Experiência | Voando KLM para a Índia

Quando fomos convidados para o casamento do nosso amigo na Índia a primeira coisa que fizemos foi correr atrás das passagens e dar entrada no visto.

A rainha dos céus, Boeing 747 da KLM, em Schiphol 

No novo dreamliner não há persianas para fechar as janelas,  apenas as escurecemos eletronicamente

Visto eletrônico para a Índia (Indian e-Visa)

Para quem não sabe, brasileiros que viajam à Índia precisam solicitar o visto de entrada no país. Com a finalidade turismo, é necessário solicitar a modalidade e-Tourist visa. Fizemos todos os trâmites on-line no site oficial do governo da Índia, é um processo detalhado, mas não é difícil. Pagamos a taxa também on-line (50 USD) e a aprovação saiu em menos de 48 horas. Para pedir o e-Visa, no entanto, você já tem que ter uma ideia de como vai ser o seu roteiro pela Índia, pois terá que informar endereços, aeroportos de entrada e saída, entre outras coisas. Com o roteiro mais ou menos traçado e vistos concedidos, buscamos a melhor opção para nossa viagem, iniciando por Mumbai e finalizando em Nova Délhi.

Conseguimos um voo Stuttgart – Amsterdam – Mumbai com a KLM e a volta, Nova Délhi – Amsterdam – Stuttgart com o trecho Délhi-Amsterdam operado pela indiana Jet Airways. Confesso que o marido fez essa escolha de voo principalmente pela possibilidade de voar no novo Dreamliner da companhia aérea holandesa. Estávamos empolgados porque essa seria nossa primeira vez com a empresa que sempre teve uma ótima reputação, tanto nas redes sociais, quanto efetivamente nos serviços prestados.

O voo Stuttgart – Amsterdam com a KLM

O embarque começou no horário previsto aqui em Stuttgart e, para nossa surpresa, estávamos voando para Amsterdam em pleno Dia do Rei, o maior feriado da Holanda. Por isso, assim que entramos no avião, as comissárias bastantes simpáticas nos receberam com um kit cor de laranja – para entramos no ritmo da comemoração que toma conta das ruas de Amsterdam – e um clima de festa.

Kit Festa para chegar em Amsterdam prontos para o Dia do Rei

Serviço de bordo no rápido voo Stuttgart-Amsterdam

Casa da KLM, Schiphol é o principal aeroporto da Holanda

Após todos embarcados, recebemos um aviso de que havia tráfego aéreo e, por isso, nossa decolagem atrasaria um pouco, no fim atrasou menos do que o previsto. Mas esse possível atraso nos preocupou, uma vez que nosso tempo de conexão em Schiphol não era dos maiores. Esse voo é curto, não dura nem 1 hora e o avião que opera o trecho é menor, um Embraer E175. Então é tudo feito de forma ágil. O serviço de bordo para essa viagem também é resumido, mas não deixa de ser surpreendente, tomamos Heineken gelada e depois recebemos uma caixinha com uma fatia de bolo de limão típico holandês e água. Após essa folia já estávamos pousando e cruzando o principal aeroporto da Holanda. Sem brincadeira alguma, desde o desembarque até o reembarque no segundo voo, passamos o tempo inteiro caminhando. Trocamos de terminal, passamos pelo controle de passaporte e, enfim, estávamos em frente ao portão de onde partiria o voo de Amsterdam com destino a Mumbai. 

O voo Amsterdam – Mumbai com a KLM

O embarque da nossa segunda perna da viagem começou pontual, ali no portão, antes mesmo de entrarmos no avião, os documentos são checados pela primeira vez. Agentes da companhia aérea se certificam de que estamos de posse dos documentos necessários para ingresso na India. No nosso caso, a confirmação impressa do e-Visa aprovado. Vale lembrar: para quem parte do Brasil, o certificado internacional de vacinação - confirmando vacinação contra febre amarela - também faz parte da documentação obrigatória para visitar a Índia.

Embarque no voo KLM Amsterdam-Mumbai

Interatividade: dá para acompanhar o desenrolar do voo na tela touchscreen ampliando e diminuindo o mapa

Poltronas mais enxutas, design mais leve, assim é o interior do 787-9 Dreamliner

Ao entrar no avião, o novíssimo 787-9 Dreamliner, você já acha tudo mais leve e moderno. Esta aeronave é configurada para transportar 294 passageiros em três classes: World Business, Economy Comfort e Economy. Havíamos lido outras resenhas de voo que falavam que as poltronas na classe Economy, onde voamos, eram duras e desconfortáveis, mas acho que para um voo de 8 a 9 horas de duração, como foi o nosso caso, estava de bom tamanho. O entretenimento é individual, cada poltrona tem sua tela touchscreen – de onde comandamos tudo – com uma boa quantidade de programas, séries, músicas, filmes e jogos. 


Curioso é que eu julguei que seria um voo genérico, mas a KLM tratou de oferecer um gostinho da Índia a bordo. Desde a seleção de filmes no melhor estilo Bollywood– que logo pude comprovar ser a escolha de 80% dos passageiros – bem como com os sabores marcantes do país que era nosso destino.

Serviço de bordo KLM

O serviço de bordo, bem como todo o voo, se deu com muita cordialidade. Primeiro, o carrinho passa com bebidas e snacks de boas-vindas. Depois é servida a refeição, como sempre, duas opções foram sugeridas: vegetariana e não vegetariana. Fiquei com a segunda e me deparei com um frango saboroso e bem apresentado. A impressão que dá é que eles pensam em todos os detalhes. Ainda veio na bandeja salada, sobremesa, chutney de manga e o famoso mouth freshener indiano, uma mistura de ervas e especiarias que dão aquela refrescada na boca pós refeição. Para finalizar, um chá. O formulário de imigração foi distribuído logo na sequencia para que a gente tenha tempo de preenche-lo corretamente.

Primeira refeição a bordo da classe Economy KLM

Segunda refeição, um lanche imediatamente antes do pouso em Mumbai

Lanches, doces e balas ficam à disposição do passageiro durante todo o voo

Chá para esquentar e finalizar as refeições

Na galeria, no fundo do avião, doces, balas, barrinhas de cereal, água e outros pequenos snacks, ficam disponíveis a todo o tempo para os passageiros. A empolgação era tanta que não consegui dormir durante o voo, o jeito foi ver muita série. Para aqueles que não querem se desconectar de jeito nenhum, esse avião oferecia wi-fi a bordo. Mas aviso logo que o preço é salgado: 10 euros por 50MB ou 30 euros por 200MB.

Cerca de 2 horas antes do pouso, mas uma refeição foi servida. Dessa vez um lanche no melhor estilo indiano, salgados com recheios de vegetais, salada e frutas de sobremesa. Além, é claro, de bebidas.

Animados por voar KLM e por riscar mais um destino da nossa lista de desejos viajantes

O pouso em Mumbai se deu pontual e sem nenhum contratempo. Começamos muito bem nossa aventura em solo indiano. Sem dúvida, a KLM foi uma das melhores companhias aéreas que já conhecemos, se não a melhor. Mal posso esperar pelos próximos voos!

Comentários