Para quem nasceu e viveu numa cidade de praia de um país tropical como o Brasil, ver e sentir a neve é algo místico e distante. A minha primeira experiência com a neve aconteceu há alguns meses, quando uma nevasca resolveu passar inesperadamente por Nova York, quebrando um recorde de 150 anos sem nevar neste dia.

A verdade é que a neve, nos lugares onde ela costuma cair durante o inverno, transforma a dinâmica e a vida das pessoas que, em se tratando de lazer, curtem a época com tanto ânimo e energia quanto nós curtimos as nossas ensolaradas praias. Foi justamente com essa animação (e curiosidade, adrenalina e um pouquinho de frio na barriga) que o raphanomundo embarcou rumo a Vail, no estado do Colorado, Estados Unidos.

Para todos aqueles que, como nós, são leigos em esportes de inverno, pouco adianta dizer que a montanha em Vail, além de ser a maior montanha em área própria para esqui nos Estados Unidos, com 2.140 hectares (ou 21,4 km²), possui 193 pistas e 31 lifts (leiam-se teleféricos e gôndola) para levá-los da base da montanha até um de seus picos (numa altitude que pode chegar a 3.527m). Mais fácil mesmo seria dizer: se você quer esquiar pela primeira vez ou esquiar em um lugar novo, sozinho, com amigos ou família, Vail é o lugar.

E explicaremos os porquês nos próximos posts desta inesquecível viagem.

Como chegar?


A aconchegante vila alpina de Vail, que vem crescendo na base da montanha desde a década de 60, é servida pelos aeroportos de Denver (a cerca de 185km, 2 horas de viagem) durante o ano inteiro e pelo aeroporto de Eagle/Vail (a cerca de 58km, 35 minutos de viagem) com vários vôos sazonais durante a temporada de inverno, entre novembro e abril. Para ir até Eagle com estes vôos sazonais, nós brasileiros podemos voar com apenas uma conexão via Miami, Nova York, Atlanta, Houston ou Dallas (voando American, Delta ou United), todas grandes metrópoles que valem uma visita antes ou depois da sua estadia em Vail. É possível ver o mapa de rotas da temporada que passou aqui. Fora de temporada o aeroporto de Eagle/Vail possui serviço regular apenas para Denver ou Dallas.

Como a nossa visita a Vail aconteceu na primavera, o sol brilhou intensamente nos 4 dias que ficamos por lá. Logo após avistarmos a região de Denver da janela do avião, já era possível enxergar as montanhas e os picos cheios de neve. Um visual incrível.

A caminho de Vail

Os picos nevados das montanhas do Colorado

Uma vez no aeroporto, dependendo da duração da sua viagem ou do tamanho da sua família, talvez você queira reservar/alugar um carro (agências disponíveis no terminal). A outra opção é reservar um shuttle que te levará com o maior conforto até o seu destino final (aqui uma lista deles). Naturalmente, para aqueles que viajam de mochila, também há o transporte público/intermunicipal ECO Transit que serve a região. 

Para aqueles que já foram aos Estados Unidos, é sabido que com a boa infraestrutura do país e as ofertas para aluguel de automóveis, é possível alugar um carro esportivo ou uma espaçosa SUV por algumas dezenas de dólares, o que pode tornar o passeio ainda mais proveitoso e flexível. Nós iríamos passar apenas um fim de semana prolongado e usamos o shuttle CME - Colorado Mountain Express. Com a CME é possível ir tanto do aeroporto de Eagle quanto de Denver para Vail. No site você encontra a lista de serviços e preços.

Aeronave no pátio - Eagle - Colorado

O simpático e pequeno aeroporto de Eagle - CO

No trajeto de 60km entre o aeroporto e Vail, a paisagem era seca e montanhosa, algo que não estamos acostumados. Não há nenhuma cidade grande no caminho, mas foi possível avistar dois magazines gigantes: Costco e Walmart. Redes de fast food e Diners também estão presentes, assim como bancos, pequenas lojas, auto peças e mini mercados.

A paisagem seca das estradas do Colorado

Ao chegar em Vail Village, bairro onde ficava o nosso hotel e um dos três pontos de acesso à montanha (os outros dois são Lionshead e Golden Peak), a nossa reação foi bem positiva. Era um outro cenário, diferente da estrada. Era a nossa primeira vez em um Ski Resort e ficamos encantados. Difícil comparar a arquitetura, o estilo e a simpatia das ruas, lojas, restaurantes e a vista da montanha coberta de neve ao fundo. Pessoas andando por todos os lados, umas com seus equipamentos de esqui ou snowboard e outras simplesmente agasalhadas e passeando tranquilamente.


Fim de tarde @ Vail Village

Vail Village

Se o clima embaixo era de tranquilidade, ao olhar para o topo da montanha via-se que lá os esquiadores estavam fervendo. O primeiro pensamento,  que depois virou conclusão, foi: Vail é sensacional!

E vocês, já esquiaram? Onde foi essa experiência? Se ainda não esquiaram, têm vontade? Continuem ligados no blog que essa série só está começando!

>> o raphanomundo viajou a convite da Vail Resorts.