Mostrando postagens com marcador airbnb. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador airbnb. Mostrar todas as postagens

3.9.13

Nova York pela primeira vez

Percebi que nossa viagem a Nova York, em 2011, ainda não tinha um post-índice aqui no blog. Lapsos à parte, chegou a hora de resolver esse problema. Então, compartilho aqui nesse post um roteiro de 9 dias pela Big Apple, que resultou numa das viagens mais legais que já fizemos.

Portanto, para quem vai a Nova York pela primeira vez, lápis e papel na mão!

Fim do dia em cima do Empire State Building

Primeiro, alguns posts isolados, daqueles lugares/assuntos que mereceram um destaque especial:



Por último, o roteiro dia após dia:

  • Dia 1 – Times Square e Restaurante Carmine’s
  • Dia 2 – Neve / Macy’s / Forever 21 / H&M/ BH Photos / Dallas BBQ
  • Dia 3 – Brooklyn Bridge / Chinatown / Little Italy / NYU Bookstore / Bubba Gump Shrimp / Toy’s “R” Us
  • Dia 4 – Museu de História Natural / Central Park / Cafe Metro / Bryant Park / Good Stuff Diner / Village Halloween Parade
  • Dia 5 – Central Park Zoo / Apple Store 5a Avenida / Eataly / KyoChon / Por do Sol no Empire State Building
  • Dia 6 – Rockefeller Center / Saint Patrick’s Cathedral / MoMA / T.G.I. Friday’s / Memphis na Broadway / Tony’s DiNapoli
  • Dia 7 – The Highline / Chelsea Market / Bleecker St. /Magnolia Bakery / Friends' Building / Grand Sichuan
  • Dia 8 – Circle Line Cruise (passeio de barco pela ilha) / Tabata Noodle
  • Dia 9 – Como conto na série de posts, peguei uma gripe super forte e no último dia não consegui fazer muita coisa. Mas reuni todas as minhas forças e fomos conhecer o MET, fechando assim, a viagem com chave de ouro.




22.5.12

Montevidéu: Mercado del Puerto


Na manhã seguinte à nossa chegada saímos por uma Montevidéu fria e chuvosa. Mesmo assim a cidade estava convidativa.

Ficamos hospedados (via Airbnb) num apartamento no bairro de Pocitos, a poucos passos da praia. Pegamos o ônibus 116 com direção a cidade velha e fomos assimilando o quão diferente Montevidéu consegue ser. Vale mencionar que andar de ônibus numa cidade estranha não é tarefa para principiantes ou tímidos, mas certamente é a melhor forma de conhecê-la. Lá a passagem custa 190 pesos (menos de R$2) e é possível se prevenir consultando as linhas e os itinerários aqui e no site da companhia de transportes coletivos - CUTCSA.

A linha 116 nos levou de Pocitos direto para a parte velha da cidade. Contrariando a cronologia, decidimos iniciar o nosso relato sobre a capital uruguaia  aqui no blog maltratando a nossa memória com o delicioso aroma de parrilla que emanava do histórico Mercado del Puerto, que provocou nosso apetite naquele sábado preguiçoso.

Se você não tolera carne vermelha ou os adeptos dela, este não é o lugar pra você. Nossas recomendações para aproveitar o que o Mercado del Puerto tem de melhor:

11.11.11

Airbnb: Nossa experiência



Como já comentei no blog, durante nossa viagem a Nova York usamos o serviço do Airbnb e vamos contar por aqui como funciona todo o processo e como foi a nossa experiência. A idéia do Airbnb é boa e parece estar funcionando muito bem. O anfitrião que tem espaço sobrando – um quarto onde você mora ou um imóvel vazio, pode alugar para hóspedes de qualquer lugar do mundo e também lucrar com isso! O Airbnb está lá para expor os anúncios e intermediar a relação entre hóspede e anfitrião.



Há três meses, quando conhecemos o serviço e decidimos usá-lo nesta viagem, existiam poucas opções de apartamentos e o preço não estava competitivo se comparado aos hotéis. Hoje, fazendo uma busca rápida, vemos que a oferta cresceu bastante, o que é bom para nós viajantes. Após navegar pelo site e simular algumas buscas, encontramos este anúncio de um quarto em um apartamento em Manhattan (Way Uptown). 
As fotos, a localização e o preço chamaram nossa atenção e sabendo que estaria disponível para as datas da nossa viagem, decidimos reservar! O processo de reserva é simples, mas devem ser observados alguns detalhes importantes, já que tem muita informação equivocada publicada por aí... Por isso, mesmo lendo nosso relato, use a página de ajuda do Airbnb se tiver dúvidas.

Inicialmente é necessário criar um perfil de hóspede, com foto e uma descrição – isto é muito importante para a próxima etapa.Tendo escolhido um anúncio e as datas em que deseja viajar, você verá um preço final para a sua reserva. Este preço vai incluir o valor das diárias estipulado pelo anfitrião, mais alguma taxa eventual (de limpeza, por exemplo) e somado a isso, uma taxa de serviço do Airbnb. No nosso caso, não houve taxa adicional, só as diárias e a taxa de serviço, que foi de 5,6% do valor da reserva (este valor varia de acordo com a duração da estadia, tipo de imóvel, época, etc).

Para fazer um pedido de reserva, você fornece os dados do pagamento com cartão de crédito internacional (existem outras opções como o paypal) e avança. Neste momento, o Airbnb valida o seu cartão com a cobrança simbólica de US$1 e envia o seu pedido ao anfitrião. Este, terá 24h a partir desse momento para aceitar ou não o seu pedido. É nesta hora que o perfil do hóspede ganha importância. O Anfitrião quer saber um pouco mais de você e tem liberdade para aceitar ou não o pedido. Se recusar, a cobrança de US$1 é cancelada e você pode procurar outro lugar pra ficar. Se ele não responder em 24h, o pedido é negado automaticamente e a cobrança, também cancelada. Se ele aceitar, a cobrança de US$1 é cancelada e o valor total da reserva é cobrado na hora em que ele aceita. Ou seja: a sua reserva só estará confirmada quando o anfitrião aceita o seu pedido. Pra nós brasileiros, como vocês sabem, é cobrado o valor em dólar, mais o IOF de 6,38%. No nosso caso, a anfitriã estava viajando e sem acesso a internet, portanto não respondeu nas 24h. Algumas horas depois de perder o prazo, ela mesma nos enviou uma mensagem se desculpando e pedindo para refazermos o pedido!

A partir do pedido aceito, a reserva estará paga e confirmada e os contatos do anfitrião são liberados para que você possa entrar em contato. Até então, hóspede e anfitrião só devem interagir com o Airbnb e não entre si (a nossa anfitriã nos contou que existem alguns hóspedes que tentam negociar o preço por fora, o que torna tudo muito perigoso).
Aqui vale lembrar que, como nos hotéis, os anfitriões podem criar políticas de cancelamento de reserva e de bloqueio de segurança para danos materiais. Tudo isso é avisado antes de fazer um pedido de reserva, portanto, leia tudo com atenção!

A partir deste ponto, é assim que funciona:

  • Você organiza a sua chegada diretamente com o anfitrião;
  • O pagamento da reserva é feito ao Airbnb no momento que seu pedido é aceito mas só será repassado ao anfitrião 24h após a sua chegada. Isso significa que o hóspede tem a segurança de, em até 24h depois da sua chegada, demonstrar qualquer insatisfação. Por exemplo, se o lugar não condiz com o que foi apresentado no anúncio, seu dinheiro estará protegido e o Airbnb irá interferir e ajudar a encontrar uma solução;
  • Se o anfitrião exigir, no dia da sua chegada será feito um bloqueio no cartão de crédito, no valor que ele estipular (no nosso caso, foi feito um bloqueio de US$200). Caso não ocorra nenhuma reclamação do anfitrião em até 48h após o check-out, o bloqueio será liberado automaticamente;
  • As regras da casa são apresentadas na hora da chegada e não há nenhuma transação financeira entre hóspede e anfitrião.


Burocracia entendida, vamos ao relato da nossa hospedagem...

Nós ficamos no apartamento da Jui em Washington Heights, lado Way Uptown da ilha, super tranquilo.
Tivemos muita sorte de conhecer e conviver com uma New Yorker super simpática e amigável. Depois do período que passamos lá, fizemos um review público, que transcrevemos aqui:

"A nossa estadia no apartamento de Jui foi um dos pontos altos da nossa viagem a New York. Desde a nossa chegada nos sentimos extremamente à vontade e confortáveis. Sobre o apartamento: ele fica numa vizinhança tranquila e segura (com supermercado, banco e alguns restaurantes) e com uma estação do metrô linha A a apenas 5 minutos de distância a pé. Com o metrô, são apenas 20 minutos até downtown. O quarto que você encontrará é grande, confortável, limpo e funcional! Cama queen size e travesseiros confortáveis, guarda roupa e cômoda com gavetas para acomodar suas coisas, luz de leitura, espelho, sinal Wi-fi e alguns guias para turistas (e não turistas) de New York, tudo à nossa disposição. O banheiro está sempre organizado e aquecido... Detalhe para o cheirinho do sabonete para as mãos que vai acompanhar você pelo resto do dia! A cozinha de Jui é um paraíso para quem gosta de cozinhar. Ela tem todos os acessórios que você possa imaginar e nos deixa à vontade para usá-los. Você ainda poderá ouvir música enquanto está na cozinha. Se você quiser, ainda poderá compartilhar a sala de TV, que é onde a Jui irá dormir enquanto você se hospeda com ela. Mas no nosso caso, ficando apenas 9 dias, não tivemos tempo pra ver TV. Sobre o café da manhã: na nossa chegada, ganhamos uma prateleira vazia na geladeira (para abastecermos caso a gente quizesse fazer outras refeições no apartamento) e a prateleira que ela abastece exclusivamente para o nosso café da manhã, que tinha suco, leite, geléia, manteiga de amandoim, presunto, bacon, ovos, manteiga... fora da geladeira, pão e cereais. Tudo muito bem pensado para um bom café da manhã. Durante a nossa estada, alguns dias nós preparamos o nosso próprio café e em outros Jui deixou tudo pronto para quando acordássemos (só indo lá pra saber o cardápio gourmet que ela faz). Sobre a atmosfera: Desde o primeiro minuto, entendemos que aquela é a casa da Jui e que nós estávamos convidados a compartilhar este espaço com ela. Por isso mesmo que tratamos a sua casa como se fosse a nossa, respeitando e cuidando das suas coisas e do seu espaço, sua rotina e seus métodos. Com mais tempo, teríamos ajudado também a limpar, lavar roupas de cama e toalhas, enfim, cumprir as obrigações de quem mora sozinho. Nós adoramos o fato de estar hospedados num apartamento em New York e podermos imaginar como seria se nós mesmos pudéssemos morar ali... E de bônus, você ainda pode brincar com o Mushuu, o seu gatinho gorducho e fofo :] Por último e mais importante, sobre Jui: tudo que escrevemos acima só é do jeito que é porque esta é a casa dela. Jui é uma pessoa extremamente simpática, educada e comunicativa. Nós tivemos a sorte de conhecê-la e conviver com ela durante estes dias. Nós fomos nos conhecendo aos poucos, dividindo experiências, falando sobre as nossas viagens e as diferentes culturas que conhecemos. Jui é o tipo de pessoa que se preocupa em acordar mais cedo para fazer ovos beneditinos pros seus hóspedes... e só ir dormir as 3h da manhã, conversando com eles! Uma pessoa simples, honesta, inteligente e engraçada. Você não irá se arrepender de ficar no apartamento da Jui!"

Alguns exemplos do que Jui nos oferecia no café da manhã:


sweet pancakes

sandwich to go

oatmeal

Toda a nossa experiência com o Airbnb foi bem positiva. Se você pensa em usar, procure depois de ter a sua reserva confirmada, tentar entender de antemão quais são as regras do anfitrião e deixar claro quais são os seus planos durante a sua visita. Isto certamente pode tornar a relação mais amigável e evitar surpresas desagradáveis.

Se você que está lendo já usou o Airbnb, conte como foi a sua experiência!

28.10.11

N.Y.C.

É chegado o dia em que o raphanomundo vai conhecer um destino recorrente desse universo viajante. Você está lendo esse post agora e nós, provavelmente, já teremos vencido a jornada até a ilha de Manhattan. Essa viagem não estava nos nossos planos de maneira alguma, mas em fevereiro o nosso lado racional foi desafiado por passagens promocionais e irresistíveis que a American Airlines vendeu para a Filadélfia. Para terem uma ideia, estavam mais baratas do que para ir a Recife! Não restou opção a não ser fazer essa compra de impulso e jogar para o segundo semestre. Assim, até lá daria tempo de decidir se viajaríamos de fato e providenciar o necessário para viajar aos Estados Unidos.

Na mesma hora, reservamos o hotel e tudo ficou agendado. Faltando menos de 2 meses para o dia do embarque, fomos apresentados a uma nova modalidade de hospedagem, o Airbnb. Após uma rápida busca, encontramos um apartamento bem legal em Manhattan com um preço excelente. Reservamos e cancelamos o hotel!

Ainda assim a viagem não era certa... Até então, passagem e hospedagem não garantiam nada. Mas, faltando só 1 mês para o dia do embarque, decidimos que iríamos. Acho que tem oportunidades que não batem duas vezes na mesma porta. Não falo da oportunidade de viajar, mas sim de viajar nas circunstâncias que estamos viajando agora.


Então é isso, vamos nos jogar por 10 dias na capital do mundo! Curtir um pouquinho desta cidade tão explorada, descrita, filmada e fotografada, mas que mesmo assim, nunca é a mesma! Como parte da nossa preparação, decidimos que apesar de haver, em todas as mídias, inacabáveis referências, guias, roteiros otimizados e/ou temáticos, vamos procurar uma Nova York do nosso jeito é isso que vocês vão encontrar por aqui nos próximos dias, como um diário de viagem.

Estou muito ansiosa para compartilhar com vocês o que a gente encontrar por lá.

E aí, ficaram animados?! Vamos lá pegar a nossa fatia da maçã?

> O raphanomundo viaja tranquilo à Big Apple com a Mondial Assistance, seguradora oficial do blog <



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...