Onde ficar em Salzburg | Hotel-Pension Adlerhof

Muitos dos seus visitantes consideram a visita a Salzburgo como “um passeio” a partir de Munique ou Viena. Como eles estão enganados. Inclusive, Salzburg é muito mais incrível que Munique. Confesso que chegamos até a cogitar um bate-volta a partir de Stuttgart, mas são 5 horas de trem para chegar à cidade, seria insano da nossa parte cair nessa furada. Por isso, achamos por bem reservar um hotel e dormir uma noite por lá, assim, passearíamos com calma e sem nenhuma aflição. 

O centro histórico de Salzburg está cheio de raridades e ótimas opções de hospedagem, como é o caso do tradicional Hotel Elefant, com mais de 700 anos de história. Aliás, foi no restaurante desse hotel que Saramago teve o insight para o seu livro “A viagem do elefante”. Na minha segunda vez em Salzburg sem dúvidas ficarei hospedada nele. 

Dadas as circunstâncias da viagem de última hora, as opções de hotéis na cidade eram bem poucas. Como o objetivo era passear o dia todo e só ter uma cama boa para dormir à noite, resolvemos procurar algo perto da região da estação central (hauptbahhof) de onde chegaria/partiria o nosso trem e de onde partem (quase) todos os ônibus da cidade. 

Escolhemos o Hotel-Pension Adlerhof, que custou 80 euros a diária para o casal com café da manhã e wifi inclusos e tinha nota 7,9 no booking – considerado bom. 


O hotel, que tem 28 quartos, é de administração familiar e bem simples. O check-in foi feito rapidamente e encontramos o quarto limpo e organizado. Apesar de termos reservado um quarto para casal, nos foi dado um triplo, com bastante espaço e banheiro separado do chuveiro, uma boa opção para quem viaja em grupo. O quarto ainda tinha tv com canais a cabo, frigobar e aquecedor. O café da manhã era completo e simples, mas muito satisfatório. Bebidas, pães, frios, geleias, ovos cozidos e cereais estavam à disposição. 


A localização do hotel é excelente, a 5 minutos de caminhada da estação central. O que facilitou nossa vida, pois no dia seguinte, fizemos o check-out, mas cordialmente eles ficaram com a nossa mala. No fim das contas, um bom negócio. 


Não consigo imaginar como os turistas voltam pra casa sem uma pontinha de angústia por passar tão pouco tempo numa cidade tão bonita e com tanto atrativo. Para mim, Salzburg requer, no mínimo, uma noite, porém acho que duas seriam o ideal para uma estada sem pressa e bem aproveitada. Pensem nisso!





SalvarSalvar

Comentários