Checklist para uma viagem a Costa Rica

Antes de toda viagem eu sigo o mesmo ritual: faço uma pesquisa extensa sobre o destino a ser visitado e transcrevo para um caderno as dicas e informações básicas, porque já que são básicas é difícil que mudem. Esse caderno está comigo desde 2010 – foi até citado no primeiro post do blog –, sim é o bendito moleskine vermelho. E já que o conteúdo sobre a Costa Rica em português é escasso, resolvi compartilhar com vocês algumas dicas básicas para quem está pensando em viajar para o país. 




Informações gerais


  • Idioma: Espanhol | Mas o inglês é muito bem aceito nas zonas turísticas;
  • Visto: Brasileiro não necessita de visto de entrada no país para estadias de até 90 dias de duração;
  • Moeda: Colón | 1 Real = 172 Colones - O dólar também é aceito em muitos estabelecimentos, sobretudo os mais turísticos;
  • Saúde: Para entrar no país é necessária a vacina contra febre-amarela (válida por 10 anos) – o Certificado Internacional de Vacinação é feito nos postos da ANVISA | Não preciso citar os benefícios de viajar coberto por um seguro viagem;
  • Fuso: 3 horas a menos com relação ao horário oficial de Brasília;
  • Voltagem:  110V e 120V Frequência 60Hz – Os plugs das tomadas são TIPO A e TIPO B;
  • Código Telefônico: +506
  • Clima: De dezembro a abril – seca | De maio a novembro – chuva

Fazendo as malas

A sua mala vai depender do objetivo da viagem, como a minha envolvia praia e montanha, tive que levar um pouco de tudo na bagagem, mas os itens essenciais são:



  • Repelente e Protetor Solar, ambos em abundância;
  • Tênis para caminhada/trekking – Uso a minha bota Timberland, velha companheira, que aguenta sol, chuva, neve, lama, pedregulhos e o que vier pela frente;
  • Chinelo;
  • Roupas de banho;
  • Blusa com proteção UV para redobrar a proteção – Os produtos da Litoraneus são excelentes;
  • Chapéu;
  • Roupas leves;
  • Óculos de sol;
  • Calçados confortáveis;
  • Case/Caixa estanque para Câmeras e Celulares;
  • Carregadores, baterias e cartões de memória extras;
  • Mochila para carregar tudo e ficar com as mãos livres.


No aeroporto

É recomendável fazer câmbio nas dependências do aeroporto de chegada, pelo menos de uma parte do dinheiro, para os gastos iniciais como táxi, ônibus, lanches. No meu caso, fiz em San José – capital da Costa Rica – no Aeroporto Internacional Juan Santamaría. A Global Exchange fica bem em frente às esteiras das bagagens, logo após a imigração. Pela conveniência, fiz o câmbio de 50 dólares por lá (cerca de 23.033,25 CRC – sem taxa de serviço). O processo foi simples e rápido, bastando apresentar apenas o passaporte. Eles também recebem reais, euros e outras moedas. Nos hotéis da Costa Rica também é possível fazer câmbio, mas aí é só dólar - colon e a cotação fica bem próxima das casas de câmbio. Vale lembrar que para deixar o país o viajante precisa pagar uma taxa de US$ 29 antes de seguir para o check-in.


E você, já foi a Costa Rica? Tem dicas do seu caderninho pra compartilhar aqui com a gente? Deixe sua dica (ou dúvida) aqui nos comentários!

Esse post é um publieditorial <<
Leia mais sobre a nossa relação com o mercado <<


| Viajei  à Costa Rica a convite do ICT representando a Coluna de Turismo com o apoio da Mondial Assistance |





Comentários