Mostrando postagens com marcador museu. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador museu. Mostrar todas as postagens

9.3.15

Recife: Cais do Sertão

No último ano o Recife ganhou dois espaços culturais que, enfim,  pude conhecer ao ir passar o carnaval na cidade. Apresentarei por aqui estes dois lugares que já viraram parada obrigatória para quem vai à capital pernambucana. O primeiro deles, o Cais do Sertão, apresenta aos seus visitantes a cultura do sertão nordestino fazendo uso da história do seu filho mais ilustre, Luiz Gonzaga.


12.1.15

Museu Frida Kahlo

Com algumas horas de conexão no Aeroporto Internacional da Cidade do México, para ser exata, com todos os descontos, umas 6 horas, minha primeira vontade era conhecer o Museu Frida Kahlo e depois, se desse tempo, alguns outros pontos turísticos da cidade. De antemão digo que meu passeio se resumiu ao museu e ao simpático bairro de Coyoacán. O trânsito da Cidade do México (DF) é caótico e não é lenda, tem que levá-lo em conta, sim, quando for programar  uma escapada do aeroporto numa conexão longa pelo México. Especialmente naquela época do mês, onde se comemora o dia da Virgem de Guadalupe (12 de dezembro) – Padroeira do México e da Cidade do México –, as ruas do país ganham um sem fim de peregrinos que seguem rumo à basílica. Tive a sorte de uma amiga na cidade ir me buscar e me deixar no aeroporto, por isso não precisei me preocupar com lockers (guardaequipaje) e transporte, mas o aeroporto da Cidade do México conta com infraestrutura completa – estação de metrô | metrô bus | 2 lockers no Terminal 1 e 1 locker no Terminal 2. Dá para se programar e ir explorar a cidade sem medo.

Isto posto, vamos à visita ao Museu Frida Kahlo, um dos muitos momentos emocionantes dessa viagem. Na famosa Casa Azul, que virou museu em 1958 – quatro anos após a morte da artista –, estão muitos dos icônicos objetos pessoais do casal Frida Kahlo e Diego Rivera. No museu, que recebe cerca de 25 mil visitantes ao mês, estão obras importantes como Viva la Vida (1954), Frida y la cesárea (1931), Retrato de mi padre (1952), entre outras. T


13.8.14

Um dia em Joinville

A primeira parada do nosso passeio por Santa Catarina foi Joinville, também conhecida como Cidade dos Príncipes. Esse apelido se dá pelo fato das terras onde hoje encontra-se a cidade serem fruto de um dote do casamento entre a princesa Francisca Carolina (irmã de D. Pedro II) e o príncipe francês, Ferdinand Philipe. Tempos depois parte dessas terras foi vendida para a Sociedade Colonizadora Hamburguesa, dando início, assim, à colonização alemã. Vale salientar que todo o nosso roteiro foi seguindo os passos germânicos pelo país.
Joinville tem uma geografia curiosa, onde podemos observar uma cidade plana, ladeada por montanhas, manguezais muito próximos e a baía de Babitonga, interessante para quem vem do nordeste, como nós.

Como o tempo de estada na cidade era curto, tivemos que priorizar as visitas a serem feitas. A primeira delas foi o Museu Nacional de Imigração e Colonização – prédio hoje tombado pelo IPHAN –, que foi construído em estilo enxaimel, típica construção alemã do início do século XX. No interior da casa de três pisos, peças da rotina da época: de banheiras, cadeiras e vitrolas até talheres, malas e máquinas de escrever, totalizam cerca de 5.000 itens de um rico acervo que preserva a memória daqueles que ajudaram a Joinville ser o que é hoje. Em frente ao museu está a Rua das Palmeiras, com 52 plantas centenárias que, junto com o prédio do museu, formam o cartão-postal mais conhecido da cidade.

Fachada da casa onde fica o Museu Nacional de Imigração e Colonização

28.1.13

DDR Museum e Black Box



>> DDR Museum

É sabido que Berlim tem uma história muito forte. E para os que gostam de saber tudo em detalhes, muitos memoriais e museus estão abertos à visitação por lá. Desta última vez, visitamos mais um deles, o DDR-Museum.



18.1.13

Deutsches Museum em Munique


Você desiste de negar que a sua família é nerd quando, ao invés de ficar tomando cerveja ou fazendo compras, prefere passar o dia dentro do Deutsches Museum, ou Museu Alemão, em Munique. As pessoas podem até não realizar, mas em termos de ciência e tecnologia, a Alemanha manda muito bem. E muitos cientistas, inventores e inventos são alemães. Talvez esta seja uma razão para o Deutsches Museum ser um dos mais, senão o mais importante museu do seu tipo no mundo.

O grandioso prédio que abriga o museu em Munique fica numa ilha no rio Isar – Museumsinsel –, ainda na região central da cidade. Não é difícil encontrá-lo, tanto pelo seu tamanho quanto pelo fluxo de pessoas que vão ao seu encontro. O acervo do museu, que completará 110 anos de existência em 2013, contém milhares de objetos, de muito pequenos a gigantescos, espalhados pelos seus 8 níveis (do subsolo ao 6° andar) e, de acordo com o nosso mapa, inacreditáveis 55 ramos diferentes, que abrangem quase tudo que você possa imaginar.

Vários tipos de canoas e outras embarcações em tamanho real

5.9.12

Museu Casa do Pontal


Um dos grandes presentes dessa minha ida ao Rio de Janeiro foi, sem dúvida, a visita ao Museu Casa do Pontal. Nunca havia escutado falar desse museu, nem sobre o que ele era. Chegando lá, para minha surpresa, me deparei com um espaço totalmente voltado para a divulgação da arte popular brasileira. Para deixar a história ainda mais fantástica, o museu foi idealizado por um pintor francês, Jacques Van de Beuque, que em 1946 fugiu de um campo de trabalho forçado na Alemanha e veio para o Brasil. Em 1951, Jacques foi a Recife, lá se encontrou com Mestre Vitalino e conheceu a sua arte. A partir daí iniciou a sua coleção que hoje conta com 8.000 peças de 200 artistas brasileiros.

Foto de Mestre Vitalino em frente à sua casa, no Alto do Moura - espaço que visitei em junho desse ano

25.11.11

Sorteio #NY

A exemplo da viagem a Berlim, nessa de Nova York eu também não  esqueci de vocês leitores e trouxe mais uma lembrancinha super legal para sortear aqui no blog.  Dessa vez, a compra foi feita na incrível loja do MET – The Metropolitan Museum of Art – e o livro, que não é bem um livro, é uma coleção linda de 30 postais em preto e branco chamada New York Landmarks – A book of 30 postcards. Nele você encontrará fotos belíssimas de pontos clássicos como: Brooklyn Bridge, Central Park, Times Square, Plaza Hotel, Empire State Building, Statue of Liberty, entre outros. Os postais são totalmente destacáveis e você poderá enviá-los para quem quiser, confesso que, como boa colecionadora de postais, eu teria pena de sair me desfazendo dos que estão nesse livro.



Mas, chega de blá blá blá e vamos à mecânica da promoção:
  • Seguir o perfil @aretakis no twitter;
  • Publicar a seguinte frase com o link: Sou leitor do @raphanomundo e quero  o livro dos 30 postais que a @aretakis trouxe para mim de #NY – http://kingo.to/U8a 
Simples, né?

O sorteio será feito sexta-feira, dia 09/12/2011, às 15h (Brasília) através do sorteie.me.

Considerações:
  • O sorteio é válido para todo o território nacional – Se você mora fora, mas tem um endereço no Brasil, fique à vontade para participar;
  • Para validar a participaçao é imprescindível seguir o perfil @aretakis e tuitar a frase junto com o link;
  • Não serão aceitos perfis criados exclusivamente para promoções.
No mais, boa sorte!! 

Ah, e um ótimo fim de semana a todos! E continuem acompanhando os posts de Nova York, tem muita coisa por vir ainda... 


------------------------------
UPDATE


E o sortudo que vai receber em casa esse livro muito legal direto de Nova York é:

Ju, querida, me manda por DM seu endereço para eu providenciar o envio do livro.

E que não ganhou é só ficar ligado aqui no blog porque semana que vem tem o presente de Natal! A-há! Pensou que eu ia esquecer do presente de Natal? De jeito nenhum! Stay tunned :)


9.8.10

Amsterdam: Heineken Experience

Um dos passeios da nossa viagem a Amsterdã foi para o Heineken Experience, que é o museu da cerveja Heineken. Esse prédio que visitamos foi construído em 1867 e funcionou como cervejaria até 1988. O lugar é incrível e conta a história da marca e o processo de fabricação da bebida. Da entrada à saída profissionais capacitados nos guiam e fazem com que o percurso, que dura mais ou menos 1:30h, seja bem dinâmico e interessante.




Um museu marcado pela interatividade, já que em vários pontos podemos interferir, tocar e mexer em quase tudo, deixa qualquer pessoa (curiosa como eu) mais animada. Ainda passamos por uma sala, tipo um mini cinema, onde assistimos a um filme sobre todo o processo de produção da cerveja, super sensorial. Uma ideia genial! Passamos por salas de cartazes antigos, de patrocínios de filmes e clubes de futebol. Aprendemos a degustar e identificar os sabores presentes numa Heineken e podemos "fabricar" a nossa própria garrafinha personalizada.




Por fim, sentamos num belo lounge confortabilíssimo e degustamos as duas últimas cervejinhas das 3 que temos direito. De fato, é um museu super bem montado, com uma lojinha de compras extremamente bem servida e muito divertido. Claro, que parte da alegria e diversão vem do fato de tomar 3 cervejas com o estômago vazio e sair dali mais feliz que pinto no lixo, achando tudo maravilhoso. O lugar também coopera bastante, pois Amsterdã é uma cidade fantástica.



Se você for a Amstedã não deixe de ir ao Heineken Experience. Já faz parte do roteiro sair de lá com cara de bobo alegre achando que vai tomar Heineken para o resto da vida.

Mais fotos lá no flickr

SERVIÇO

O que? Heineken Experience
Onde? Amsterdam - Holanda
Quanto? €18 por pessoa (com direito a 3 cervejas) - Evite filas e compre o ingresso online








Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...