Dresden a pé

Não poderia terminar a série "Alemanha de trem" sem registrar este passeio. Dresden foi, sem dúvida, a grande surpresa da viagem. E foi assim, com essa sensação de ter sido pego desprevenido, que minha família e eu nos vimos completamente arrebatados pela beleza e o charme da cidade. Chegamos à cidade do meio para o fim da nossa viagem, depois de passar por Frankfurt, Colônia, Hamburgo e Berlin. É fácil notar que todas as cidades alemãs são bem diferentes entre si, especialmente se você sai, por exemplo, do sul para o norte, ou do oeste para o leste, a diferença é visível e, quase sempre audível, já que muitos dialetos coexistem pelo país. Mas ainda assim, nenhuma outra cidade alemã que eu tinha conhecido me preparou para Dresden.


Com apenas um dia completo programado na cidade, ficou fácil desapegar do roteiro turístico sugerido nos mapas e simplesmente caminhar sem destino.

A majestosa Frauenkirche


Brühlsche Garten
Parte da Kunstakademie
Semperoper Dresden 
Katholische Hofkirche do lado esquerdo da foto
Zwinger
Adicionando cores ao outono de Dresden
Onde o velho e o novo vivem em harmonia
Do outro lado do Elba
Cai a noite e a cidade fica ainda mais charmosa - mural incrível Fürstenzug

Como vocês podem observar pelas fotos, um dia para Dresden é pouco, muito pouco. Talvez uma vida, e ainda assim, seja pouco. Espero voltar muito em breve e dedicar o tempo e a atenção que a cidade merece. 

Comentários

  1. Ainda não conheço Dresden, mas pelo que já li sobre a cidade, acho que 1 dia é muito pouco mesmo!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito pouco, Fernanda. Eu teria tirado um dia de Berlim, que já conheço muito bem, e daria para Dresden. Enfim, viajando e aprendendo, né? O bom é que os leitores do blog agora já sabem... :)

      Excluir

Postar um comentário