Quando visitamos Barcelona pela primeira vez em 2007, em pleno verão Europeu, não nos ocorreu de visitar alguma de suas praias, afinal de contas, morávamos no Recife e tínhamos praias à nossa disposição a hora que quiséssemos.  A gente queria mesmo era ver as coloridas e ousadas obras de Gaudí, percorrer as Ramblas e tomar suco de fruta fresco no Mercado da Boquería. No máximo, demos um pulinho na Barceloneta porque é impossível ir a Barcelona e não passar por essa famosa praia/ponto de encontro.



Corta para hoje, 11 anos depois, deixamos o Recife, fomos para São Paulo, viemos para Stuttgart, voltamos pra São Paulo, passamos por Berlim, moramos em Curitiba e hoje estamos de volta a Stuttgart. Para um casal que gosta de praia, temos aportado bem longe delas, né? Então, qualquer possibilidade de um mergulho num mar límpido é analisada e planejada com cuidado. Foi por isso que, ao comprarmos os ingressos do Primavera Sound, programamos manhãs de sol e mar e noite de música durante os três dias que teríamos em Barcelona. 

Não programamos revisitar nada, nenhum ponto turístico, queríamos apenas sombra e água fresca. Pesquisei algumas praias em Barcelona e algumas pessoas sugerem umas que estão a uma hora de trem da cidade. Essa distância faz sentido se você tem mais dias na capital catalã ou se mora por lá. Com poucos dias, o jeito foi pesquisar entre as praias urbanas mesmo, que, diga-se de passagem, não deixam a desejar em termos de limpeza, organização e cor da água. 



>> Leia também: Hotel bem localizado em Barcelona <<




Escolhemos a Platja Bogatell para o nosso debut nas praias de Barcelona. Aliás, essa praia foi o nosso point durante os três dias. Ela fica localizada numa área “nova” da cidade, construída para as Olimpíadas de 92, tem uma boa infraestrutura, com chuveiros, áreas para vôlei e futebol, calçadão, guarda-vidas, free wi-fi e segurança, além de restaurantes para todos os gostos e bolsos, como Mc Donald’s ou os conhecidos Xiringuito Escribà – precisa de reserva na temporada –, ou, o Can Fisher, que tem uma ótima sangria de vinho branco, um pan con tomate divino, um bolinho de caranguejo pra ninguém botar defeito, um péssimo polvo e precisa de alguém que saiba abrir ostras hahaha. De resto, tem uma vibe massa de frente pro mar. 






Demos sorte e pegamos dois dias de bastante sol e algum calor, mar gelado e limpo. Tão gelado que alto-falantes dão recados em 3 línguas para que a gente entre aos poucos na água para ir acostumando o corpo. A praia no período em que fomos (fim de maio e começo de junho) estava tranquila, tinha espaço de sobra e dava para estender a canga perto da água. Diferente das nossas praias brasileiras, onde há uma profusão de ambulantes vendendo toda sorte de produtos, não é comum este comércio desenfreado aqui na Europa. Então, vá preparado, leve água, lanche e o que mais você achar necessário para um dia de praia na mochila.  Em Bogatell a única exceção foi um grupo de indianos vendendo suas versões de mojito e sangria e escondendo a mercadoria na areia com medo da fiscalização.

SERVIÇO: Para chegar até a praia de Bogatell vale usar o metrô L4 –Llacuna ou os ônibus 26, H16 ou V27.