Roteiro | Um dia em Luxemburgo

Depois de passar por Holanda e Bélgica no nosso #RolêBeNeLux, faltava fechar o roteiro passando um dia nesse país que, pelo seu tamanho, se confunde e se funde com sua capital homônima.

Chegamos em Luxemburgo cedo, vindo de trem a partir de Bruxelas. Era feriado e caia uma chuva fina. A única coisa que sabíamos das nossas pesquisas era que Luxemburgo estava dividida entre a cidade baixa – antiga e mais turística, e uma área nova e administrativa, onde estão instaladas as dependências da administração da União Europeia, assim como a sede de diversos bancos e empresas de comércio (por exemplo, a sede da Amazon na Europa é lá).


Vá até a Villa Vauban para garantir a foto com o letreiro Luxembourg
Deixe-se encantar: Luxemburgo parece saída de um conto de fadas

Sendo a última etapa da viagem, economizamos energia e tempo fazendo algo que nunca fazemos: Compramos dois passes para o ônibus hop-on hop-off (ao invés de usar o transporte da cidade, que em Luxemburgo se resume a ônibus). Mesmo parecendo uma solução para amadores, em Luxemburgo essa escolha foi muito acertada para o passeio de um dia apenas. A estação central e a Praça da Constituição – onde muitos começam um passeio pela capital – não ficam exatamente lado a lado. Assim como a parte nova de Luxemburgo  não chega a ser uma atração em si, então avistá-la de dentro do ônibus enquanto ouvíamos dados sobre o passado e presente da cidade foi bem interessante. A tarifa para um ticket válido por 24h foi 14€/adulto.


Os ônibus de turismo são uma ótima pedida para conhecer Luxemburgo em um dia
Todos os pontos de interesse estão bem sinalizados e é possível subir e descer do ônibus quantas vezes quiser em 24h

City Tour em Luxemburgo

Embarcamos no ônibus e fizemos a primeira parada já na Praça da Constituição. Dali, flanamos até o centro de informações turísticas na Praça Dauphine (onde fica a prefeitura da cidade). O objetivo era conseguir um mapa de um circuito auto guiado pela cidade baixa, o Wenzel Circular Walk.

Place de la Constituition e a Catedral de Notre Dame de Luxemburgo ao fundo
Nessa segunda-feira de feriado em Luxemburgo havia uma feira de antiguidades na Place d'Armes, oferecendo produtos locais, artesanato e comida. Sendo Luxemburgo uma cidade cosmopolita e historicamente com tradição de abrigar imigrantes, era possível provar quitutes de diferentes origens. Fomos de comida de rua portuguesa e saciamos a fome com pão e chorizo.

Hôtel de Ville, a prefeitura de Luxemburgo na Place Guillaume II
A partir dali seguimos para o primeiro ponto do circuito Wenzel, o promontório Bock, uma fortificação que possui diversos túneis (casemates) e fica ainda na parte alta da cidade. Este circuito é muito fácil de seguir, mesmo sem mapas, pois todo o percurso está sinalizado. O trajeto segue da parte alta até a parte baixa da de Luxemburgo e nos brinda com mirantes e paisagens belíssimas, sobretudo na porção do Chemin de la Corniche, também chamada de “A varanda mais bonita da Europa”. Um passeio pelo charmoso resultado da mistura entre o visual medieval e o rústico. 


O circuito Wenzel é todo sinalizado, inclusive com indicações dos melhores lugares para fotos
Chemin de la Corniche: Paisagens deslumbrantes
O Promontório Bock e seus túneis vistos do outro lado do rio Alzette

Ao fim do caminho é possível usar um elevador público, que nos leva de volta para a parte alta da cidade (saída na Cité Judiciaire). A duração da rota resumida (pulamos os pontos 10, 11 e 12), com pausas, foi de 2 horas.

Baixe aqui o mapa do circuito Wenzel: https://app.lcto.lu/files/1675.pdf

Luxemburgo panorâmica e verde

De volta à parte alta, seguimos com o ônibus até a próxima parada, do elevador panorâmico. Daqui é possível acessar um outro lado da parte baixa da cidade, também cheia de construções antigas e com muitos bares e restaurantes.

Arquitetura típica dessa região limítrofe entre Luxemburgo, Alemanha e França
Voltamos pelo próprio elevador para prosseguir com o tour do ônibus. Ele segue para a parte moderna da cidade (Kirchberg), enquanto o áudio-guia narra dados sobre a economia do país, a administração da UE e o mercado financeiro. No caminho também está o Museu de arte moderna MUDAM e o Banco Europeu de Investimento.


Luxemburgo vista de cima a partir do elevador panorâmico
De volta à região central, descemos na parada Villa Vauban, última do percurso antes de voltar à Estação Central, e ainda tivemos algum tempo para passear/turistar pelo Parc Municipal d’Edouard Andre (onde você vai encontrar o nome da cidade em letras gigantes cuja foto está no começo desse texto) antes de voltar para estação central e seguir viagem.

As belezas que a gente encontra ao viajar pela Europa durante a primavera
Luxemburgo é verde, tranquila e merece sua visita
Informação útil: A estação de trem em Luxemburgo dispõe de Lockers /Guarda Volumes (com funcionário, não self-service), o que foi útil pra gente que só estava de passagem por lá. Para guardar uma mala P, o custo foi 5€.


O nosso dia em Luxemburgo foi muito agradável e relaxado. Era notável que vários dos turistas que estavam ali vinham dos 3 países vizinhos para passar o dia e desfrutar do visual e da tranquilidade da cidade. Não é à toa, vale mesmo a pena colocá-la no seu roteiro!


Comentários

  1. Adoreiii o post!
    oS LOCKERS q tem na estação, são faceis de encontrar?
    Acaso lembra o valor para malas grandes?
    Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou do post!

      Sim, a estação central de Luxemburgo é pequena, basta se guiar pela sinalização que você encontrará o balcão onde poderá guardar a bagagem. Como guardei uma mala pequena, só sei o valor correspondente a esse tamanho. No entanto, acredito que não deva ser muito mais caro.

      Boa viagem!

      Excluir
  2. Obrigada Rapha! Eu vou chegar pelo aeroporto, e ir pra estação central. Imagino q seja mais barato deixar a mala la na estação de trem do que no aeroporto, que costuma ter uma cartela de serviços bem mais cara.
    Diferente de vc, eu to pensando em percorrer a cidade sem o busview... Vc acha que da pra percorrer tudo andando numa boa? Me parece que, para chegar em Chemin de la Corniche, tem uma subida/morro. Da pra subir sem morrer? ahahah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luana,

      Se você vai chegar ao aeroporto, vai precisar tomar o ônibus 16 para chegar à estação central. O bilhete unitário custa 2€ mas, se ao invés desse você comprar o bilhete de um dia (longue durée) que custa 4€, você pode usar os ônibus quantas vezes precisar e não terá que andar da estação até a zona turística (a caminhada é puxada).

      Essa dica vale quase sempre pra qualquer cidade na Europa: o bilhete para 1 dia ou mais (só título de transporte e não cartões turísticos) vai ser sempre mais em conta do que pagar por passagens separadamente. :)

      Excluir

Postar um comentário