Rua Riachuelo, no centro da cidade. Conhecida por ser a primeira rua de Curitiba, a via tem um comércio de móveis novos e antigos forte. Garimpando bem, encontra-se verdadeiros achados. Para isso, paramos o carro na Praça 19 de Dezembro, que por causa da obra de Erbo Stenzel e Humberto Cozzo, é conhecida sob a alcunha de Praça do Homem Nu.

Praça 19 de Dezembro, conhecida pelos curitibanos como Praça do Homem Nu



Painel assinado por Poty Lazzarotto

Esse lugar bonito do centro da cidade, além das estátuas do homem e da mulher (adicionada posteriormente), conta com um obelisco em pedra e um painel de azulejos azuis e brancos assinado por Poty Lazzarotto. Vale a visita.

E foi por estacionar o carro nessa praça que um cheiro bom me chamou a atenção. Olhando para o canto mais próximo da Rua Riachuelo me deparei com uma banquinha e resolvi seguir o aroma. Dentro da banquinha duas mulheres começavam os seus trabalhos. Olho para a placa/cardápio e vejo os seguintes itens: bolinho de siri / bolinho de camarão / filé de peixe / porção de camarão / cerveja / refrigerante. Por um momento achei que se tratava de uma miragem. Em pleno centro de Curitiba, uma banquinha vendendo coisas do mar assim, sem mais nem menos. Não era miragem, era a mais pura realidade. E o cenário se tornou melhor ainda quando meu bolinho de siri ficou pronto e eu me sentei numa mesinha de plástico na calçada munida de um copinho de pimenta.

O preço dessa pequena felicidade numa manhã de sábado? Singelos 4 reais.

Como não pude parar por aí, experimentei o filé de peixe fresquinho e o marido ainda pediu um bolinho de camarão (que não tava lá essas coisas).

Bolinhos de siri e camarão da Banca da Sonia

Banca da Sonia: Comida de rua que faz sucesso na Praça do Homem Nu

Filé de peixe delícia na Banca da Sonia

Enquanto degustávamos essa descoberta, mais pessoas foram chegando e fazendo os seus pedidos. Houve, ainda, quem estacionasse rapidinho, fizesse o pedido e levasse pra comer dentro do carro a fim de se abrigar do frio. É, tava frio e eu nem senti.


Pra falar a verdade só faltou mesmo o mar, pois já tava me sentindo em casa.

>> A Banca da Sonia vende comida de rua deliciosa todos os sábados até às 14:30.




Comentários