Etiqueta ao voar – 10 dicas para não ser um passageiro inconveniente

Voando com uma certa frequência, para vários destinos em voos com as mais variadas durações, acho que posso compartilhar algumas dicas para que ao menos vocês, leitores do raphanomundo, não sejam passageiros inconvenientes e a gente siga fazendo ótimas viagens. A saber:


1 – Fila na sala de embarque - Não precisa fazer fila para embarcar antes do voo ser chamado, a cada dia que passa os embarques estão mais eficientes e organizados (primeiro prioridades, depois  quem está no fundo do avião e, por fim, os passageiros que vão na frente). O avião só vai decolar quando todos estiverem acomodados, portanto, não há necessidade de ficar de pé no portão horas antes para “entrar primeiro”. “Ah, mas eu tenho muita bagagem de mão...”. Você está errado e isso nos leva ao segundo ponto;


2 – Excesso de bagagem de mão / bagagem fora das dimensões – As cias aéreas geralmente permitem bagagens de mão de 5kg ou 10kg dentro dos padrões (comprimento + largura + altura = 115cm ou menor). Se você “não gosta de despachar” procure viajar dentro dos limites corretos. Do contrário vai atrapalhar o embarque, vai tirar espaço de outro passageiro e se tornar um inconveniente. Ah, e não saia mexendo nas bagagens já acomodadas para tentar um espacinho para a sua;

Verifique a franquia de bagagem de mão da cia aérea para não levar mais do que o permitido - Ilustração: Raphaell Aretakis




3 – Desligue o seu celular – Quando as portas forem fechadas e o aviso para desligar o celular estiver aceso, o faça. Já cansei de ver gente escondendo o celular para continuar usando, tentando esconder o aparelho ligado dos comissários (!). Aqui no Brasil a regra é essa: avião de portas fechadas = celular desligado. E isso serve para tablets e afins;


4 – Briga por espaço – Concordo que os espaços estão ficando cada vez mais diminutos, que temos que dividir  (muitas) horas no ar com estranhos bem próximos da gente, mas c’est la vie. Tente entrar num acordo tácito com o vizinho na “guerra pelo encosto do braço”. E um aviso aos homens: Fechem as pernas. Eu sei que vocês conseguem! Ninguém merece viajar mais espremido ainda ainda porque o colega não consegue mudar os hábitos;

O espaço no avião é pequeno, mas dá para todo mundo - Ilustração: Raphaell Aretakis


5 – Encosto da poltrona – Nada mais chato do que o passageiro da poltrona da frente não se tocar que, na hora de uma refeição – uma barrinha de cereal que seja –, deve levantar o encosto da poltrona. Como espaço é um problema, diminuí-lo na hora de comer é bastante indelicado. Se a pessoa que está na minha frente não levanta espontaneamente, gentilmente eu peço para a comissária solicitar que ela o faça. Ao levantar-se, por favor, tente não usar a poltrona da frente como apoio;


6 – Saiba escolher o seu assento – Se você já sabe que é daquelas pessoas que levantam muito para ir ao banheiro, sente no corredor. Se não gosta de ser incomodado com o vai-e-vem dos passageiros, vá na janela;


7 – Barulho – O avião em si já não é um ambiente muito silencioso, mas nós podemos regular o nosso tom de voz, a altura das nossas conversas, o volume dos nossos aparelhos eletrônicos. Use o fone e, por favor, fale somente o necessário;


8 – Crianças – Papais e mamães, controlem seus príncipes e princesas. O avião não é a extensão das suas casas. A internet está repleta de dicas de entretenimento ao voar com crianças, vale a pena dar uma pesquisada antes de viajar. Não permitam que elas chutem as poltronas da frente, que gritem sem razão ou que  saiam correndo pelo corredor do avião;

Para a segurança dos pequenos e tranquilidade de todos - Ilustração: Raphaell Aretakis


9 – Paciência – Todos estamos cansados, querendo chegar aos nossos destinos, mas seja paciente, espere o avião parar completamente para soltar o cinto de segurança, ficar de pé e retirar sua bagagem. Mais uma vez, a não ser que você esteja na primeira fileira, você não vai sair primeiro do avião voando na poltrona 22A e ainda pode causar um acidente com essa pressa desnecessária;


10 – Bagagem na esteira – As esteiras não têm uma faixa amarela ao seu redor de enfeite, aquilo serve para delimitar o espaço onde os passageiros devem aguardar as suas bagagens. Se uma pessoa ultrapassa essa linha atrapalha a visão das demais e tudo vira uma bagunça. Não suba na esteira, não apoie o pé, fique de olho nas crianças, elas podem se machucar.

Tem algum outro conselho para que voar não se torne algo maçante? Fique à vontade para usar a caixa de comentários!

>> Aqui você encontra dicas para montar uma nécessaire completa para suas viagens de avião <<

>> Quer saber como é voar em cias aéreas do Brasil e do mundo? Leia os nossos reviews de voos <<







Comentários

  1. Na minha última viagem, de Los Angeles para São Paulo, uma menina veio me chutando o voo inteiro :( Inteirinho mesmo.
    Os pais dormiram e quando a menina estava mais agitada disseram "você não ama a gente, a gente precisa descansar" e ela ficou conversando com o passageiro que estava do lado dela, um senhor muito paciente e simpático.
    Apenas no final da viagem a mãe deve ter percebido e disse que era para a filha parar de chutar a poltrona da frente.
    Eu não culpo a criança, é claro! Era um voo longo, com fuso horário chato e ela estava claramente entediada. Mas os pais devem pensar mesmo em opções de entretenimento pra criança, coitada.

    Adorei o post, Rapha!

    Beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Sara. A minha síndrome da janelinha é justamente a criança na poltrona de trás :) No fim, na maioria dos casos, a falta de educação da criança é só um reflexo da falta de preparo dos pais.

      Obrigada pela visita. Volte sempre ;)

      Excluir
  2. Ai, mas essa parte da bagagem de mão é complicada! Tem muita gente que larga uma malinha de rodinhas na horizontal, ocupando metade do bagageiro, quando ela encaixa perfeitamente na vertical. Ou gente que atola as mochilas de qualquer jeito, sem pensar que aquele espaço ali é pra ser compartilhado. Esses dias ouvi de uma passageira: não mexa na minha bolsa porque tem coisa que quebra e eu coloquei aí primeiro. Avisei que só ia mover mais para o lado, para encaixar minha mala e ela levantou da poltrona super grossa. Foi preciso a aeromoça vir mediar a situação e explicar que ela não pode impedir os outros passageiros de procurarem espaço no bagageiro e que lugar de objeto quebrável é embaixo da poltrona à frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É complicada, mas existe solução, Gabriela. Eu não gosto quando mexem na minha bagagem, e, se eu não acho espaço, prontamente chamo a comissária. Não saio mexendo na bagagem de ninguém. As pessoas precisam ser educadas, grosseria não leva a nada. Por isso escrevi esse post, para que cada vez mais os passageiros tenham consciência do seu espaço e o do próximo.

      Excluir

Postar um comentário