Restaurantes #MasterchefBR em São Paulo

Em meio aos trâmites da mudança, conseguimos tirar uns dias para dizer um “até logo” a São Paulo, cidade que sempre será nossa casa. Mas, ao invés de ir aos nossos lugares do coração, achamos por bem nos arriscar e sair da zona de conforto, a começar pela gastronomia. Com a febre Master Chef que assola o país eu não poderia escolher outros restaurantes. Fã confessa do programa e dos chefs jurados, meu curto roteiro pela capital paulista contemplou duas paradas: Tartar & Co e o La Guapa.



A experiência no bistrô do francês Eric Jacquin foi muito boa. Resolvemos ir na hora do almoço, onde é oferecido além do menu regular do restaurante, um menu executivo. De cara, pedimos chopps Stella Artois geladíssimos (R$8,50). Para o almoço, eu, claro, tinha que provar  um Tartar de Boeuf na ponta da faca “tomperado” (R$59), que veio à mesa numa apresentação de encher a vista. Eu, que nunca havia comido tartar, morri de amores pelo prato. É bem gostoso, bem temperado e servido na medida certa. Já o menu executivo (R$47), que contemplava entrada, prato principal e sobremesa – no caso, creme de cenoura, risoto de açafrão e maminha, foi mais simples, mas não menos gostoso. O destaque aqui vai para o creme de cenoura, aveludado, com um toque de gengibre, tomaria em quantidades absurdas (para citar outro reality show). Para fechar, um delicioso Crème Brûlée à la vanille (R$21), porque ninguém é de ferro.


O ambiente do Tartar&Co é super despretensioso,  as mesas são juntinhas umas das outras, bem no estilo bistrô francês. Intimista, tem uma trilha sonora bem gostosa de ouvir. Se a nossa experiência foi boa no almoço, fico imaginando para um jantar. Localizado em uma esquina da avenida Pedroso de Moraes com a rua  Padre Garcia Velho, em Pinheiros, o restaurante fica bem pertinho do Instituto Tomie Ohtake, excelente para unir o útil ao agradável.

                          eu no meu momento Amélie Poulain


Se o Tartar consegue ser a cara do dono, o La Guapa não foge à regra. Localizado em cima da Livraria da Vila, nos Jardins, o pequeno café de Paola Carosella reverbera tudo aquilo que ela transmite pela TV. É um café sem frescura, simples, direto e reto. Com preços muito acessíveis, é possível se deleitar com as criações dessa chef argentina que coloca o coração na boca do fogão.


A atmosfera do La Guapa convida para uma visita sem pressa alguma. Se possível, leve um livro com você, se desconecte, se conecte com o outro. O lugar é pequeno, mas num dia sem muito movimento, como foi o nosso caso, montamos acampamento em uma das mesas. Pedimos, cada um,  um Menu Guapa (R$27) – salada fresca e duas empanadas à escolha. Para acompanhar, refresco gelado de hibisco.


Queria dizer pra vocês que a salada foi uma das mais gostosas que já comi. Ela tem fresca no nome e não é à toa! Crocante, úmida, saborosa... Só provando pra saber. As empanadas também estavam ótimas, escolhi Frango Caipira Livre e a tradicional Salteña.  E como pegamos muito leve na refeição, escolhemos duas sobremesas para fechar essa incursão na simplicidade da cozinha argentina de Paola. O famoso Tabletón (R$14), bem servido e excelente para dividir, combina  punch e delicadeza de um jeito curioso. Por fim, uma bola de sorvete de Doce de Leite artesanal (R$11).


Para ser melhor, só se os próprios chefs estivessem presentes ali. Mas, de qualquer forma, foram excelentes descobertas em São Paulo. Cidade que não cansa de surpreender e permite, sim, que a gente vá da França à Argentina em poucos minutos. Mais rápido, inclusive, do que ir de Congonhas a Guarulhos.


Comentários