Mostrando postagens com marcador alemanha. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador alemanha. Mostrar todas as postagens

27.8.14

Um dia em Blumenau

Como parte do nosso roteiro de escapada de fim de semana, separamos um dia para conhecer Blumenau e região. Como a nossa primeira parada vindo de Joinville foi a rota do Enxaimel em Pomerode, acabamos chegando na cidade apenas após o almoço, mas com tempo suficiente para passear com calma e ver os seus principais atrativos.

Prédio da Prefeitura ao fundo e a Macuca, locomotiva construída na Alemanha

19.8.14

#cwbparainiciantes: Restaurantes Alemães em Curitiba

Não é novidade pra ninguém que acompanha o blog que somos bem chegados numa comida alemã, né? Vindo morar em Curitiba, então, podemos unir o útil ao agradável, que é sair por aí descobrindo os cantinhos mais germânicos da cidade e compartilhar por aqui nossas experiências.

Para começar, temos dois clássicos curitibanos, mas, à medida que fomos provando (e aprovando) novos lugares, vou atualizando esse post.

(para ir com os amigos)

Uma ótima pedida na região do Largo da Ordem, desde 1979 o Bar do Alemão é um queridinho da cidade. Hoje, por causa da sua boa localização é muito frequentado por turistas. As mesas grandes do imenso salão e a decoração tipicamente rústica nos transportam imediatamente para uma viagem à região da Floresta Negra (Schwarzwald).

Carro-chefe: Carne de onça bem temperada acompanhada de batata frita e batata cozida

1.8.14

Notícias do Turismo #14



Periodicamente, você encontra aqui as notícias mais fresquinhas do turismo no Brasil e no mundo.

  • Guia da Irlanda em português é lançado –
 Publicação inclui informações oficiais sobre o país e também sobre a Irlanda do Norte, com dicas para turistas e estudantes. Com ampla tradição literária e cultural e belezas naturais a perder de vista, o país conquista cada vez mais brasileiros que desembarcam por lá em busca de diversão, estudo e trabalho. Com apoio governamental e escrito por uma brasileira residente na ilha, o “Guia Irlanda” inclui informações oficiais sobre o destino e também sobre a Irlanda do Norte. Suas páginas estão recheadas de dicas de lugares que valem a visita, atrações culturais, pubs, serviços públicos turísticos, tradições, música, arte e cultura. Mais informações: www.guiairlanda.com.br

Guia da Irlanda totalmente em português - Foto: Divulgação

29.7.14

5 museus na Europa que valem a visita

Nós somos aquele tipo de viajante bem chegados numa lista. Antes de pegar a estrada os cadernos e bloquinhos se multiplicam com os mais variados check-lists: o que levar na mala, o passo-a-passo das coisas de casa, documentos... enfim, todos os requisitos necessários para cair no mundo. Em mais de 600 posts que já foram publicados por aqui é inegável a quantidade de dicas preciosas das nossas experiências pelo mundo, mas o que vocês não sabem é que nós fazemos listas ao voltar de viagem. E dessas listas surgiu a ideia de trazer aqui para o blog o resultado do nosso garimpo. Sempre com 5 dicas/opiniões/observações, nossas listinhas são uma maneira mais direta de compartilhar ainda mais o que vimos e veremos do mundo. 

Vamos à primeira:

Ao montar nossos roteiros de viagem, ainda em casa, sempre pesquisamos quais museus queremos visitar. Para nós é inimaginável uma viagem à Europa sem que haja um único museu no caminho. A essa altura do campeonato já visitamos vários, mas ainda são poucos perto do que queremos conhecer. Nessa lista de hoje vão alguns dos nossos queridinhos e imperdíveis:



13.12.13

Mercado de Natal em Paris

Os Mercados de Natal da Europa começaram na Alemanha (weihnachtsmarkt), por volta do século XIV e, pouco a pouco foram conquistando e se espalhando pela Europa Central. Documentos apontam que após seu início, no país germânico, foi na região da Alsácia (França) que eles ganharam popularidade. Já difundido pelo continente, o costume de se visitar os mercados de natal nessa época do ano é algo muito aguardado e comemorado. Curiosamente, mesmo depois de tantas idas ao país, nunca consegui estar por lá na época correta. Sorte minha que esse costume também invadiu Paris e esse ano eu pude ver de perto um pouco da magia do 5º ano do Paris Village de Noël na Champs-Elyssées.

Decoração impecável que marca o começo do Paris Village de Noël

27.8.13

Alemanha de Trem - Todos os Posts

Essa nossa viagem de férias à Alemanha foi bastante especial porque, além de nós termos um carinho sem tamanho pelo país que nos acolheu tão bem em todas as visitas, nós fomos com o intuito de apresentá-lo a duas pessoas igualmente especiais: meus pais. Foram 20 dias de puro deslumbramento com toda infraestrutura que as cidades oferecem, a beleza única de cada lugar, a eficiência do país e a cordialidade do povo. Mais de 1.600 km de norte ao sul do país foram cortados sobre trilhos, o que foi uma novidade para os quatro viajantes - uma viagem totalmente feita em trens. Certamente nós voltamos para casa acompanhados de mais dois fãs da Alemanha que, assim como nós, não vêem a hora de voltar e se encantar novamente. 

Alemanha de trem: Esperando o ICE para Stuttgart em Munique

Portanto, se você está decidido a colocar a Alemanha definitivamente no seu roteiro de férias  e eu espero que você o faça imediatamente – encontrará uma coletânea de mais de 30 textos com as mais diversas dicas para facilitar sua viagem. 

O que por ventura você não encontrar por aqui, não se acanhe, pode me escrever e perguntar. Terei prazer em ajudá-lo a tirar seu sonho do papel. 

No mais, desejo a todos ótimas viagens à Alemanha!

  • Dicas Práticas


Comprando passagens de trem na Alemanha online

Se localizando nas estações e trens da Alemanha

  • Frankfurt
Uma tarde em Frankfurt - Fotoblog

Onde ficar em Frankfurt - Goldman 25 Hours

Dois restaurantes alemães em Frankfurt

  • Colônia
Cadeados do amor em Colônia

Onde ficar em Colônia - Caprice Am Dom

Provando a Flammkuche - a pizza alemã

Catedral de Colônia + Kölner Triangle

  • Hamburgo
Onde ficar em Hamburgo - Hostel Design - Superbude St. Pauli

Miniatur Wunderland

Fish and Chips no Porto de Hamburgo

Um restaurante português em Hamburgo

Noite em St. Pauli

  • Berlim
Festival das Luzes de Berlim

DDR Museu e Black Box

Cenas de um outono em Berlim

Mais um restaurante grego em Berlim

Outros 30 posts da época em que moramos em Berlim

  • Dresden
Onde ficar em Dresden - Ibis Bastei

Onde comer em Dresden - Dresden 1900

Dresden a pé - walking tour

  • Munique
Onde comer em Munique - Augustiner Bräustuben

Free Tour em Munique

Deutsches Museum

Viktualienmarkt - Um mercado em Munique

Pasta e Basta - Comida italiana BBB em Munique

  • Stuttgart

Dresden a pé

Não poderia terminar a série "Alemanha de trem" sem registrar este passeio. Dresden foi, sem dúvida, a grande surpresa da viagem. E foi assim, com essa sensação de ter sido pego desprevenido, que minha família e eu nos vimos completamente arrebatados pela beleza e o charme da cidade. Chegamos à cidade do meio para o fim da nossa viagem, depois de passar por Frankfurt, Colônia, Hamburgo e Berlin. É fácil notar que todas as cidades alemãs são bem diferentes entre si, especialmente se você sai, por exemplo, do sul para o norte, ou do oeste para o leste, a diferença é visível e, quase sempre audível, já que muitos dialetos coexistem pelo país. Mas ainda assim, nenhuma outra cidade alemã que eu tinha conhecido me preparou para Dresden.


Com apenas um dia completo programado na cidade, ficou fácil desapegar do roteiro turístico sugerido nos mapas e simplesmente caminhar sem destino.

A majestosa Frauenkirche

26.8.13

A Catedral de Colônia

Depois de percorrer o nosso primeiro trecho de trem no curto trajeto Frankfurt-Colônia, encontramos a charmosa cidade debaixo de uma fina chuva. Após deixar as malas no hotel, seguimos à beira do Reno até o símbolo de Colônia, que é também um dos ícones do país e um dos patrimônios da humanidade.

Catedral de Colônia vai se mostrando aos poucos por trás dos prédios e é um daqueles monumentos que nos intimidam pela sua grandeza e beleza. De estilo gótico, sua construção foi concluída em 1880, tendo iniciado 632 anos antes, incluindo um hiato de quase 4 séculos nas obras. As suas torres, norte e sul, têm cerca de 157 metros de altura e são ricamente detalhadas e chamam para um demorado exercício de contemplação.

A Catedral de Colônia vista do alto do Kölner Triangle

22.8.13

Ibis Stuttgart – Marienplatz

Em Stuttgart, apesar de ter morado lá por 3 meses, escolhemos uma outra parte da cidade para nos hospedar. E é na bela região da Marienplatz que fica o Ibis Stuttgart Centrum, hotel da rede Accor, que atendeu muito bem nossas necessidades. Além de perto de uma estação de u-bahn, o hotel estava em ótimo estado de conservação, novo, eu diria. Bem ao lado, nós encontramos um REWE –supermercado bacaninha –, uma Backzeit, padaria self-service com pães deliciosos e alguns salgados para serem consumidos ali mesmo, no pequeno salão e, ainda, um Burger King.


22.5.13

Mais um restaurante grego em Berlim


Gostamos tanto da nossa experiência no Ypsilon, que pensamos em repetir a dose quando voltamos nesse outono. Mas como somos curiosos e havia um outro restaurante grego juntinho do nosso hotel, resolvemos arriscar. E não é que mais uma vez acertamos?

O Taverna Trilogie, onde também funciona uma enoteca, é um lugar super aconchegante. Meus pais de cara curtiram muito o ambiente à luz de velas. Para melhorar, fomos super bem atendidos por uma garçonete simpática que não hesitou em nos ajudar com os pedidos.
Para começar, vinho e antepastos gregos. Os pratos principais eram incrivelmente bem servidos e deliciosos. Mais uma vez, os quatro poderiam ter dividido 2 pratos facilmente. Por fim, como já havíamos provado uma vez, ouzo para fechar com chave de ouro!

Deixo vocês com as fotos desse momento gostoso e divertido da nossa viagem...


13.5.13

Voando Lufthansa para Frankfurt e usando o AIRail


Com tanta informação legal sobre a Alemanha aqui no blog, não podia demorar mais muito tempo pra falarmos sobre como é voar com a Lufthansa, maior companhia aérea alemã e uma das maiores do mundo. O marido voou recentemente na rota São Paulo – Frankfurt – São Paulo e conta por aqui como foi.
...

Para muitos entusiastas da aviação, a etapa do vôo numa viagem sempre é quase tão esperada quanto a viagem em si. Nesta rota em particular (GRU-FRA-GRU), é uma oportunidade de voar no clássico Boeing 747-400. Além disso, voar com a companhia aérea do mesmo país do seu destino final faz com que a viagem – pelo menos culturalmente – comece antes mesmo de você chegar.

O check-in para os voos da Lufthansa no aeroporto de Guarulhos fica no terminal 2, asa D e costuma ser bem tranqüilo. Eles operam dois voos diários, um para Munique, que decola mais cedo e o vôo para Frankfurt. O embarque normalmente é bem pontual e a movimentação começa cerca de uma hora antes do horário previsto para a decolagem.

Na entrada do avião, comissários falando alemão, inglês, espanhol e português orientam os passageiros sobre a localização dos assentos. Uma dica interessante para saber a configuração de assentos da aeronave antes de reservar é verificar o SeatGuru.

Bem-vindo

4.2.13

Dois restaurantes alemães em Frankfurt


Viajando com dois parceiros ilustres que nunca tinham ido na Alemanha, fazia muito sentido apresentá-los à cultura do país através da gastronomia logo de cara.

Na nossa primeira parada em Frankfurt, resolvemos comer algo tipicamente alemão. Naturalmente, cada região do país apresenta diferenças no quesito típico. Em Frankfurt, o molho verde (Grüne Soße) e a cidra (Apfelwein) vinham liderando.



Confiando muito no PRINZ (sempre ele), revista online alemã que mapeia tudo que está rolando nas principais cidades do país e lista muitos restaurantes que merecem uma visita, encontramos duas indicações certeiras de comida alemã em Frankfurt. Praticamente vizinhos, o Zum Gemalten Haus e o Apfelwein Wagner reúnem as principais especialidades da região e do país, em ambientes descontraídos e lotados na Schweizer Straße.



Nossa idéia inicial era comer no Apfelwein Wagner, mas foi impossível conseguir uma mesa. Famílias inteiras, grupos imensos de amigos conversando e bebendo muito. Também não havia um mecanismo oficial para conseguir uma mesa, era pura sorte. Desistimos e fomos na concorrência, o Zum Gemalten Haus e, apesar de estar igualmente cheio, conseguimos uma mesa depois de alguma espera.


A partir daí, a família tomou uma rodada de sidra (fria) e preenchemos a mesa com algumas sugestões da casa. Lingüiças variadas, o tradicional Schnitzel, provamos Leberkäse pela primeira vez, porco cozido com SauerkrautBratkartoffeln e o famoso Grüne Soße e o seu sabor amüsant. Um banquete!


29.1.13

Cenas de um outono em Berlim


Depois de chegar a Frankfurt, pegar uma tarde linda de outono, o frio e a chuva se instalaram no nosso caminho. Chegamos a Colônia com temperaturas muito baixas e debaixo de chuva fina e gelada. De Colônia a Hamburgo o cenário permaneceu inalterado. Para nossa surpresa encontramos uma Berlim solar, linda e extremamente receptiva.

Apresentar a cidade alemã do nosso coração aos meus pais, sob um céu azul e a temperatura beirando os 18 graus, ficou muito mais fácil. Somos suspeitos para falar de Berlim, pois foi paixão à primeira vista. Em 2010, num fim de semana rápido, voltamos para Stuttgart com gosto de quero mais. Mal sabíamos que em 2011 o destino havia nos reservado um mês inteiro para desfrutar dessa cidade que só superou nossas expectativas, dia após dia. Agora, em 2012, passamos 5 dias deliciosos por lá. 

Posso afirmar, sem sombra de dúvidas, que Berlim já não figura só no topo da minha lista de cidades amadas. Meus pais ficaram encantadíssimos com a capital alemã e de lá mesmo começaram a recomendá-la aos seus amigos. Afinal, pai de peixinho, peixe é!

Deixo vocês com algumas cenas do nosso outono: 

A Fernsehturm e o outono

28.1.13

DDR Museum e Black Box



>> DDR Museum

É sabido que Berlim tem uma história muito forte. E para os que gostam de saber tudo em detalhes, muitos memoriais e museus estão abertos à visitação por lá. Desta última vez, visitamos mais um deles, o DDR-Museum.



25.1.13

Pasta e Basta - Italiano em Munique


Em um dia de muita chuva + frio + neve a gente só tem uma coisa na cabeça: comida. E se ela for italiana, melhor.

Aí começou a saga para achar um restaurante italiano em Munique que fosse bom, não muito caro e perto de um  metrô/bonde (porque ninguém merece virar pinguim). Mais uma vez recorremos ao nosso bom e velho PRINZ – podemos dizer que esse guia foi o quinto elemento da viagem, sempre com dicas muito certeiras – e achamos, entre as várias opções, o Pasta e Basta. Com pratos de massa  e pizzas com preços que variam entre €3.95 e €7.45 e a taça de vinho tinto custando €2.80, ficamos até com um pé atrás. 

Bruschetta caprichada

23.1.13

Viktualienmarkt - Um mercado em Munique


Durante o nosso Free Tour em Munique, a pausa para o lanche e uma cervejinha é feita convenientemente no Viktualienmakrt. Em uma grande praça da cidade por muito tempo esse foi o principal mercado da cidade. Frutas e verduras eram trazidas frescas das zonas rurais para serem vendidas ali. Hoje, podemos dizer que o mercado vai além das barracas e engloba toda a área ao seu redor. As barracas já não só vendem frutas e verduras, agora são pães, frios, embutidos, flores, delicatessen, ervas e especiarias, souvenires e mais um punhado de coisa boa e cheirosa. Por fazer ou para serem consumidos ali mesmo, as opções são inúmeras.


22.1.13

Hotel em Frankfurt - Goldman 25 Hours


Achar um hotel em Frankfurt que atendesse nossos requisitos não foi tarefa muito fácil, pois, além das exigências, esse seria o primeiro hotel de muitos. E a ideia foi começar a viagem com o pé direito. Frankfurt era só o ponto de chegada, seguiríamos para Colônia no dia seguinte, então, a exigência maior era o conforto, já que a noite mal dormida no avião seria recuperada ali.

Procura daqui, procura dali, chegamos no site do Goldman 25 hours. Hotel Design lindão. Não era perto da estação de trem, mas nada que 15 minutos de bonde não resolvessem, afinal de contas, a parada era na porta. Preço aceitável para ser um hotel design. Reservamos.

Aguardei ansiosamente o dia de conhecer o Goldman e comprovar que era tudo aquilo mesmo. Chegamos algumas horas antes do horário do check-in, mas acho que a nossa cara de early check-in era tão grande que não foi preciso nem pedir – A pessoa que nos atendeu foi muito cordial. Os quartos já estavam impecavelmente prontos. Cada quarto do hotel tem uma decoração única com temas muito criativos. No site dá para ter uma ideia dos vários estilos de quarto. O nosso era muito bonito e diferente, mas acho que devem ter outros mais legais ainda. Esse foi o primeiro hotel design da nossa vida, então todo e qualquer detalhe chamou bastante nossa atenção. 


21.1.13

Zum Paulaner - Comida alemã em Stuttgart


Tudo bem, Stuttgart não tem tantos atrativos turísticos quanto as suas vizinhas, mas uma coisa ela não foge à regra das cidades alemãs: a boa mesa. Como em qualquer outra cidade do país, em Stuttgart também encontraremos restaurantes de várias nacionalidades e alguns ótimos tipicamente alemães, como é o caso do Zum Paulaner.

Em um ambiente rústico, muito lindo, são servidas especialidades das culinárias bávara e suábia (schwaben). Durante os dias de temperaturas amenas da primavera ou os ensolaradíssimos de verão, a pedida é escolher uma mesinha na rua mesmo e ser feliz. Foi o que fizemos quando fomos pela primeira vez ao restaurante, em 2010. Já agora, em 2012, em pleno outono – com temperaturas de inverno – o jeito foi achar um refúgio no primeiro andar do casarão e ser feliz do mesmíssimo jeito.


18.1.13

Deutsches Museum em Munique


Você desiste de negar que a sua família é nerd quando, ao invés de ficar tomando cerveja ou fazendo compras, prefere passar o dia dentro do Deutsches Museum, ou Museu Alemão, em Munique. As pessoas podem até não realizar, mas em termos de ciência e tecnologia, a Alemanha manda muito bem. E muitos cientistas, inventores e inventos são alemães. Talvez esta seja uma razão para o Deutsches Museum ser um dos mais, senão o mais importante museu do seu tipo no mundo.

O grandioso prédio que abriga o museu em Munique fica numa ilha no rio Isar – Museumsinsel –, ainda na região central da cidade. Não é difícil encontrá-lo, tanto pelo seu tamanho quanto pelo fluxo de pessoas que vão ao seu encontro. O acervo do museu, que completará 110 anos de existência em 2013, contém milhares de objetos, de muito pequenos a gigantescos, espalhados pelos seus 8 níveis (do subsolo ao 6° andar) e, de acordo com o nosso mapa, inacreditáveis 55 ramos diferentes, que abrangem quase tudo que você possa imaginar.

Vários tipos de canoas e outras embarcações em tamanho real

11.1.13

Fish and Chips em Hamburgo


Não é novidade para ninguém que eu AMO estar cercada de água, né? Então imaginem como eu adorei escolher um restaurante ao acaso em St. Pauli, nas proximidades  do porto de Hamburgo e provar uma especialidade, hein?

O restaurante escolhido foi o Fischpfanne, que podemos traduzir livremente como frigideira de peixe. Como tava frio pra dedéu, não deu para escolher uma mesinha do lado de fora, ainda que mantinhas estivessem estrategicamente disponíveis sobre as cadeiras. O quentinho do interior amadeirado do restaurante era mil vezes mais convidativo. De dentro temos a sensação de estar em um barco, uma vez que os fundos do restaurante dão para um canal e a frente para outro, de onde saem os grandes barcos e passam navios enormes. Um vai-e-vem sem fim.

Uma pequena parte do gigantesco Porto de Hamburgo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...