Atualizado em: 08/09/2016

Domingo saímos para dar uma volta e quando chegamos estação de u-bahn Hallesches Tor vimos várias pessoas descendo. A quantidade de gente era impressionante, por isso, resolvemos descer e seguir o fluxo. Para nossa surpresa nos deparamos com uma espécie de feira de comidas e artesanatos típicos de vários locais do mundo, além de muita, muita gente de todas as partes.

 Era possível tomar caipirinha (feita com pitú, by the way), mojito, pisco e mais uma infinidade de bebidas "exóticas". Para petiscar mais um grande leque de opções se abria: empanadas, espetinhos, comidas indiana, marroquina, alemã, grega, árabe... uma loucura. 

Depois de passar por essa imensa praça de alimentação a céu aberto, continuamos seguindo o fluxo para cair em um outro lugar, mas que também fazia parte da festa. Havíamos chegado no lugar onde aconteceria o desfile (?) do Karneval der Kulturen



            

Ao longe já dava para ouvir o som do mini trio elétrico que se aproximava. Mein Gott - Em cima do trio uma baiana, devidamente caracterizada, convidando todo mundo (everybody together / alles zusammen) para cantar junto. Me senti no pelô. Juro! Junto com cada grupo que passava na nossa frente, nós éramos transportados para uma cultura totalmente diferente. 

África, Ásia e América Latina, todos tiveram a oportunidade de mostrar sua diversidade cultural em plena Berlim. A participação e receptividade do povo alemão era incontestável, em cada grupo havia pelo menos 1 alemão que sabia dançar / tocar um instrumento, ou os dois. O Brasil foi presença forte com seus grupos de percussão e suas cores marcantes. Ver o maracatu de Recife foi algo emocionante. Acho que por estar longe há muito tempo as coisas ganham uma dimensão diferente. 




Vídeo compilando alguns momentos do desfile:


Saímos de lá nos achando sortudos de encontrar coisas tão legais pelo nosso caminho. Não nos não fazíamos ideia da aula de civilidade que a gente ganharia ao descer daquele metrô. É incrível como, sim, existe uma forma pacífica e muito inteligente de "brigar" por uma sociedade aberta. 

A Alemanha vem fazendo esse evento há 16 anos e consegue mostrar através de experiências sensoriais (música, dança, comidas e bebidas) como a tolerância e o respeito são a base para uma sociedade próspera. Quem tiver a oportunidade de participar dessa manifestação cultural nos próximos anos certamente não se arrependerá!