Toda viagem que se preze, para mim, tem que ter uma boa caminhada. Acho que a melhor forma de descobrir os detalhes e pormenores de uma cidade, bairro, lugarejo, é flanando por aí. Dessa vez tive a oportunidade de descobrir o belíssimo centro histórico do Rio de Janeiro, suas ruelas e particularidades.

O estigma do centro de cidade aqui no Brasil ser barra pesada também engloba o Rio, mas em um passeio em grupo, pela manhã e com um pouco de atenção, dá para fazer esse trajeto tranquilamente.
Vá munido de sua câmera, calçado confortável, protetor solar, água e disposição. A recompensa fica por conta dos cantinhos que você descobrirá pelo meio do caminho, pois a cada esquina um pedaço da nossa história é revelado.

Cine Odeon a todo vapor
Abaixo o roteiro que fizemos:



Começamos pela Cinelândia / Cine Odeon / Biblioteca Municipal / Teatro Municipal/ Câmara Municipal / Museu de Belas Artes / Igreja de São José / ALERJ (Palácio Tiradentes)/ Paço Imperial / Café e Livraria Alerquim / Praça XV / Arcos do Telles / Rua do Ouvidor / Igreja Santa Cruz dos Militares / Centro Cultural Banco do Brasil / Igreja da Candelária / Largo da Carioca / Convento de Santo Antônio / Catedral de São Sebastião

O imponente Theatro Municipal
Palácio Tiradentes e Igreja de São José ao fundo
Hoje centro cultural, o Paço Imperial é a história viva
Arco do Telles na Praça XV
Artista na Rua do Ouvidor

Casario na Rua do Ouvidor
A grandiosa Igreja da Candelária
3 dos 4 vitrais do interior da Catedral de São Sebastião
Imagem de São Francisco de Assis


Algumas curiosidades:
  • Cinema ODEON, ainda em funcionamento, tem uma sala para 600 lugares. Prédio no estilo art déco, inaugurado em 1932; 
  • Theatro Municipal – O projeto “Domingo no Municipal” acontece mensalmente, um domingo por mês, apresentando espetáculos de qualidade à população com bilhetes custando R$1,00;
  • Palácio Tiradentes (onde hoje funciona o prédio da ALERJ) prédio no qual Tiradentes foi preso antes de ser enforcado, em 1792;
  • O Paço Imperial já foi chamado de Armazém d’El Rey, Casa dos Governadores e Paço dos Vice Reis. Numa de suas salas Princesa Isabel, em 13 de maio de 1888,  assinou a Lei Áurea. Também foi no Paço que em 1822 D. Pedro I decidiu ficar no Brasil, Dia do Fico; 
  • Passando pelo Arco do Telles, na Praça XV, você é transportado imediatamente para os becos e ruelas de qualquer cidadezinha europeia. Você não diz que está em pleno centro do Rio de Janeiro;
  • A Rua do Ouvidor foi considerada a rua mais importante do Rio de Janeiro. Era onde encontrava-se a maior concentração de jornais até 1900, quando foi inaugurada a Avenida Rio Branco;
  • No Centro Cultural Banco do Brasil, que tem uma programação efervescente e gratuita, podemos prestigiar a exposição “Corpos Presentes” do premiado escultor inglês, Antony Gormley.
  • A cúpula da Igreja da Candelária, quando foi construída, era considerada a mais alta construção da cidade;
Agora é só montar o seu roteiro e sair por aí. Se quiser usar esse como base, vá em frente, achei um passeio muito legal. Se preferir, vá de metrô, as estações Carioca e Cinelândia estão em pontos estratégicos no centro do Rio de Janeiro.




>> O raphanomundo viajou a convite do RioCVB em parceria com a TAM Linhas Aéreas.