La Paloma, um refúgio uruguaio

La Paloma, a hideaway in Uruguay

La Paloma é daqueles lugares com cara de pouca vocação para o turismo, que se sobressai mais por ser um destino de veraneio dos uruguaios que fogem das badalações. Longe de ser uma daquelas cidades que atraem milhares de visitantes de todo o mundo, é nessa característica que reside o seu forte: ser um lugar que não está nos grandes roteiros, no entanto, tem praias bonitas, paisagens encantadoras em um dos mais clássicos cenários praianos do Uruguai. Para quem está percorrendo o paisito de carro ou de ônibus, sugiro nem que seja um dia da sua atenção.

La Paloma is one of those places that seems to have less vocation for tourism than to be the national summer destination for families. Far from being one of those towns that attract thousands of visitors from around the world, that is actually what makes it stronger: not being a must destination and however, having beautiful beaches and charming landscapes. For those who are crossing the paisito by car or bus, I suggest you spend at least one day there.

O nascer do Sol em La Paloma

La Paloma: Uma ode ao mar

Se comparada à bucólica Punta del Diablo, La Paloma, a 90km de Punta del Este, tem uma estrutura muito maior e melhor – por lá já encontramos ruas pavimentadas. Seu terminal de ônibus é bem organizado, a oferta de táxi é justa e, o melhor, os taxistas são corretos. Mas esse tranquilo balneário ainda permite ser explorado totalmente de bike ou a pé. E foi o que fizemos.

Compared to the bucolic Punta del Diablo, La Paloma, 90 km from Punta del Este, has a much better and organized structure – for instance, paved streets. There’s a real bus terminal, the taxi offer is fair and, the drivers use regulated price. But this quiet balneary calls you to fully explore it by bike or by walking and that’s what we did.


Vamos a la playa | Let’s head to the beach 

Banhistas, jovens e cachorro se divertem na praia La balconada
A calma Bahía Chica, ao fundo, a Bahía Grande
Começamos com um fim de tarde caminhando pela praia mais famosa e “badalada” de La Paloma: La Balconada. Por suas ondas vigorosas, lá é o point dos jovens e dos surfistas. Por lá também é que, durante a alta temporada, estão os bares mais descolados de La Paloma. É na Balconada, ainda, que o visitante pode ver o sol se pôr no mar de forma majestosa. Já as praias mais do centro, Bahía Grande e Bahía Chica – localizadas perto do Puerto de La Paloma –, têm águas calmas, limpas e não tão geladas, boas para os que viajam com crianças, ou procuram (ainda mais) tranquilidade. Vale salientar que a quantidade de mexilhões na areia é absurda, ou melhor, tem horas que quase não tem areia, o que se vê são cascalhos, que podem tornar um pouco desconfortável a caminhada, então vá à praia com um calçado adequado.

We began our visit with an afternoon walk on the famous and "trendy" beach from La Paloma: La Balconada. For its strong waves, it is the point of young people and surfers. On the high season, there you’ll find the most crowded bars and, you’ll be able to see the sun setting majestically over the sea. Talking about the other surrounding beaches, Bahía Grande and Bahia Chica - located near the Puerto de La Paloma – they have calm, clean and not so cold waters, perfect for those traveling with children, or seek (even more) quietness. It is noteworthy that the amount of mussels in the sand is absurd, or rather, has almost no sand, what you see is gravel, which can be quite uncomfortable to walk, so remember to use appropriate footwear.

O pôr de sol do verão em La Paloma

O Farol | The lighthouse

O Faro de La Paloma - imponente construção de 1874

Símbolo maior da cidade, o Faro de Santa María, construído em cima do cabo homônimo, é a primeira construção do lugar, que data de 1874. A construção é belíssima e pode ser visitada durante os fins de semana e feriados, das 16:30 às 18:30. Para subir e ter uma das melhores vistas de La Paloma não te cobram mais do que 30 pesos uruguaios. Uma pechincha!

Greater monument of the city, the lighthouse Faro de Santa María, built upon the homonym cape is the first construction of this location, dating from 1874. The construction is beautiful and can be visited during the weekends and holidays, from 4.30 to 6.30 pm. To go up and have one of the best views of La Paloma you won’t be charged more than 30 Uruguayan pesos. A bargain!

O começo da praia que fica às margens do farol
Um farol sempre rende boas fotos


Observação de baleias | Whale watching

Se você viaja fora da alta temporada, pode perder a oportunidade de aproveitar as praias de La Paloma, mas ganha a grande chance de avistar Baleias Francas Austrais no mar. No fim do inverno, entre agosto e setembro, as águas do Departamento de Rocha ganham mais do que bem-vindos visitantes. O avistamento dos cetáceos pode ser feito tanto a partir da praia, quanto a bordo de barcos. Um outro tipo de espetáculo, mas igualmente encantador.

If you travel outside the high season, you may lose the opportunity to enjoy the beaches of La Paloma, but win the big chance to spot Southern Right Whales at the ocean. At the end of winter, between August and September, the waters of the Department of Rocha receive these more than welcome visitors. The sighting of cetaceans can be happen either from the beach, as on board of ships. Another kind of show, but equally charming.

Uma escultura no meio da cidade que recebe ilustres visitantes no inverno

Milanesa e Sorvete, uma dupla imbatível | Beef Milanese and Ice Cream, unbeatable duo
 

A Avenida Nicolás Solari tem várias opções quando o assunto é gastronomia, mas estamos falando de uma cidade pequena que funciona sob a demanda da temporada, ou seja, mais uma vez, não vá esperando encontrar tudo aberto. Nossa sorte foi topar com uma La Pasiva, rede com mais de 40 anos de tradição no Uruguai, especializada em cervejas, chivitos e outros sanduíches. Nesse dia, escolhemos aplacar a fome com uma tradicional Milanesa Pasiva, um prato farto, local, que serviu duas pessoas com bastante fome. Para arrematar, ainda na mesma avenida, um clássico da cidade: Heladería Popi. Sorvete delicioso, pessoal atencioso em um ambiente ótimo.  

The main avenue, Nicolás Solari has several options when it comes to gastronomy, but we are talking about a small city that operates under the demand of the season, meaning, again, that you should not go expecting to find it all open all times of the year. We got lucky to get to one restaurant of the franchise La Pasiva, network with over 40 years of tradition in Uruguay, specialized in beers, chivitos and other sort of sandwiches. On that day, we chose to taste a traditional Milanese Pasiva, a generous dish, local, who served two quite hungry fellows. For desert, in the same avenue, a classic of the city: Heladería Popi. Delicious ice cream, attentive staff and a great atmosphere.

Milanesa La Pasiva para duas pessoas - não se engane: é grande!
Helado de dulce de leche da Popi Heladería

O tempo em La Paloma foi curto, queria ter conhecido um pouco mais dessa cidade de ruas tranquilas, de mar bonito e casinhas com nomes nas portas. Deixamos o vilarejo com uma enorme sensação de paz, a paz que só quem está no caminho certo pode ter.

Our stay in La Paloma was short, but we wanted to have known a little bit more of this beach village of quiet streets, beautiful sea and houses with names on the doors. We left it with an overwhelming sense of peace, the peace that only those who are on the right track can have.



Hasta pronto, La Paloma!  


Comentários

  1. Tenho um carinho especial por La Paloma. Foi na nossa primeira viagem internacional, em fevereiro de 2007, de carro até Buenos Aires. Tínhamos planejado ficar em Punta del Diablo, mas na época lá tinha ainda menos estrutura que hoje. Ficamos meio desanimados e seguimos viagem procurando outra praia na região. Acabamos caindo em La Paloma, sem nenhuma referência da cidade. E como foi gostoso! Já voltei a Punta del Diablo (em setembro, uma experiência totalmente diferente), mas ainda quero voltar a La Paloma também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Camila, posso imaginar quão sem estrutura Punta del Diablo era e como La Paloma devia ser ainda mais pacata. Que delícia! Volta, sim. O mundo tem desses lugares que cativam a gente sem muita explicação, né? La Paloma é um deles!

      Excluir

Postar um comentário