Mostrando postagens com marcador gramado. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador gramado. Mostrar todas as postagens

24.3.11

Gramado - Todos os Posts


Para facilitar a vida de quem procura os posts sobre Gramado e Canela, deixo tudo em um só lugar:



Gramado: Onde comer

Como eu já havia dito Gramado é um destino gastronômico e para onde você se virar vai dar de cara com um restaurante. Se você vai até lá tem umas especialidades must eat tipo: ir comer uma Fondue, tomar um chocolate quente (ou um sorvete) na Velha Bruxa e o famoso (e farto) Café Colonial. Os restaurantes você escolhe, mas deixo as dicas dos que fui e aprovei aqui. Antes, algumas fotos para abrir o apetite. Servidos?

vai uma Eisenbahn gelada?

salsicha bock com mostarda, molho de alho e de azeitonas no Clericot Café


vinho e fondue no intimista Chateau de la Fondue


galeto e rodízio italiano no almoço na Casa Di Paolo


mesa repleta no Café Colonial da Torre

sorvetes da Casa da Velha Bruxa - perdição

  • Clericot Café - Eisenbahn gelada R$ 7,50 e Petisco R$ 20,00. Av. Borges de Medeiros, 2300 Praça do Moinho;
  • Trattoria del Corso - Spaghetti al gorgonzola, noci ed entrecôte para duas pessoas R$ 52,50. Taça de vinho R$ 7,00. Av. Borges de Medeiros, 2345 Centro;
  • Tagliarini Cantina - Rodízio de Massas e Grelhados R$ 30,00 por pessoa. Rua Pedro Benetti, 06 Ao lado da Igreja Matriz;
  • Casa Di Paolo - Tradicional Culinária Italiana: Galeto, Massas e Grelhado (rodízio) R$ 42,00 por pessoa. Rua Garibaldi, 23;
  • Chateau de la Fondue - Sequência de Fondue na pedra (queijo, carne e chocolate) R$ 54,00 por pessoa. Garrafa de vinho R$ 30,00. Rua João Correia, 101 Centro;
  • Café Colonial Torre - Café Colonial R$ 40,00 por pessoa (pagando com master tem desconto). Av. das Hortênsias, 2147 Centro;
  • Casa da Velha Bruxa - Sorvete no cascão de biscoito R$ 11,00. Av. Borges de Medeiros, 2746 Centro.

23.3.11

Canela: Castelinho Caracol

Como eu disse no post passado, o Castelinho Caracol merece um post à parte mesmo. É a segunda vez que o visito e sempre me encanto com a história. A casa é uma das primeiras residências construídas em Canela, fato que aconteceu por volta de 1913 e 1915. Desde 1985 ela virou um museu aberto e abriga relíquias da família, de origem alemã, Franzen. Hoje, se não me engano, só um membro da família é vivo, mas mora em outra casa no mesmo município. 
Tudo por lá está intacto e é muito bonito. Entrar na casa é uma viagem no tempo. Não sei bem explicar porque esse é o meu lugar preferido do passeio, talvez por respirar história quando a gente põe o pé lá dentro ou quem sabe é por causa do perfume do apfelstrudel que toma todo o ambiente e nos transporta para uma cidadezinha do interior da Alemanha? Não sei. Só sei que esse passeio é uma delícia. Dessa última vez o clima estava fresco, mas em junho de 2005 o frio dava um charme ainda maior ao lugar. É imperdível!

fachada da casa da família Franzen

sala de jantar e o centro da mesa giratória

sala de música do Sr. Franzen

relíquias na parede

                           
                                   banheiro

detalhe do quarto e do berço

o belíssimo quarto de costura


os arredores da residência

                       
                         riacho que corre no quintal da casa

fundos do armazém
Quem quiser ainda pode sentar-se por lá e apreciar uma bela fatia do apfelstrudel bem quentinha acompanhada de uma generosa porção de nata feitos no fogão à lenha da família. Hoje eles já incorporaram uma lojinha ao lugar, mas eu não entrei. Quis deixar na memória só a parte menos comercial do negócio. No mais, esse é o ponto forte do passeio até Canela. Espero que vocês gostem (para quem ainda não foi) ou tenham gostado (para quem já foi) tanto quanto eu.


Serviço:
Castelinho Caracol: aberto diariamente das 9:00 às 13:00 / das 14:20 às 17:40. Custa R$ 6,00 (adulto) crianças até 10 anos não pagam e melhor idade tem 50% de desconto. Fatia de apfelstrudel para duas pessoas R$ 17,00

22.3.11

Canela: Passeios

Estou de volta com os posts da viagem a Gramado, mas fiquem de olho nos posts comemorativos de 1 ano do raphanomundo que tem muita coisa legal ainda. 

Quando terminamos o passeio de jardineira pela cidade tratamos logo de garantir os bilhetes para o passeio até Canela, cidade vizinha, no dia seguinte, lá mesmo na Jardineira das Hortênsias. O passeio custa R$ 28,00 por pessoa e dura cerca de 5h. Esse pacote que fizemos passa pelos seguintes pontos: Catedral de Pedra (centro de Canela), Fábrica de chocolates, Parque do Caracol, Castelinho do Caracol e o Mundo a vapor. Cada um desses lugares, tirando a Catedral e a Fábrica de chocolates, tem um custo à parte para entrar. No Castelinho pagamos R$ 6,00 cada um. Já no mundo a vapor a entrada custa R$ 14,00 e no Parque do Caracol gastamos R$ 10,00. O serviço funciona da seguinte forma: você faz a reserva do passeio e pode pagar por ele na hora ou ao seu término. É preciso dizer onde você está hospedado pois a van do passeio irá até o local buscá-lo. No nosso caso, a van passou às 8:10 na pousada e de lá seguimos direto rumo a Canela.
Nós não somos muito fãs de passeios em grupo de desconhecidos, mas não é necessário fazer nada grudado. O guia/motorista diz a hora em que devemos nos encontrar novamente e nos deixa livre para explorar cada lugar da forma que preferimos.

Catedral de Pedra no centro de Canela

No centro da cidade o passeio é para ver a belíssima Catedral de Nossa Senhora de Lourdes, mais conhecida como Catedral de Pedra. Em estilo gótico a igreja tem 65 metros de altura e 12 sinos fabricados na Itália. É linda de verdade. Lá no centro tem várias lojinhas de artesanatos e malhas com preços bem mais em conta do que em Gramado. Se você vai com a intenção de comprar alguma coisa é melhor ir por lá sem falta. Para mim, o destaque de 2005 e que, para minha surpresa, continua lá até hoje é a linda loja Mãos do Mundo. Especializada em produtos de decoração do oriente, mais precisamente da Tailândia, Nepal, Índia, Indonésia e China a loja enche a vista de qualquer um. Quando fui em 2005 comprei um anel lindo e fiquei encantada com o lugar. Dessa vez a loja pareceu estar ainda melhor. Fiz a feira: colar, brincos, elefantinho e uma bonequinha chinesa aqui pra casa. Virei fã da Mãos do Mundo e recomendo!

queda d'água do Parque do Caracol

mais pertinho da cachoeira
a natureza lá no Parque do Caracol

Do centro partimos para o Parque Estadual do Caracol onde está situada a Cascata do Caracol. Lá no Parque ainda é possível encontrar mais artesanato, mas o principal por lá é a vista da cascata propriamente dita. A queda d'água tem 131 metros e eles construíram uma escadaria com 975 degraus possibilitando os visitantes chegarem à base da cachoeira. Quem quiser ver o negócio ainda mais de cima (eu não vejo necessidade, mas há quem veja) pagando mais R$ 7,00 dá pra subir num elevador mais alguns metros. Pega turista, hein? 

A visita ao Castelinho do Caracol vai merecer um post à parte, pois foi um dos lugares que mais gostei em 2005 e continuou sendo em 2011. Lindo! 

Castelinho do Caracol

O Mundo a Vapor é um parque temático onde encontramos mais de 50 miniaturas de máquinas a vapor que funcionam de verdade. O parque e as maquininhas despertam a curiosidade de adultos e crianças, mas para mim, o Mundo a Vapor é um passeio essencialmente infantil. As crianças vão à loucura quando vêem tudo funcionando e criando pequenos tijolos, telhas e folhas de papel. Em sua fachada é reconstituído o acidente ferroviário que aconteceu em Paris, no bairro de Montparnasse, no ano de 1895. 


fachada do parque temático Mundo a Vapor

mini olaria onde são feitos tijolos e telhas



O passeio da Fábrica de Chocolates é mais um "come tempo", pois para onde você olhar em Gramado irá se deparar com uma loja oferecendo um passeio à sua linha de produção. No nosso caso, como o passeio estava incluso no pacote, fomos fazer a visita. Como era domingo a linha de produção estava fechada, mas eles não são burros, haviam preparado um vídeo sobre a história da loja e depois distribuíram cestinhas para nós irmos às compras.  Como já disse no twitter (segue aí @aretakis) não sou fã de chocolate, então, essa parte do passeio não é o ápice para mim. No entanto o resto do grupo saiu de lá bem feliz com as aquisições.

Resumindo, o passeio até Canela é bom, mas pra mim só vale por causa da Mãos do Mundo, da Cascata do Caracol e do Castelinho, o resto eu passo!

16.3.11

Gramado: A cidade

Desde antes de partimos de São Paulo já havíamos combinado que essa viagem seria mais para descanso do que qualquer outra coisa. Eu já tinha alertado o marido de que Gramado sem crianças é algo mais light (leia-se: alguns passeios e muita comida). Como chegamos à noite, esperamos a manhã seguinte para dar um passeio geral na cidade. Com a luz do dia ficou bem mais fácil de me situar e lembrar dos caminhos, o que não é difícil, pois Gramado tem 3 ruas principais e algumas transversais movimentadas. Moleza. Demos uma volta pela Borges de Medeiros, avenida principal, onde fica a Igreja São Pedro, a Rua Coberta, o Palácio dos Festivais (onde acontece o Festival de Cinema de Gramado) e a maioria das lojas. 
Foi um encanto ver que a cidade continuava do mesmo jeito: bonita, limpa e segura. O marido estava de queixo caído, pois não imaginava que encontraria uma cidadezinha tão bacana assim e, por mais que eu tivesse dito que era muito legal, ele não levou muito a sério. Discípulo de São Tomé o garoto, só acredita vendo! 


Igreja São Pedro

fachada do Palácio dos Festivais

divulgação da Festa da Colônia na Rua Coberta

a charmosa Rua Coberta

ponto de informações turísticas

relógio que fica em frente à loja de kukos

Depois dessa rápida geral nós resolvemos pegar a jardineira que faz um passeio de quase duas horas de duração e mostra toda a cidade. Eu também já havia feito esse passeio, mas não custou nada fazer novamente. Fomos na agência, compramos os tickets para a próxima saída e aguardamos. O motorista da jardineira, que é super cordial, é quem vai contando a história da cidade e dos pontos turísticos pelos quais passamos. O passeio tem duas paradas estratégicas para fotos: no pórtico da cidade e no lago negro. Quem vai com tempo de sobra deve fazer esse passeio para se situar e voltar aos lugares que mais gostou. Por exemplo, se tivéssemos muito tempo teríamos voltado ao lago negro, que é lindo. Ah, o passeio custa R$ 16,00 por pessoa. 


pórtico da cidade de Gramado

o Lago Negro

Praça das Bandeiras

Hortênsia, flor símbolo da cidade

outra opção de city tour, mais rústica, digamos


Gramado ainda tem outros pontos interessantes para serem visitados como o Mini Mundo e a Aldeia do Papai Noel. Em 2005 visitei os dois, mas dessa vez topamos passar esses dois parques. Porém, para quem vai com crianças são passeios obrigatórios! O clima dessa minha segunda vez em nada se pareceu com o da primeira. Fui em junho, começo de inverno, mas para a pernambucana aqui  parecia que eu estava no Alasca. Já agora, em março, os dias eram agradáveis (por vezes quentes) e as noites, amenas. Com sorte pegamos dias lindos de céu aberto e poucas nuvens. Foi muito bom poder rever esse pedacinho da Europa no Brasil. Que se mantenha assim!

15.3.11

Gramado: Como chegar e Pousada

O marido e eu resolvemos passar esse carnaval bem longe da folia. Primeiro porque quando compramos as passagens (ano passado) os preços para o Recife no período estavam astronômicos e segundo porque os preços para Porto Alegre estavam convidativos, cerca de R$ 200,00 ida + volta, por pessoa, já com as taxas inclusas, pela Gol. Estava decidido, passaríamos o carnaval em Gramado. Eu já conhecia a cidade, quando fui em 2005, na ocasião fui para prestigiar o Festival Mundial de Publicidade de Gramado. Viagem essa que foi bastante divertida, cercada de pessoas queridas da faculdade e meu irmão como companheiro de aventura.  Porém, o marido ainda não conhecia a cidade e eu estava curiosa pra voltar, pois havia gostado muito do que vi pela primeira vez. 

Passagens compradas, agora era hora de resolver onde ficaríamos e como ir de POA para Gramado. Já no booking.com (sempre ele) vimos uma pousada super bem recomendada e com o preço muito bom para o período. Reservamos. Durante as pesquisas encontramos a empresa que faz o traslado POA - Serra Gaúcha (passando pelo aeroporto Salgado Filho e por Gramado). No site da Citral nós compramos os bilhetes de ida e procuramos nos informar para saber como se daria essa transação, uma vez que no bilhete constava que sairíamos da rodoviária. Bastante solícitos e eficientes, os funcionários nos responderam o e-mail dizendo que ao desembarcar no aeroporto deveríamos ir ao guichet da Citral, que fica no mesmo andar, e trocar o bilhete impresso em casa pela passagem propriamente dita. Um vez lá, trocamos o bilhete e fomos encaminhados para o local de espera do ônibus que um fiscal da empresa nos chamaria quando fosse a hora de embarcar. Ônibus novo, organizado, nossos assentos reservados, embarque rápido e wi-fi a bordo. Quer mais? Super decente! Tudo isso por R$ 29,00 por pessoa, o trecho. 

A viagem é longa e a estrada no começo não estava tão boa porque passava por reforma de duplicação, mas a retenção logo passou e uma hora e meia, duas horas (no máximo) depois estávamos na simpática rodoviária de Gramado. 


a sala aconchegante da Pousada Florença e sua lareira

o outro lado da sala de estar

poltronas da sala de TV

detalhe da decoração do ambiente

mais um detalhe da decoração da Pousada Florença
sala de TV e muitas flores naturais

Como estava à noite e eu não me lembrava tão bem do lugar para saber me situar achamos por bem pegar um táxi para ir à Pousada Florença. Pagamos exatos R$ 5,00. Estávamos praticamente em cima dela. Com apenas 16 quartos a pousada é um pedacinho da Itália na cidade de Gramado. O ambiente é extremamente acolhedor, bem decorado e muito charmoso. Fomos super bem recebidos pelo funcionário da noite, o simpático e cordial Felipe. Após o check-in ele nos levou ao quarto, mas não sem antes mostrar as áreas de convivência da pousada e nos indicar os horários de café da manhã e do chá da tarde que eles oferecem. Nos deparamos com um quarto quentinho, bem arrumado, cheiroso, com uma cama que convidava para o descanso. Tudo o que planejamos para o feriado. Fizemos um reconhecimento rápido do lugar, deixamos as malas e partimos para comer alguma coisa (o post de comidas, como vocês já devem ter notado, vem em seguida). Ao retornar ao quarto da pousada vimos que foi deixada em nossa mesinha uma bandeja com duas xícaras, água quente e um providencial chazinho de camomila para tomarmos antes de dormir. Amei de cara!


cama super confortável e espaçosa

frigobar, tv e aquecedor (que funciona quando a temperatura cai para menos de 7º)

mesinha de canto onde eles servem chazinhos todas as noite antes de dormir

banheiro simples, mas organizado

O café da manhã é quase que totalmente servido à mesa, que é especialmente preparada para o número de hóspedes de cada quarto. Primeiro eles nos trazem suco de laranja e frutas. Depois bolo e torta salgada. Café, leite, pães e frios. Tudo delicadamente servido em porcelana branca. Lindo. Você realmente se sente bem. Para se servir à vontade uma infinidade de delicados biscoitinhos e docinhos.
Já no café da manhã outro simpático funcionário, o Lucas, nos pergunta se vamos aceitar tomar o chá da tarde, que vai das 17h às 17:30h. Caso a resposta seja positiva, nesse horário, você encontrará sua mesa pronta para degustar um delicioso chá. Na hora combinada chegamos à sala do café da manhã e encontramos nossa mesinha pronta. Tortas deliciosas estavam expostas para nos servirmos, torradinhas, salgadinho, biscoitinhos e claro, a vedete, o chá, que nesse dia foi de rosas. Posso dizer que foi perfeito? Tudo excelente!

flores naturais, tortas e deliciosos salgadinhos para o chá da tarde

meu delicioso chá de rosas - perfeito

Recomendamos demais a Pousada Florença. O atendimento é personalizado, delicado e cuidadoso e o ambiente é ímpar. Tenho só algumas considerações a fazer: o sinal do wi-fi (que é gratuito) não era bom no nosso quarto e só tinha tv a cabo na sala de convivência, ou seja, fora dos quartos. Bom, talvez tenha sido o momento de se desligar da vida um pouco e eu não saquei totalmente, mas de resto, a pousada é fantástica.

13.7.10

Ah, Fondue!

Com origem na Suíça a fondue é um prato normalmente à base de queijo aquecido sobre um rechaud onde as pessoas se servem diretamente. A região de origem ainda é uma incógnita, mas a receita mais antiga data o ano de 1699, ou seja, faz tempo que come-se a iguaria. Amplamente difundido no nosso país o prato ganha novas caras e combinações e vai além da mistura borbulhante de queijos: carne, chocolate, light, são alguns dos novos sabores que posso listar.
Há quem ache a fondue brega, mas eu não tenho nada contra e acho muito gostoso. Infelizmente essa onda de calor que se alojou por aqui e não dá nem pra sonhar com comidas nessa temperatura, mas vocês que se encontram em solo tupiniquim, podem se jogar na fondue com um bom vinho e curtir o inverninho gostoso que chegou por aí.
A revista viagem elegeu as 5 melhores fondues do país, mas se você não está nem no sul nem no sudeste não desanima que dá pra comprar o rechaud e fazer em casa numa boa!


Já fiz muita fondue em casa com meus pais e amigos no tempo em que ele ainda respondia por "O" fondue e sempre foi muito divertido ficar em torno da mesa bebericando e degustando essa delícia.
Ah, saudade!

imagem: aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...