10 coisas que eu gostaria de saber antes de ir à Índia

Quem nos acompanha no instagram (@raphanomundo) sabe que passamos os últimos 14 dias na Índia. Viagem que surgiu a partir do convite para o casamento de um amigo e se tornou a materialização de um grande sonho viajante. Não preciso nem dizer que os dias de pesquisa e preparo para essa jornada foram intensos, lemos e assistimos de tudo. 


Obviamente que cada experiência é única, pois os backgrounds e os tipos de viajantes que vão à Índia são os mais diversos. Das muitas coisas que vimos antes de cair na estrada,  nos pareceu que nascer no Brasil, principalmente no nordeste, foi um bom pontapé inicial. O que os turistas e experts em viagem relatavam como “choque cultural”, para nós, já foi parte do cotidiano. Uma viagem para a Índia permite diversas figuras de linguagem, uma que define bem nossa experiência por lá é a da queda de braço, onde de um lado estamos nós e do outro, 1 bilhão de indianos. Se você quer que as coisas transcorram como você gostaria, você precisa ser forte nas suas atitudes. 

Além de saber que álcool em gel vai ser um grande companheiro de viagem e que a água consumida deve ser somente a engarrafada, abaixo eu listo as 10 coisas que eu gostaria de ter lido antes de viajar para a Índia:

1 - Nada na Índia se resolve em 15 minutos, tudo é moroso demais. Se te falarem que o táxi vem em 10 minutos, considere vinte. Se um lugar fica a "300 metros" provavelmente estará a 600;

2 - Na Índia não dá para usar wi-fi em lugar nenhum a menos que você tenha um numero de telefone local. Pelo que li é algo relacionado à segurança e eles não pretendem alterar esse processo;

3 - O preço para o estrangeiro viajando pela Índia vai ser sempre 15 vezes superior do que seria para um indiano. Exemplo: Nas atrações turísticas pagas, onde o indiano paga 30 rúpias, o estrangeiro paga 500. E essa proporção se mantém ao longo da viagem; 


4 - Táxi e tuk-tuk não vão ligar o taxímetro para você. É preciso negociar o preço de forma taxativa antes de subir. A probabilidade do motorista de táxi/tuk-tuk conseguir falar em inglês é baixa. A comunicação na Índia será uma barreira e é interessante ter pelo menos o endereço do seu hotel, hostelguest house, escrito em híndi num papel. E ainda assim isso não é garantia de nada;

5 - Os indianos não respeitam as filas. Não há uma fila que não possa ser furada. Talvez o termo "fila indiana" venha do fato de todo mundo ficar tão colado um no outro, tentando, muitas vezes sem sucesso, impedir a atuação dos furões; 

6 - Nos grandes centros a espiritualidade não é a característica mais pronunciada da Índia, muitas vezes o dinheiro falará mais alto;


7 - Noventa por cento das vezes, alguém querendo te ajudar não é só boa vontade. Haverá um preço. Na dúvida, recuse quantas vezes forem necessárias;

8 - Na Índia não tem como você viajar "like a local", esse é um conceito que talvez você consiga aplicar em 10% do tempo da sua viagem. A partir do momento em que você não se parece com um indiano, tudo ao seu redor fica diferente;

9 - A franquia de bagagem despachada em voos na Índia é de 15kg e você precisará escanear sua mala antes de entregá-la no check-in. Quem emite uma passagem de fora da Índia não consegue fazer web check-in e todo mundo é revistado individualmente no raio-x. Por fim, só entra no terminal quem tem reserva para viajar em mãos. E para tudo isso, filas. Releia o item 5;


10 - Se você não saiu de casa com a pesquisa de lugares para comer bem feita, é bem provável que se dê mal ao tentar escolher aleatoriamente onde comer.

A máxima da nossa viagem foi: cada etapa é um desafio. Voltamos para casa exaustos, pois foram muitas barreiras vencidas, algumas com sucesso, outras nem tanto. É fato que nada te prepara para a Índia, mas o compromisso que tenho aqui no blog é fazer você viajar bem informado. Para tanto, ainda temos muito o que compartilhar, mas sem dúvida, essas são as 10 dicas que, ao nosso ver, podem valer ouro para quem se aventura numa viagem independente pela Índia. Contudo, como escrevi em um dos meus posts no instagram, o que a Índia tem difícil, ela tem de bonito. E é nisso que você se apega para seguir se aventurando. 

Namastê e Boa viagem!

Comentários