Noruega | Vendo a Aurora Boreal em Tromsø

Ver a Aurora Boreal, para mim, se tornou um fenômeno viciante. Desde nossa volta para casa, depois que a avistamos algumas vezes na viagem à Islândia, que fiquei pensando em quando voltaria a vê-la. Demorou pouco mais de um ano para que o reencontro acontecesse, ainda em dúvida onde ir para ter mais chance de avistá-las, o marido (que estava planejando a viagem de surpresa para o meu aniversário) ficou dividido entre Kiruna, na Suécia ou Tromsø, na Noruega. E o critério de desempate foi o seguinte: apesar de Kiruna ter condições climáticas melhores, a cidade não tem nenhum atrativo a mais. Já Tromsø, caso a Aurora Boreal não desse as caras, nós poderíamos conhecer a região e fazer outros passeios. Então, estava fechado, ao deixar Estocolmo, nossa primeira parada, seguiríamos para Tromsø, no norte da Noruega.

Eu, observando (e tentando fotografar) a Aurora Boreal em Tromsø, na Noruega | Foto: Ayaka - Tromsø Safari
Polar Nights: quando o sol não nasce por quase 2 meses no ártico

Desembarcamos no aeroporto de Tromsø pouco depois das 15h e a cidade já estava tomada pelo breu total. Eu sabia que havia pouca luminosidade nessa época do ano, mas só ali eu pude saber o que é o fenômeno da Noite Polar – oposto ao sol da meia-noite. Por cerca de quase dois meses, próximo aos polos da terra, o sol essa época do ano não nasce, somente uma claridade fraca toma conta do céu e vemos apenas luzes em tons de nascer e pôr do sol. Para quem visita a região com os dias contados, é algo realmente fascinante. Já para quem mora, é necessário uma série de cuidados e adaptações para atravessar esse período.  

Caçando a Aurora Boreal na Noruega

Deixamos as malas no hotel, vestimos as roupas adequadas para a ocasião (pelo menos 3 camadas (segunda pele térmica, pullover de lã, casaco pesado, meias térmicas e botas à prova d’água e resistentes ao frio), tomamos uma sopa quente e seguimos para o ponto de encontro de onde partiria o nosso tour para ver a Aurora Boreal. Acompanhávamos a previsão do tempo dia após dia até chegar em Tromsø e demos sorte de pegar temperaturas positivas (mas sensação negativa) e uma pausa nas nevascas. Aliás, tivemos sorte com o tempo, não nevou nem um dia sequer, o que é ótimo para quem quer ver as luzes verdes dançantes no céu. 

Dessa vez, ao contrário do que fizemos na Islândia, o tour que marcamos para observar a Aurora Boreal em Tromsø não era um passeio de caça e sim, uma viagem de ônibus de cerca de duas horas para uma Estação Base da companhia de turismo. Ele têm algumas bases espalhadas pela região e, de acordo com o tempo e as condições, podem se mover até chegar à melhor base para avistarmos o fenômeno natural. Havíamos marcado um tour em grupo, onde normalmente vão até 60 pessoas, nesse dia, no entanto, éramos apenas seis, mais a guia/fotógrafa e o motorista do ônibus. Seguimos para o sudeste da Noruega, até a região do Strandbu Camping, onde ficava a nossa base. Durante a viagem a guia, a japonesa Ayaka, conta um pouco da sua própria história e relação com a Aurora Boreal, além de passar vídeos informativos sobre essa maravilha dos céus. No percurso, porém, uma única pergunta passava pelas nossas cabeças: conseguíamos ver a Lady Aurora aquela noite?

Observando a Aurora Boreal numa Estação Base na Noruega

Chegando à base, fomos recepcionados pela finlandesa Marja, que hoje está na Noruega mas morou muitos anos na Lapônia. Ela é responsável por falar um pouco da região e nos acomodar na tenda (chamada de Kota, espécie de casa para o povo indígena Sami, oriundo do norte da Europa). Dentro da tenda, onde a temperatura se faz um pouco mais agradável devido à fogueira que aquece e ilumina, conversamos um pouco e podemos nos acomodar em cadeiras revestidas de pele de rena, animal comum na região. Ainda na tenda temos chocolate quente, chá e café além de alguns biscoitos, inclusos no valor do passeio (Tour Aurora Safari Base Stations com a empresa Tromsø Safari por €100 por pessoa). Ali podemos deixar nossas mochilas e sair em direção à margem do rio a fim de encontrar um lugar para armar o tripé e começar a espera do espetáculo. Esperamos o céu começar a abrir, pois um céu limpo e estrelado é o palco perfeito para o aparecimento das Northern Lights, ou luzes do norte, em bom português. Não foi preciso esperar mais do que 15 minutos para começarmos a avistar luzes verdes tímidas entre nuvens e saber, que sim, veríamos a Aurora Boreal naquela noite! 

A Aurora Boreal aparecendo timidamente, ainda entre muitas nuvens, em Tromsø

Foi numa tenda como essa que montamos acampamento para esperar a Aurora Boreal | Foto: Ayaka - Tromsø Safari

Por ter poucas pessoas no tour a guia conseguiu conversar com cada um, além de lançar mão do seu conhecimento de fotografia e ajudar os menos experientes a programarem suas câmeras de modo que conseguissem capturar a Aurora. Além disso, ela pode fazer um sem fim de fotos de cada passageiro com a Aurora ao fundo. Aprendi com ela, mesmo já tendo lido bastante sobre, que as luzes quando serão visíveis começarão a aparecer pelo norte e depois vão se espalhando. Então podemos procurar o norte com o auxílio da bússola do celular e apontar nossas câmeras para essa direção. O espetáculo começou por volta das 21:30 e seguiu até às 23:30, ora mais intenso, ora menos, com algumas pausas para uma visita à tenda para um chocolate quente. A região onde fizemos base era linda, mas apesar do céu aberto, o vento forte não deu trégua, o que aumentou a sensação de frio e balançou o tripé mais levinho, no caso, o meu.

Feliz em poder testemunhar mais uma vez esse fenômeno da natureza, dessa vez na Noruega

Fotografar a Aurora Boreal, dessa vez, se mostrou um desafio constante, quando você acha que domina a técnica, vem a natureza e bagunça tudo. Mas essa é a graça, né? Ter de se readaptar, reaprender e, às vezes, só olhar para o céu e apreciar tamanha beleza sem nenhum objeto entre você e a Aurora. Mal posso esperar pela próxima vez!



Organize a sua viagem com o Raphanomundo


Comentários