A minha São Paulo

Depois de mais de 6 meses morando em Curitiba, não posso negar que a saudade de São Paulo bate forte. Não dá pra desapegar da cidade que te abrigou por cinco anos da noite pro dia. Nem é a minha intenção...

Por isso, para relembrar alguns bons momentos, resolvi colocar neste post quase tudo que sinto falta na cidade. Na semana ou no fim de semana, seja qual fosse a pedida, para mim alguns lugares eram certeiros:

Pra começar, sinto falta dos aeroportos e de como estar perto deles me fazia me sentir perto do mundo... É muito mais prático estar num hub para inúmeras partes do globo;

Em Guarulhos, conectada com o mundo



O Parque Ibirapuera, pra dar uma boa caminhada, se desconectar da correria do dia-a-dia, tomar uma água de coco, ver muito verde, excelentes shows no Auditório e gente de todas as tribos;

Uma tarde qualquer no Ibirapuera

Clássico: Emicida no Auditório do Ibirapuera

Sagrado Mineiro, na República ou Vila Mariana, pra comer uma boa feijoada no sábado;

Feijoada das boas em São Paulo: Sagrado Mineiro

Espaço Itau de Cinema na rua Augusta, pra ver um filme fora do circuito das grandes salas, ou ir até o Bourbon Pompéia pra ver um blockbuster no IMAX;

Café Creme ou Athenas, para tomar um chopp na região da Paulista;

Sanduíche de pernil (ou um PF dos bons) do Estadão Bar e Lanches, se for de madrugada, melhor;


Na madruga: Sanduíche de Pernil do Estadão


Visitar o MASP e descobrir onde estão todos os turistas estrangeiros que visitam São Paulo, gratuito às terças;

Aos domingos, comer Yakisoba em pé, na rua, na Liberdade e depois arrematar com um Melona;

Liberdade, um pedacinho do Japão no coração de São Paulo

Ver livros novos na Livraria Cultura do Conjunto Nacional;

Hooker, Beco 203, Fun House e Da Leoni, na região da Augusta – onde a noite paulistana ferve –, pra beber, dançar e rir muito;

Bar Birô, no Paraíso, pra comer um bom petisco mineiro;

Chopp gelado e petisco no capricho no Bar Birô

Cerveja gelada e barata no Bar Litrão, na Santos x Consolação (pena que esse eu só conheci aos 45 do 2º tempo);

Visitar a biblioteca do CCSP, na estação Vergueiro;

Levar a família pra comer muito bem na Camelo, no Entrecôte D'Olivier, Carlota e no Bar do Alemão;


Dos prazeres de São Paulo: Entrecôte D'Olivier


Ver as antiguidades e aproveitar a variedade de comidinhas da feirinha da Benedito Calixto;

Fazer os seguintes tours a pé no centro da cidade: Descer na estação , Catedral, Pateo do Collegio, Bolsa de Valores, Mercado Municipal, Largo de São Bento, Viaduto da Santa Ifigênia, prédio dos Correios, Vale do Anhangabaú, Edifício Martinelli, prédio do Banespa e voltar até o Viaduto do Chá e Teatro Municipal. Ou ir à Estação da Luz, Pinacoteca e Museu da Língua Portuguesa (museus gratuitos aos sábados);

A imponente Catedral da Sé

São Paulo vista de cima

Vale do Anhangabaú

Na região do Bom Retiro, no centro, provar o melhor da cozinha grega no Acrópolis, o templo do seu Trasso;

Gopala, na região da Augusta, pra uma ótima refeição vegetariana;

Gopala: Comida vegetariana de qualidade em São Paulo

E, quando a vontade era mesmo de ficar em casa, o pôr do sol paulistano não decepcionava. Era um espetáculo dia após dia, sobretudo no outono.

Mais um dia se vai...

Ah, São Paulo, como você faz falta... Espero que nossos caminhos voltem a se cruzar um dia.


Comentários

  1. Ô meu Jesus!
    Aquele sanduiche do Estadão na madrugada é vida!
    Morrendo de vontade!

    Dany
    www.feriadopessoal.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São mesmo, Dany. Ainda por cima com uma cerpinha gelada... hummmm!

      Excluir

Postar um comentário