Publicado em 15/03/2020 – Atualizado em: 20/03/2020

Agora declarado Pandemia, o surto do coronavírus que já assolou a China e parte da Ásia, agora tem seu epicentro na Europa e passa, de uma vez por todas, a mudar o cotidiano das pessoas nessa porção do mundo.

Acompanhamos minuto a minuto o que se passa na Itália, desde os primeiros casos no norte do país até o completo isolamento da nação e a resiliência do povo italiano, que se mostra forte e determinado a passar da melhor forma por essa crise sem precedentes no mundo moderno.

Agora vemos o vírus – assim como o pânico – se espalhar por todos os cantos do planeta, são mais de 150 países afetados pelo coronavírus e cerca de 157 mil casos contabilizados. 



Coronavírus na Alemanha

Aqui na Alemanha, mais precisamente no sul do país, em Stuttgart, onde vivo, desde sexta-feira (13/03) escolas, creches, bares, restaurantes, academias, clubes, museus e piscinas públicas estão fechados até, pelo menos, 29/03 (as escolas, universidades e creches, creio eu, seguem assim até depois do feriado da Páscoa). Também foram cancelados ou adiados eventos que reúnam mais de 500 pessoas. Supermercados e lojas de perfumaria já começam a dar sinais de falha no abastecimento, sobretudo nas prateleiras de produtos como papel higiênico (há uma explicação pra isso), massas, molhos prontos, frutas e legumes, além de álcool em gel e desinfetantes em geral estão em falta em boa parte dos estabelecimentos. A sensação é de que aos poucos o caos toma conta. Empresas liberaram funcionários para fazerem home office, o governo pede para que fiquemos em casa e evitemos o contato social. Seguimos as recomendações e estamos auto-isolados em casa, acompanhando tudo pela tv e internet, sem planos de viagens pra os próximos meses.

Coronavírus e o turismo pelo mundo

A indústria do turismo, por sua vez, vem sendo extremamente afetada pelo coronavírus e as rebordosas atingem todos os lados, seja pelo cancelamento de feiras de turismo – onde negócios são feitos, tendências apontadas e novidades divulgadas –, seja diretamente no consumidor final. Uma das principais feiras anuais dessa indústria, ITB de Berlim, pela primeira vez não foi realizada. Voos, pacotes, cruzeiros, hospedagens, enfim, todas as viagens em geral vêm sendo modificadas e/ou canceladas. Países fecham suas fronteiras, proíbem voos e visitantes de determinadas regiões e assim, como num efeito dominó, toda a indústria do turismo vai entrando na sua própria quarentena. 

Para se resguardar e não sair no prejuízo, o consumidor pode (e deve) exigir seus direitos. De forma espontânea muitas empresas estão cancelando ou remarcando viagens e reservas sem custos, mas a PROTESTE, Associação de Consumidores, dá algumas orientações sobre o cancelamento de passagens áreas devido ao coronavírus. “A Covid-19 está avançando pelo mundo desde o seu surgimento, em dezembro de 2019, na China. No dia 11/03 a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou estado de pandemia do coronavírus, orientando os governos a conterem a circulação do vírus. No entanto, muitos consumidores já tinham agendado viagens para países onde o vírus foi detectado.” 

Segundo o Diretor de Relações Institucionais e Mídia da empresa, Henrique Lian, as companhias aéreas devem ressarcir o consumidor que decidir cancelar uma viagem à Europa, em razão do coronavírus, ou remarcar a viagem sem custos. 

Essa é uma situação muito excepcional, chamada de emergência de saúde pública. No caso da Itália, por exemplo, é mais sério ainda, porque há medidas das autoridades locais para que as pessoas não entrem ou saiam do país. Portanto, tanto uma empresa aérea pode cancelar seus voos para a Itália, quanto o passageiro pode desistir dessa viagem, diz Lian  

Seguradoras se posicionam sobre a pandemia do coronavírus

Enquanto isso, cias aéreas e armadoras de cruzeiros, diminuem suas operações ou até mesmo as encerram por completo. A companhia aérea alemã Lufthansa, por exemplo, cancelou 23 mil voos em abril. Outras aéreas estão informando aos clientes por e-mail sobre a possibilidade de alteração de datas de viagem sem cobrança de taxa de alteração, a exemplo da holandesa KLM e da low cost easyJet. Informações sobre os procedimentos de higienização dos aviões também foram divulgadas. Já a Italiana Costa Cruzeiros está suspendendo voluntariamente as operações globais de seus navios, impactando as viagens que seriam realizadas até o dia 3 de abril de 2020. Na China, as atividades da empresa estão suspensas desde o dia 25 de janeiro. 

Recebi no meu e-mail o posicionamento de algumas seguradoras:

A ASSIST CARD reitera que, mesmo após a recente declaração da OMS (Organização Mundial da Saúde), classificando o COVID-19 como pandemia global, a empresa seguirá oferecendo aos seus viajantes 100% das assistências médicas para casos ou diagnósticos relacionados ao Coronavírus.

A Travel Ace afirma que manterá total assistência médica para todos os passageiros em viagem.

Empresas como CVCDecolarSubmarino Viagens e Airbnb estão com páginas de informarções adicionais dedicadas ao tema. Na página principal da Booking.com, até a hora da publicação desse texto, não consta nenhuma referência à pandemia do coronavírus (a recomendação que consta na página atualizada em 19/03 da Booking.com é que o cliente deve entrar em contato direto com o alijamento reservado ou, caso prefira, faça uso do canal de de ajuda da empresa) .

As principais cias aéreas do Brasil se posicionam sobre o coronavírus

Segundo o BuzzFeed.News Brasil, as companhias aéreas do Brasil e do mundo mudaram suas políticas por conta da pandemia.

Leia abaixo o posicionamento delas:

A Latam informou que os clientes que compraram passagens para voos nacionais ou internacionais para destinos afetados pela pandemia, e que viajam a partir de 16 de março, podem reagendar seu voo gratuitamente até 31 de dezembro de 2020. O telefone para para resolver a questão é: 0300 5705700

Já a companhia Azul informou que, para voos domésticos até dia 30 de setembro, podem ser cancelados ou alterados. Cancelamentos poderão ser feitos, sem taxa, com o valor ficando de crédito por até um ano. O telefone da Central de Atendimento é: (11) 4003-1118

A Gol disse que clientes poderão cancelar suas reservas e manter o valor como crédito futuro, também por um ano. Caso queira remarcar, o cliente poderá escolher uma nova data num período de 330 dias. O telefone de atendimento é: 0300 115 2121


E essa história parece longe de acabar, o vírus segue sua escalada aqui pela Europa e a tendência é que todos os países da União Europeia adotem posturas semelhantes às da Itália em relação ao trânsito nacional e internacional de pessoas, a Espanha já está com fechamento de cidades e a França, mantém lugares públicos e comércio fechados. No Brasil, o problema começa a tomar a forma que já enxergamos na Europa. 

Em tempo: A nossa recomendação é que qualquer plano de viagem seja adiado/cancelado e que você, viajante, saia dessa sem nenhum prejuízo, na medida do possível, emocional ou financeiro. Por fim, fica o alerta: se você não se encontra no grupo de risco (idosos e/ou pessoas com doenças crônicas) faça também a sua parte, procure obedecer às recomendações do governo local. Se for preciso entre em quarentena ou distanciamento social, bem como lave SEMPRE as mãos e cubra boca e nariz ao tossir. Lembre-se que podemos ser o vetor do vírus para quem está no nosso convívio e que essa é uma questão social e coletiva.