Puebla - México: Arredores

A cidade de Puebla, no México, é um excelente ponto de partida para a exploração dos seus arredores. O roteiro pode ser moldado segundo o estilo de viagem de cada um, o que não pode acontecer é deixar uma das três paradas a seguir fora da sua rota:

Tochimilco

O povoado de 4.000 habitantes está a apenas 50 quilômetros de Puebla. Lá você não encontrá grandes atrativos turísticos, na verdade a cidade abriga um antigo convento franciscano, um intrigante aqueduto da era pré-hispânica e uma fonte linda. No entanto, Tochimilco está aos pés do imponente vulcão Popocatépetl, um cenário belíssimo e incomum. Ali, o melhor a se fazer é observar os tipos, os costumes e a dinâmica local. Para tal, a feira que fica ao lado da praça principal da cidade é o lugar ideal. Dá, ainda, para provar um pouco dos sabores do México, algumas comidas de rua, frutas diferentes e um delicioso sorvete artesanal, por módicos $5 pesos (1 real – nada hoje custa 1 real). Tochimilco ainda guarda pequenas joias como a Finca Mariana y Marcos, servindo a autêntica cozinha poblana num ambiente pra lá de agradável. 

Cenas de Tochimilco



Feirante de Tochimilco vendendo peças de porco e chicharrón

La virgen

Todo junto y mezclado (Comida de rua mexicana de raiz)


As pessoas desse povoado são um capítulo à parte, sempre com um sorriso no rosto, ainda que tímido, é possível seguir todo o passeio colecionando expressões afáveis. Se der sorte – coisa que sempre tenho nas minhas viagens –, você se depara com um casamento tradicional mexicano. Una boda! E segue topando com pessoas incríveis, talvez quatro gerações juntas, apaixonadas pela cidade, com brilho nos olhos dizendo: “Ah... Tochimilco es muy rica...”. É impossível deixar Tochimilco do mesmo jeito que você chegou.

Tochimilco fica aos pés do vulcão Popocatépetl

Um casamento típico mexicano no meio do caminho, ou melhor, sorte de viajante

Bisabuela, abuela, madre y hija - quatro gerações em Tochimilco



Cantona

O mais distante dos pontos, a 100 quilômetros de Puebla, Cantona é um sítio arqueológico com uma área aproximada preservada de 12 quilômetros quadrados onde encontramos, templos, pátios, residências, estradas e jogos de pelotas – edificações construídas com pedras sobrepostas sem nenhum tipo de cimento ou argamassa para juntá-las. Em Cantona, que está a 2.600 metros acima do nível do mar, o clima é árido, a vegetação apresenta pinheiros, cactos e palmeiras, o sol é muito forte e o vento, frio e seco. Considerada o maior centro urbano do México antes da chegada dos espanhóis, Cantona tinha cerca de 93 mil moradores entre 600 e 900 a.C. Percorrer os resquícios dessa civilização tão distante é um exercício recompensador. 


Cantona - onde os fracos não têm vez

Construções que datam de 600 a.C. 

Entrada do museu, visita que pode ser combinada à exploração

Cantona - Mais um fim de tarde surpreendente

Definitivamente não é um passeio para pessoas com dificuldade de locomoção, já que as caminhadas podem ser longas e as subidas, desgastantes. Como disse anteriormente a área preservada é considerável, numa visita de meio dia, como foi o meu caso, só é possível cobrir um pequeno pedaço das ruínas. Aos mais interessados em história e arqueologia, vale separar o dia completo para a exploração, visitação ao Museo de Sitio de Cantona e passar a noite no belíssimo Hacienda Tepetlcalli Hotel Museo & SPA. Com instalações que datam de 1870, esse hotel cinco estrelas vale o passeio. Tem uma decoração muito particular e sua estrutura lembra uma pequena vila mexicana, com diárias a partir de inacreditáveis 60 dólares. Se não der para se hospedar, prove pelo menos da comida do restaurante anexo, Atonaletzin, será uma experiência inesquecível.

Um pouco das instalações da Hacienda Tepetlcalli Hotel Museo & SPA

Hacienda Tepetlcalli: Contrastes


Atlixco

Atlixco, última parada dessa rota, está a curtos 40 quilômetros do nosso ponto de partida. Um pouco maior e com muito mais estrutura que as demais, a cidade é conhecida por ter um dos melhores climas do mundo. Por causa desse título Atlixco reúne um número considerável de hotéis boutique e spas, oferecendo os mais diversos tipos de hospedagem para aqueles que a escolhem como pouso. Nos últimos meses do ano, entre novembro e janeiro, a cidade se ilumina para as fiestas navideñas. Turistas e locais se misturam no zócalo, entre banquinhas de artesanato, balões, pinãtas, comidas típicas e festejam a magia do natal. Um momento muito lúdico para  adultos e, sobretudo, crianças. 


Villa Iluminada 2014 - Atlixco - México

                        


A cidade também oferece a boa mesa, com bons restaurantes como o Palmira Jardín, Bar & Grill, que tem um buffet internacional, mas sem deixar  a cozinha mexicana de lado. Suas instalações remetem a um oásis, definitivamente um lugar para um almoço demorado. A cervejaria 5 de mayo é parada obrigatória para aqueles que querem conhecer um pouco mais da cena cervejeira mexicana. Os hotéis LunaCanela Hotel & Spa e Gran Hotel Las Calandrias são encantadores de formas únicas. O primeiro, mais moderno e sofisticado, oferece quartos/bangalôs em meio a muito verde e tranquilidade, além de um SPA com tratamentos completos. Focado no bem estar, eu diria.  Já o segundo, com apenas 19 quartos, tem um charme todo especial e intimista. Vale, ainda, ressaltar sua cozinha,  internacional, mas com personalidade caliente.

A praça principal, Zócalo, ao cair da tarde

Amplo jardim do restaurante Palmira, em Atlixco

Parte do jardim do restaurante Palmira

As modernas instalações do LunaCanela Hotel & Spa em Atlixco



Essa cidades são só uma amostra de como a região de Puebla é riquíssima e ótima para ser explorada. Sem dúvida, uma autêntica experiência mexicana.




Comentários

  1. Oi, Rapha. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    ResponderExcluir

Postar um comentário