Ano passado, quando esquiamos pela primeira vez, ficamos nos perguntando quando seria a nossa próxima aventura nas montanhas. Com a viagem programada a Santiago, desde antes pensei na possibilidade de encaixar um bate-volta no Valle Nevado, mas como iríamos no começo do junho uma dúvida pairava no ar: vai ter neve? Passei a acompanhar o clima na montanha diariamente e, assim, duas semanas antes fazer as malas, vi o Valle Nevado ficar cada vez mais branquinho...
Faltando uma semana para a viagem, a surpresa! A temporada 2013 foi antecipada e as pistas seriam abertas dia 8 de junho, mais conhecido como o sábado que destinamos para o Valle Nevado. Quando o viajante tem sorte ele tem sorte e ponto!

Ansiosos e muito animados quase esquecemos das 60 curvas que precisávamos ultrapassar até atingir os 3.000 metros de altitude. Quase. Essas curvas são implacáveis, mas não dá pra negar que é um belíssimo caminho. O jeito foi fechar os olhos, respirar fundo e torcer para passar rápido. O Valle Nevado  encontra-se a, mais ou menos, 50km de Santiago. Esse percurso leva por volta de 1h  e meia para ser feito – se contar a parada para colocar as correntes nos pneus, adicione mais meia hora. Curvas vencidas, estômagos calmos, chegamos à base da montanha. Lá alugamos o material de ski, as roupas e adquirimos os tickets da gôndola (grande novidade da temporada 2013) e dos teleféricos.

24/60 - haja estômago



Lindo, né? 

Alugando os materiais

Equipe atenciosa deixando tudo pronto 

Alugando as roupas

A nova gôndola do Valle Nevado

De pertinho... 

Tudo pronto, subimos na primeira gôndola numa estação de esqui  do Chile. Com capacidade para 6 pessoas, o teleférico de cabine fechada sai da Curva 17 e nos deixa na área do restaurante Bajo Zero. Isso facilitou demais a vida de quem não esquia, mas quer viver a experiência de um almoço na montanha ou até mesmo curtir a vibe divertida e colorida que se instala por ali.

Desembarcando da gôndola seguimos para a escola de ski onde encontramos o professor Gabriel, que de forma muito simpática se apresentou e logo foi nos dizendo que arriscava o portunhol. Dessa vez eu fiquei responsável pelas fotos – senão esse post seria só texto – e o marido se jogou em mais uma aula. Trabalho em equipe para o Rapha no Mundo :)

Escola de Esqui

Professores de Snowboard

Friozinho não só na barriga

É incrível como a diversão na montanha é um passeio para toda a família. Nessa nossa segunda vez pudemos reconfirmar que pais e filhos se divertem horrores na neve. As crianças, sempre cheias de energia – e muito jeito, vale ressaltar – e os pais bem tranquilos. Sensacional.

O dia estava lindo. O céu azul, sem uma única nuvem no céu e o friozinho constante. Cometemos um erro de principiante: esquecemos o protetor solar no carro e voltamos para o hotel como se tivéssemos passado o dia na praia...

Pessoal reunido no Bajo Zero

Hamburguesa para repor as energias

Descendo...


Arte linda sendo finalizada para a temporada 2013

Depois de aula, fotos, tombos e muita diversão, fazer uma boquinha era a única pedida. Fomos para o Bajo Zero, tomamos um creme para abrir o apetite e esquentar um tiquinho e depois partimos para um combo de hambúrguer, batatas fritas, refrigerante.
Vou confessar que só de pensar em voltar para o hotel foi desanimador, e não era por causa das 60 curvas, não. O clima na montanha é tão bom, tão legal, tão pra cima, que a vontade é ficar lá a temporada inteira, curtindo cada cantinho, cada novidade.

Vida de viajante é assim... não dá pra se fixar em cada lugar que a gente ama. Mas já saímos com vontade de voltar.


>> O dia do raphanomundo na montanha foi uma cortesia do Valle Nevado Ski Resort