Maskpackers - Turismo na Pandemia | Aracaju (Sergipe)

Observando colegas que moram no Brasil e no mundo fazendo rápidas viagens, turistando em suas próprias cidades, aproveitando rápidas férias ou feriados para recarregarem as baterias a fim de aplacar os efeitos negativos do isolamento causado pelo surto da Covid-19, resolvi criar uma coluna onde entrevisto uma série de viajantes (e pessoas que de alguma forma estão envolvidas com o turismo) e chamá-la de maskpackers – uma brincadeira em inglês com as palavras mask e backpackers, “mochileiros de máscara”. 

Enquanto uma vacina não é desenvolvida, tentamos viver uma vida alternando entre o medo de se contaminar com o coronavírus e a dificuldade de se isolar. Como a máscara hoje se tornou um símbolo de quem adere às medidas de segurança, algumas pessoas passaram a viajar de um novo jeito e compartilham aqui com vocês quais são as impressões, cuidados e recomendações de quem viaja durante a pandemia.

Quem compartilha com a gente sua experiência hoje é a geóloga Camilla Kafino (39) que saiu de Brasília acompanhada do filho Theo, de 4 anos, além do seu irmão e a cunhada, rumo a Aracaju. Camilla – que torce para que o desembarque por fileiras, instituído pelas companhias aéreas para evitar aglomeração, seja mantido mesmo após o fim da pandemia – afirmou que na capital sergipana eles puderam desfrutar de 8 dias em meio à natureza com alguma tranquilidade. Leia abaixo a entrevista na íntegra.

Camilla e o filho Theo, de 4 anos
de férias em Sergipe
Foto: Camilla Kafino
Arquivo pessoal
Como viajou? Quais medidas você observou que foram tomadas durante o deslocamento? 
Fomos de avião, num voo direto de Brasília-Aracaju. Em Aracaju, íamos alugar um carro, mas deu um problema na locadora e acabamos ficando com um motorista que conhecemos por lá mesmo. Isso nos deu uma certa tranquilidade por ser sempre a mesma pessoa com a gente (ao invés de pegar uber/taxi). 

A experiência no aeroporto quanto às questões de distanciamento e cuidados de higienização estão ótimas. Fica uma situação um pouco desconfortável quando se entra no avião porque todos os assentos podem ser ocupados e como a malha aérea diminuiu muito, os voos estão saindo bastante cheios e aí, todos os critérios de distanciamento ficam prejudicados. 

Minha dica é uma boa máscara, faceshield se você estiver realmente nervoso quanto ao tempo de exposição dentro de um avião e álcool gel pra você higienizar seu assento e outras superfícies de contato. No mais, estou adorando a experiência atual de desembarque por fileiras e isso evita muito a aglomeração. Espero que essa medida seja mantida para sempre. 


Onde se hospedou? O que te levou a escolher esse tipo de hospedagem? A pandemia pesou na sua escolha? 
Escolhemos um apartamento de Airbnb por conta da pandemia sim. Algumas situações como café da manhã em um hotel e circulação incessante de pessoas diferentes o tempo inteiro pesaram na nossa escolha. Ficamos satisfeitos com nossa ideia e indico fortemente esse tipo de hospedagem, ainda mais nesse momento da pandemia. Vale sempre a pena conversar com o host para verificar quais cuidados ele está tendo e você levar suas preocupações e sugestões para adequar a um protocolo que fique bom para todos. Eu achei isso bem tranquilo de ser feito. 



Você observou cuidados especiais por causa da pandemia durante sua hospedagem? Quais? 
O Airbnb está com uma política diferenciada no momento, por exemplo, o check-in só pode ser realizado num local 24h depois de ter sido desocupado, e outros detalhes que é possível conferir no site

Contratou tours, passeios ou explorou o destino por conta própria? 
Como falei, pegamos um motorista para ficar com a gente durante a viagem porque não conseguimos alugar um carro. Claro que se estivéssemos de carro próprio estaríamos mais tranquilos. Mas como não foi possível, o fato de ficar com o mesmo motorista nos deu uma tranquilidade porque diminuiu bastante nossa exposição caso tivéssemos optado por circular de uber/táxi. 

Utilizou otransporte público da cidade visitada? Como foi a experiência? 
Não. 

Camilla fez o passeio até os Cânios do Xingó - Foto: Camilla Kafino/Arquivo pessoal

Visitou atrações fechadas ou deu preferência aos pontos turísticos ao ar livre? 
Aracaju é destino de praia, é possível ficar apenas ao ar livre e foi o que fizemos. Os passeios que optamos foram praias mais distantes e fomos até os Cânions do Xingó. Evitamos ir ao Mercado da cidade e ao museu, mesmo sendo atrações incríveis. 

Frequentou restaurantes? Observou mudanças por causa da quarentena? 
Fomos a alguns restaurantes, sim e numa barraca de praia. As principais mudanças são o distanciamento das mesas, o faceshield dos atendentes, os cardápios em QRCode, o álcool nas mesas e as máscaras nas pessoas. 

Precisou contratar um seguro viagem para a ocasião? 
Não. 


Máscara, álcool, natureza e jogo de cintura, essas são as dicas de Camilla
para viajar durante a pandemia - Foto: Camilla Kafino/Arquivo pessoal


Se sentiu segura durante toda a viagem? 
De uma forma geral, sim. Acho que fizemos escolhas bastante conscientes e todos os dias se fosse preciso alterar um programa por conta do local estar muito aglomerado a gente fazia sem problemas. 

Com base na sua experiência, qual dica você dá para quem está pensando em viajar durante a pandemia? 
Nesse momento, o principal é o quanto a gente consegue estar confortável e, principalmente, pensar em nossa responsabilidade no meio disso tudo. O risco em lugares abertos e ventilados é baixo então, se for escolher um restaurante, dê preferência para um que tenha essas características. Evitar os lugares fechados é a grande dica! Máscara, álcool e natureza e jogo de cintura para nos adaptar a essas novas formas de viajar. 

Adendo: Aproveito para deixar claro que esse projeto não é um incentivo às viagens. A pandemia não acabou. Esse trabalho tem um cunho jornalístico com o intuito de relatar experiências de pessoas que ao mesmo tempo em que estão tentando se adaptar à nova realidade, acreditam na seriedade do assunto. 


Para notícias oficiais e atualizadas sobre a Covid-19 em Sergipe: https://www.saude.se.gov.br
Para notícias oficiais e atualizadas sobre o turismo em Sergipe:https://www.se.gov.br/setur/setur_home

Rapha Aretakis

Viajante e sonhadora em tempo integral. Edito, escrevo e fotografo para o Raphanomundo desde 2010. Nascida no Recife, criada para o mundo, vivendo em Stuttgart, Alemanha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram @raphanomundo