Onde comer em Roma

30.1.14

Encontrar um lugar para comer em Roma parece ser tarefa fácil, tamanha a quantidade de bares e restaurantes. Mas as recomendações antes de sentar à mesa são tantas que esse ato prazeroso pode se tornar uma verdadeira missão. Então, o intuito desse post é dar as melhores dicas para você ir a lugares certeiros e, se quiser, tentar arriscar algumas coisas por sua conta e risco.

Nossa primeira refeição na cidade eterna, depois de boas horas de voos, deslocamentos e já instalados no hostel, foi  no La Vacca ‘Mbriaca. Essa hosteria fica na Via Urbana, uma rua gracinha do bairro de Monti, onde encontramos diversas opções de bares e restaurantes, só que muitos se encontravam fechados nessa tarde de domingo. Prática comum em Roma, vale ressaltar.  Os preços são bem convidativos, nosso garçom foi extremamente simpático, o ambiente é delicioso e a comida, nem se fala. Lá eu provei o Fettuccine al Ragu di Coda alla Vaccinara (€10.00), que nada mais é do que um Fettuccine ao molho de rabada. Isso mesmo. Em Roma se come muita rabada. A massa estava no ponto perfeito, o perfume era maravilhoso. A mozzarella de búfala com presunto de entrada, estavam especiais. Posso dizer que começamos nossa incursão pela culinária romana com o pé direito.  Partindo do restaurante, em 15 minutos de caminhada, você está no Coliseu. Vale o passeio pós almoço/jantar.


Acho que comemos mozzarella e prosciutto de entrada todo santo dia, às vezes, só isso


Fettuccine ao molho de rabada - primoroso
Ambiente simples e aconchegante da Hosteria La Vacca 'Mbriaca

Para tomar um café da manhã em Roma, vá à Panella. Uma padaria cheia de charme, também nas imediações da estação Termini, bem perto do The Blue Hostel, onde estávamos hospedados. Inclusive essa era uma das dicas que constavam no mapa personalizado que eles oferecem no momento do check-in. Dica certeira, por sinal. Lá nós não vimos nenhum turista, só locais, lendo um jornal e apreciando a colazione (café da manhã em italiano). O sistema é bem simples, escolhe, paga e pega. Dá para comer lá dentro, numa mesa coletiva ou, se o tempo colaborar como no nosso caso, lá fora. A parte de fora é dividida em duas: os que já pagaram lá dentro e os que preferem ser servidos por garçons e pagar depois. Escolha a sua modalidade e aprecie os mais deliciosos salgados acompanhados de um café com leite ou cappuccino. Vale lembrar que esse último, na Itália, tem hora para se tomar. Se não me engano, a bebida só é apreciada pelos italianos até às 10:30 da manhã, depois disso só nós, turistas, pedimos um cappuccino. :) Não deixe de ir à Panella, num café da manhã farto, para 4 pessoas, gastamos cerca de 30 euros e foi delicioso!

Fechada da Panella
Folhados e café com leite para começar o dia: divinos!
Diversas opções para você escolher e se deliciar

Durante a nossa caminhada exploratória pelo centro de Roma, pertinho da Piazza Navona, uma parada providencial para queijos, vinhos e frios, foi na Enoteca Cul de Sac. O lugar é muito aconchegante, ótimo para aqueles dias mais frios e nos pareceu bem honesto, pois não cobra o famoso coperto (taxa para uso da mesa/talheres, ou seja, pagar pra sentar), nem outras taxas embutidas. É só o que pedimos e ponto, e o preço é bom. Sendo uma enoteca, já dá para imaginar o tamanho da carta de vinhos, muitos deles expostos e fazendo as vezes de decoração do ambiente. Não pedimos pratos, ficamos só no pão, azeite, queijo, presunto e vinho, mas o prato mais pedido enquanto estávamos lá foi sem dúvida a bendita rabada. Eram tantos pedidos que resolvemos pedir um. Havia acabado, infelizmente. Voltamos a passear com água na boca, mas com uma certeza: quem disse que restaurante perto de ponto turístico é furada? Nem sempre é assim...


Fachada da enoteca Cul de Sac
Mix de queijos e embutidos para acompanhar o vinho

Nosso segundo round em Roma, depois de visitar Florença, Veneza e Paris, foi no bairro de Trieste. Mais afastado do burburinho, mais residencial e com menor risco de furada, nós continuamos a comer muitíssimo bem nessa segunda etapa da viagem. O moderno Numbs, com três unidades na cidade (Trieste, Campo dei Fiore e Piazza di Spagna), recebe uma grande quantidade de executivos para o almoço, mas parece ser no happy hour que a coisa ferve por lá. No entanto, fomos na hora do almoço e provamos uma das massas clássicas de Roma que ficou na nossa memória, o Cacio e Pepe. Um spaghetti simples, mas com um molho surpreendente feito de queijo pecorino ralado e muita, muita pimenta. Uma explosão se sabor, mas sem agressividade. No ponto ideal. A Saltimbocca alla Romana também ganhou destaque na mesa, a carne estava muito saborosa e macia. Aprovado!

Parte do interior do moderno Numbs
Para não perder o costume 
Saltimboca alla Romana, linda e muito saborosa
Uma grande surpresa: Cacio e Pepe - não deixe de provar

Outra descoberta no simpático bairro de Trieste foi a Pizzeria San Marino, descoberta essa tão boa que fomos duas vezes. A intenção era ir no almoço (pranzo), mas eles só abrem nesse horário às sextas, sábados e domingos. Inclusive é bom ficar sempre de olho nos horários dos restaurantes, pois eles fazem pausas entre o almoço e jantar, poucos são os que ficam abertos direto. Ah, e aos domingos a maioria fecha. Voltando à experiência na San Marino, de cara nós vemos o forno a lenha onde as pizzas são assadas, salão amplo, prestes a ficar cheio. Chegar depois das 21h é certeza de pegar uma fila de espera. Aqui dá para apreciar uma boa pizza com um chopp gelado. Não, ninguém vai te olhar torto, o momento de apreciar a comida com cerveja/refrigerante é agora. De resto, vinho. Aliás, dizem que os italianos só não bebem vinho no café da manhã :) Antes da pizza dá para provar uns belisquetes bem italianos: crochette di patate (croquete de batata), arancini (bolinho de arroz) e filetto di baccalà (filé de bacalhau), todos deliciosos, feitos na hora, harmonizando perfeitamente com a cerveja gelada. A pizza, grande estrela da noite, vem fumegante, com queijo derretendo, no ponto certo. As pedidas que se destacaram mais foram: quattro fromaggi, a pizza da casa, San Marino, e a capricciosa. Acho que retornar ao restaurante é uma forma de dizer que gostou muito, né? A Pizzeria San Marino tem nosso coração!

No Corso Trieste você encontra a Pizzeria San Marino, tradicional na região
Pizza Capricciosa numa noite
Pizza da casa, San Marino, com cerveja, na outra noite

Nossa última experiência em Roma é um misto entre roubada e tradição. No mapa do hostel o La Carbonara aparecia como um must go, colegas da internet também reforçaram a dica. Nós fomos para almoço, chegando lá, nos apresentamos: 4 pessoas, sem reserva. Ninguém deu a mínima. E isso porque nos apresentamos em italiano, viu? Fomos procurar uma mesa e uma senhorinha nos indicou uma que estava vazia. Nessa hora surgiu um garçom grosseiro e uma mulher (para quem nos apresentamos) enfurecida, dizendo que a mesa estava reservada. Mas não estava, pois todas as que estavam tinham um papel com a reserva em cima. Foi uma confusão. Constrangimento, pra falar a verdade. No meio desse bafafá todo, o garçom foi organizando uma mesa pra gente, enquanto a mulher bradava que a gente tinha que ir lá pra fora esperar. Não fomos. O garçom nos mostrou a nova mesa e sentamos. Daí tudo ficou ruim. O carbonara, tão famoso, e bem gostoso, poderia ter tido o dobro de sabor se houvesse um pingo de cordialidade no pessoal que toca o restaurante. Mas parece que nesse dia eles não estavam empenhados em atender bem. E não me venha com essa de “ah, italiano é grosseiro mesmo”, não, onde chegamos fomos muito bem atendidos. Por fim, já de volta ao hotel, dei uma olhada no tripadvisor do La Carbonara e chove reclamação desse mesmo tipo, do mesmo jeito que chove elogios à casa. Então, só me resta dizer: Caso você queira ir ao tradicional La Carbonara, prepare-se, reserve mesa e reze para um pouquinho de profissionalismo e bom humor. Caso não, tem MUITA coisa melhor por Roma. Garanto!

Serviço
  • La Vacca ‘Mbriacca – Via Urbana, 29/30 | Abre aos domingos
  • Panella – Via Merulana, 54 | Aberto todos os dias
  • Enoteca Cul de Sac – Piazza di Pasquino, 73 | Aberto todos os dias do meio-dia à meia noite 
  • Numbs – Corso Trieste 150B – Piazza Istria | Aberto todos os dias das 07:00 às 02:00
  • Pizzeria San Marino – Corso Trieste, 163 | Aberto todos os dias para jantar – Almoço e Jantar nas sextas, sábados e domingos.
  • La Carbonara – Via Panisperna, 214 | Fechado aos domingos


Leia também

4 comentários

  1. Tive azar em Toda a Itália... Não fui bem atendia em quase lugar nenhum, dos postos de gasolina, ao balcão das cias aéreas. Fui pra Paris e Londres com um receio danado dos franceses e ingleses e fui super bem recebida, e vê onde fui me decepcionar? Com o caloroso povo Italiano... Um pena né? Quem sabe um dia eu volto pra tirar essa má impressão. Mas não tenho muita vontade de voltar não...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Vivianne! Que falta de sorte, hein? Quando fui à Itália pela primeira vez detestei Milão, fui furtada, mal atendida, o fim da picada. Mas voltei. E agora tô cheia de história boa pra contar. Aconselho que você faça o mesmo. :)

      Seja sempre muito bem-vinda ao blog!

      Excluir
  2. Fui duas vezes ao restaurante La Vacca Mabriaca. Na primeira vez, solicitei um fettuccine com rabada. O prato estava maravilhoso: suculento, massa quente e a rabada por "cima da massa". Na mesma semana, retornei ao restaurante e pedi o mesmo prato. Mas, infelizmente, veio uma massa fria, não suculenta e a rabada por baixo da massa. E o pior, veio um pedaço de rabada sem carne e com um aspecto que alguém já havia comido. Infelizmente só descobrir o aspecto da rabada após aparecer o osso, pois carne não havia! Reitero: a rabada estava por baixo da massa e da primeira vez, por cima.... Ao perceber o mal aspecto do osso, parei de comer. Chamei o garçon, paguei a conta e somente depois fiz a reclamação ao garçon. Para minha surpresa, o garçon não gostou da crítica e disse que o prato estava bom, numa postura deselegante. Infelizmente, coitado, ele não está preparado para o atendimento ao público e, o pior, não percebe que uma crítica (erro) é uma fonte de aprendizado. Nota zero para o restaurante, pelo atendimento ao cliente, e por não manter qualidade dos seus pratos. Não indicarei esse restaurante.
    Tania Tavares
    São Paulo
    15/01/2016

    ResponderExcluir
  3. Olá Tania,

    Que pena que você teve essa segunda experiência ruim! É muito frustrante passar por isso durante uma viagem. Pelo menos você teve uma primeira experiência satisfatória e que, pelo que narrou, pôde provar corretamente o Fettuccine al Ragu di Coda alla Vaccinara, assim como a nossa experiência do post.

    Apesar desse episódio, você gostou de Roma, usou outras dicas do blog?

    Abraço e comente sempre!

    ResponderExcluir

google plus

twitter